Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Li em um blog em inglês que quando fazem um episódio de recapitulação normalmente não é por problemas financeiros, mas sim para ter mais tempo para a produção do próximo episódio. Não sei se é verdade, mas parece que foi o caso. Esse semana Shingeki no Bahamut provavelmente me mostrou a mais impressionante batalha em grande escala que já assisti em um anime. Coisa melhor só vi em filme, sério mesmo. Houve ainda o combate entre Favaro e Kaisar contra Azazel. Ele não foi o melhor combate entre personagens que eu já assisti, mas foi bastante competente. Como dois humanos podem lutar contra um demônio tão poderoso? Assim, Azazel era o braço direito de Lúcifer, o próprio rei do inferno até poucos episódios atrás! Mas eles foram muito bem, sem parecer forçado. E não, eles não venceram, não poderiam vencer de forma alguma, mas foram fundamentais para que Azazel fosse derrotado. Só senti falta de ver o combate entre Joana D’Arc e Pazuzu, mas ela provavelmente foi derrubada rapidamente, não deve ter havido muito combate ali.

Curta o anime21 no facebook:

Bombardeio sobre o exército demoníaco

Bombardeio sobre o exército demoníaco

Azazel parece sério, pois veio contra Anatae com um exército imenso de demônios, com incontáveis demônios de todos os tipos, de fracotes esqueletos a gigantescos ghouls que cospem laser. E claro, Pazuzu. Mas ele não queria derrubar a cidade ou banhar-se no sangue de seus habitantes nem nada tão demoníaco assim, ele queria apenas capturar Amira, a portadora da Chave Celestial. Portanto, tudo isso é apenas uma gigantesca distração, e me espanta que não tenham criado um plano de defesa baseado na proteção de Amira. As autoridades da cidade ainda não sabiam que a garota havia sumido, e mesmo assim não mandam uma unidade grande e poderosa para proteger o local onde ela está ou mesmo um de seus maiores guerreiros. E eles não têm nem a desculpa de não saber que Azazel está atrás de Amira, porque o soldado Fulano que estava ao lado do rei foi capaz de deduzir isso sozinho, então é seguro assumir que isso era tão óbvio para mim quanto era para eles. A cidade é poderosa, tem unidades militares, armamentos, magos e um sem número de cavaleiros, além de experiência e táticas militares de primeira linha, e alguns guerreiros poderosos (Joana D’Arc provavelmente é a humana mais poderosa do mundo!), mas não obstante são estúpidos quando se trata de improvisar uma estratégia de defesa.

Anatae é atacada por poderosos raios energéticos emitidos pelos ghouls

Anatae é atacada por poderosos raios energéticos emitidos pelos ghouls

Não pense que os demônios se saem melhor não. Com o poderio que tinha, Azazel provavelmente poderia transformar a cidade em pó. A única que daria trabalho a ele seria Joana D’Arc, mas ele junto com Pazuzu poderia dar conta dela. Claro que essa não era a intenção dele então não tinha porque se dar ao trabalho e se expôr tanto, a batalha toda era uma distração afinal, e caberia a Pazuzu, seu mais poderoso guerreiro, lutar contra Joana D’Arc. Com a guerreira escolhida pelos anjos fora do caminho capturar Amira seria um passeio no parque para Azazel, e ele talvez tenha ficado confiante demais por causa disso ou talvez seja da natureza dele como demônio mesmo. O fato é que mesmo sabendo que as chances eram que Pazuzu fosse eventualmente derrotado por Joana D’Arc, Azazel se deu ao luxo de lutar contra Favaro e Kaisar porque achou divertido. Não, ele não lutou, não foi bem isso o que aconteceu: ele brincou com Favaro e Kaisar porque achou divertido. Com isso ele perdeu um tempo precioso e se expôs, sendo eventualmente derrotado por Joana D’Arc, não sem a inestimável e verdadeiramente altruísta ajuda de Kaisar. Sem ele talvez Azazel não tivesse caído.

Kaisar retorna para ajudar Favaro

Kaisar retorna para ajudar Favaro

Os dois exércitos são estúpidos, os demônios apenas correm em direção à cidade para causar quanto caos puderem, e os próprios Azazel e Pazuzu são estúpidos. À favor dos humanos pode-se dizer que são bons em trabalho em equipe e improvisar em lutas contra indivíduos. Foi assim que uma Joana D’Arc privada de sua lança Maltet e a ponto de receber o golpe final de Pazuzu consegue derrotá-lo quando uma divisão de magos cria plataformas no ar por onde ela flanqueia o demônio e finalmente invoca sua lança sagrada (com isso Pazuzu certamente não contava), derrotando-o. Contra Azazel foi a mesma coisa, duas vezes. Na primeira Favaro e Kaisar tiveram sucesso em distraí-lo e Kaisar o flanqueou, perfurando seu peito em cheio antes que ele pudesse reagir. Provavelmente Azazel não estava lutando com todo seu poder nesse momento, mas ainda assim permanece o fato de que ele foi pego de surpresa. Só não morreu porque, como ele diz em seguida, armas humanas não podem matá-lo. Ele estava confiante demais. E armas divinas? No instante imediatamente posterior a esse, Favaro e Kaisar estão à beira do desespero por não saberem o que podem fazer, mas estão decididos a descobrir um meio, quando Kaisar vê um brilho em sua espada e rapidamente percebe que se trata de Joana D’Arc carregando o poderoso disparo de sua lança. Kaisar desiste da própria vida e corre em direção à Azazel, não para derrotá-lo ou atacá-lo porque ele sabe que é impossível, mas para distrair sua atenção e ficar entre o demônio e a guerreira santa para que ele não perceba o ponto luminoso à distância. Kaisar é derrotado, mas Azazel também é ao perceber o ataque apenas quando era tarde demais.

Enquanto Favaro distraía Azazel, Kaisar o flanqueou e perfurou seu peito

Enquanto Favaro distraía Azazel, Kaisar o flanqueou e perfurou seu peito

Felizmente Favaro salvou Kaisar de uma queda que teria sido com certeza fatal. Aliás, falando em desistir da própria vida, tenho quase certeza que foi o que Favaro fez no começo da luta contra Azazel também quando ele disse para Kaisar partir com Amira e levá-la até Hellheim em seu lugar enquanto ele lutaria “de demônio para demônio”. Não tenho certeza ainda se Favaro sabe o que está fazendo, tem algum tipo de plano, ou apenas age por impulso, ao sabor do vento, como seu pai dizia. De um jeito ou de outro ele tem seus amigos em alta estima, o que é positivo, embora sua personalidade inconstante faça com que ele muitas vezes os abandone,o que é negativo. Favaro é humano, afinal, e é sempre bom ver um protagonista humano. E que não faz tudo sozinho: Kaisar é tão ou mais importante que Favaro no combate contra Azazel. Quanto à Amira, Favaro a reencontra, ou melhor, ela o reencontra nesse episódio, e parece não se estar mais brava com ele. Na verdade ela parece mais infantil do que nunca, e está com manchas suspeitas pelo corpo. Favaro lutou por Amira, Kaisar lutou por Favaro, ambos lutaram juntos e não fosse por eles a já ferida Joana D’Arc talvez não conseguisse derrotar Azazel. Mas com os inimigos derrotados, Lavalley, que lutou com bravura pela Ordem de Órleans, age novamente segundo sua agenda secreta e atrai Amira até a estátua de Bahamut, onde a garota começa a ter visões sobre a lendária batalha que selou a criatura. Shingeki no Bahamut caminha célere rumo a um final épico.

Mais imagens:

Comentários