[sc:review nota=5]

Em apenas um episódio Ginko se transformou. Bom, talvez seja só o começo de um processo de transformação, mas foi um bom começo. Como não poderia deixar de ser, parece que a Kureha vai mudar também. Tudo isso embalado em flashbacks da Sumika que, assim como Lulu, ou talvez até mais do que a ursa castanha, representa a amante altruísta e epitomiza o próprio conceito de altruísmo no amor. Há ainda um pequeno fragmento da história da mãe da Kureha, uma fábula que representa o relacionamento impossível e a história que serve de suporte para tudo isso começa a me parecer mais insondável do que antes.

Começando pelo fim: a história do anime. Como era previsível, a diretora Hakonaka (uma ursa) parece estar envolvida até os cabelos na tal Tempestade Invisível. Kaoru Harishima, a garota alta e que não usa uniforme (ou talvez aquele seja o uniforme masculino, mesmo não havendo garotos na escola) se tornou a líder da turma da Kureha e aparece após ter mantido relações sexuais com uma outra mulher não identificada mas que acredito só possa ser a diretora, onde conversam sobre Kureha. Que a diretora se interesse por Kureha é óbvio: ela é filha de sua mãe, afinal, a quem Hakonaka entregou seu amor. Ursas até agora parecem devorar só dois tipos de pessoas: as invisíveis e as excluídas. Como a totalidade da turma é de invisíveis, parece natural que elejam uma excluída para aumentarem a própria chance de sobrevivência. Aparentemente há tempos essas eleições vêm sendo manipuladas para excluir Kureha, o que pode ser do interesse da diretora. Quando Sumiko ainda estava viva, ela se sacrificou por Kureha, tornando-se uma excluída em seu lugar. Não era intenção das demais garotas que ela morresse mas ela acabou morrendo. Ela pretendia apenas sair da vida de Kureha para que Harishima pudesse ocupar seu lugar, conforme acordo entre elas após Harishima prometer proteger Kureha da Tempestade Invisível. Era tudo uma farsa, provavelmente a diretora está por trás disso, mas Sumika morreu antes de descobrir a verdade. No aniversário de Kureha o plano se completa e uma espécie de cerimônia de exclusão é realizada após Harishima revelar que apenas enganou as duas esse tempo todo. E o que isso tudo significa? Para onde a história está indo? Não estou propondo nada não, estou fazendo uma pergunta sincera. Comente qualquer resposta que você possa ter, por favor.

A mãe da Kureha era uma escritora. Seu último livro não foi completado nem publicado, e Kureha possui a única cópia que existe dele. As personagens da história, possíveis referências à Reia (esse é o nome da mãe de Kureha) e Hakonaka são a Garota da Lua e a Garota da Floresta (adequadamente representada por uma garota com fantasia de urso). Assim como Ginko está com o pingente de Kureha, a Garota da Floresta estava com pingente da Garota da Lua. Ela queria devolver, elas queriam se encontrar, elas queriam consumar a relação que vinham mantendo à distância. A Deusa do Céu as instruiu, dizendo que deveriam se encontrar no meio do caminho entre a Lua e a Floresta. Lá chegando encontraram um espelho que deveriam quebrar para se encontrar. A história termina aí, abrupta, porque Reia morreu. Mas a perspectiva era aterradora: a Garota da Lua possuía um rifle e a Garota da Floresta tinha suas fortes garras. Ao espatifarem suas próprias imagens no espelho, enfrentando metaforicamente a si mesmas, seus ataques podiam muito bem atravessar o espelho e atingir a outra, do lado oposto.

Esse livro representava mesmo a história de Reia e Hakonaka? É uma possibilidade. Outra é que representasse a história – futura, no caso – de Kureha e Ginko. Reia conheceu Ginko, afinal. Terá Ginko dito algo a Reia que levou Hakonaka à matá-la? Será que Hakonaka sentiu ciúme de Kureha, pois agora ela tinha que dividir o amor de Reia com a filha dela? Qualquer que seja o caso, é possível que a história do livro seja um presságio para a evolução da relação entre Kureha e Ginko. O final aberto o torna especialmente interessante para esse propósito.

E finalmente, o tema que considero o mais importante desse episódio, que o torna um contraponto ao episódio anterior: o amor altruísta. Toda a história de Sumika revela que desde o começo essa era a sua forma de amar. Ela viveu por Kureha e morreu por Kureha, sem nunca pedir nada em troca, sem nunca cobrar nada, escolhendo até mesmo se afastar quando achou que isso seria o melhor por sua amada. Após os eventos do episódio anterior e suas consequências nesse, parece que Ginko e Kureha começaram a mudar sua forma de amar para uma mais altruísta também. A ursa conseguiu escapar da armadilha graças à Lulu, que também cuidou dela por todo o tempo enquanto esteve gravemente ferida. Ao despertar a única coisa que Ginko conseguiu pensar foi em Kureha, e um telefonema do juíz do Tribunal Yuri foi categórico: para provar seu amor Ginko deveria se jogar nas chamas. E ela fez isso. Ginko, mesmo ainda ferida, saltou nas chamas que ardiam sobre o jardim de lírios recém replantados apenas para serem incendiados diante dos olhos de Kureha. Dentro do fogo Ginko resgatou a última carta de Sumika para Kureha. Ginko provou o seu amor resgatando a prova de amor de outra garota por Kureha. Não pode ser à toa que Ginko pareça sofrer mais ao pegar a carta do que apenas com as chamas ao seu redor. E Kureha já estava amolecida desde o episódio anterior quando as garotas da sala (ainda que estivessem mentindo) se reaproximaram dela e nesse ela até sentiu a falta das ursas enquanto Lulu e Ginko estavam fora porque a primeira cuidava dos ferimentos da segunda e pretendia pedir desculpas a elas por ter sido tão dura antes. Nesse, após receber a prova de amor de Sumika como prova de amor de Ginko e ouvir de Lulu que Ginko a amava provavelmente Kureha irá mudar bastante no próximo episódio também.

Discussão