Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

 

 

Este post, ao contrário do que vinha acontecendo até agora, virá até vocês um pouco “poluído”. Eu explico: é que o último episódio de KnB que eu assisti foi ao lado da minha senpai, que ama um par de pernas masculinas à mostra este anime tanto quanto eu. Ou seja, as nossas ideias estão misturadas, mas em minha humilde opinião, isto só torna tudo mais divertido. Mas bem, sejamos sucintos desta vez.: chego a hora. Todos aqueles treinos e preparações para enfrentar o chefão final do jogo, o ex-capitão da Teiko, Seijuro Akashi. Eu já devo ter comentado antes, ou não, que é curioso o fato de ele ser o último desafio da história do anime ao mesmo tempo em que não sabemos absolutamente nada sobre ele. Mesmo os flash-backs são escassos, e o máximo que dá para deduzir é que ele é estratégico e usa um tipo de basquete que não depende de força, que se relaciona razoavelmente bem com o Midorima e que não é amigável (tipo, olá, tesourada na cara do Kagami?). Nunca o mostraram em quadra, mas agora o seu time está prestes a enfrentar o Midorimachi por uma vaga na final. Vejamos do que é feito o capitão da Geração dos Milagres, que também vem até nós com a maravilhosa voz do Hiroshi Kamiya AKA Orihaya Izaya/Ookoninushi.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


A primeira metade do episódio 4 é composta por uma historinha simples sobre o Kagami ter estragado o seu tênis e não ter um par sobressalente, e muito menos consegue encontrar o seu tamanho nas lojas, sendo obrigado a tomar um par emprestado do Aomine. Sério, Kagami? Quando eu jogava handebol eu tinha ao menos três pares, contando com o da escola,porque nunca se sabe quando esse tipo de coisa pode acontecer! Quase que você se ferra bonito, às vésperas de uma semifinal! Babaca.

 

Bela maneira de acordar, heim, Kagami-kun?

Bela maneira de acordar, heim, Kagami-kun?

 

Mas bem, ele consegue os tênis e chega em quadra a tempo de assistir ao jogo do  Shutoku x Rakuzan. A primeira bomba não demora a cair: os rivais têm em se time três dos cinco Reis sem Coroa. Lembram? Aqueles jogadores cujo talento foi ofuscado pelo time Teiko, mas que são tão bons quanto. O Teppei, do Seirin, é um deles. Então, o time principal conta com três Reis sem Coroa e o ex-capitão da Geração dos Milagres. Como ficar mais apelativo? Tá explicado porque diabos eles foram invictos em todos os jogos até agora! Tá, tô sendo chata, eles são o melhor time há cinco anos já.

O jogo tem início, e aparentemente quase toda a antiga geração está assistindo. O ruivo está confiante, mostrando o único lado de sua personalidade que nos foi apresentado: a arrogância. Os dois times seguem equilibrados no primeiro tempo, mas Akashi está apenas se aquecendo. Antes que ele mostre seus poderes, um de seus companheiros, o alegre Kotaro, o faz, executando um drible que usava a força de impulsão para alterar o ritmo da bola e distrair o oponente. Pessoalmente, eu achei esse movimento o máximo, porque como eu já disse antes, já joguei e esse truque também existia no handebol, só que tínhamos um limite de tempo de posse de bola por pessoa e, é claro, em Kuroko tudo é mais pirotécnico.

Pequena pausa, e começa o episódio 5. Começamos com um flash back focado no Shutoku, mais precisamente no capitão Miyaji, em como ele se esforça pelo time, e como pega no pé dos novatos porque acredita neles, essas coisas. Só pano de fundo pra reforçar a determinação do time. Só não acho que essa determinação seja o bastante para diminuir a diferença no placar que aumenta gradativamente. Midorima começa a botas as garras de fora, forçando a reação de Akashi e uma decisão com potencial catastrófico: ele marcará o ex-colega de shogi.

 

Kagami cede completamente ao domínio de Akashi.

Kagami cede completamente ao domínio de Akashi.

 

Os dez minutos de pausa são usados para absorver a informação e colher mais algumas: o talento do Akashi, conhecido como Olho, o levou a descobrir o talento do Kuroko. Mais do que isso, como alguns especularam, as habilidades dele o levaram ao posto de capitão do time Rakuzan. É uma situação atípica, mesmo em um caso como o dele: o capitão do time ser um primeiro anista de baixa estatura e, a melhor parte, respeitado pelos senpais! Era de se esperar que ao menos um deles se resignasse em estar abaixo de um novato, mas ele consegue manter a ordem no time. Não demora para descobrirmos o motivo disto. Assim que o jogo reinicia, todo o mistério é escancarado. Akashi tem um dom absurdo em prever os movimentos dos jogadores adversários, os dribles, fintas e arremessos em tempo de impedi-los. Além disso, a sua persuasão é poderosa a ponto de fazer com que literalmente se ajoelhem  na frente dele. Um terceiro fator é a habilidade que ele tem em se movimentar para o lado oposto do apoio de peso do adversário, causando uma reação instintiva rápida seguida de desequilíbrio e queda. Fica fácil ser arrogante assim, né? Muita gente ficou de cara com isso, e achou que o Olho era o cúmulo do exagero. Tipo, previsão do futuro? Tendo a concordar com eles, apesar de me esforçar para crer que tal habilidade nada mais é do que uma intuição bastante apurada e  lapidada com o tempo.

O jogo está praticamente perdido, ainda mais se considerarmos que apesar de ser a maior delas, o Akashi nem de longe é a única ameaça no Rakuzan. Os outros jogadores são excelentes, e a Shutoku mesmo se esforçando ao máximo não vê uma luz no fim do túnel. Mas uma coisa é certa: se eles caírem, vão cair com orgulho, lutando até o fim.

 

Ninguém há de resistir. Ninguém olhará de cima para ele. Ninguém ficará em seu caminho.

Ninguém há de resistir. Ninguém olhará de cima para ele. Ninguém ficará em seu caminho.

  1. Joel Marcello Inocencio

    Eu acho que a habilidade do Akashi é mais ou menos uma dedução, com base no que o anime mostra ele sempre ganhava do Midorima em jogos de estratégia porque ele deduzia e apartir daí ele criava um contra-ataque u.u (minha opinião)

Comentários