Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Bem no meio da temporada o episódio mais deslocado da série até agora. Não acredito que tenha sido acidental, contudo, e deve marcar o começo de mudanças, mas ainda assim ficou parecendo um pouco estranho. Um julgamento como outros que já houveram, mas dessa vez o juiz foi Ginti, aquele juiz ruivo que apareceu no episódio anterior querendo tirar satisfação com o Decim por ele não ter julgado a Mulher de Cabelo Preto ainda. Ele não parece se importar muito com as almas que julga e explica as regras (e as muda) no decorrer do jogo. Mais estranho ainda, o episódio termina sem revelar o resultado do julgamento. A garota que foi julgada aparece na abertura então imagino que ela deva continuar por aí azucrinando o Ginti. Bom, isso é o mínimo que ele merece.

Curta o anime21 no facebook:

Os jogadores-almas-penadas foram Harada, um idol, e Mayu, uma fã sua. A garota é extrovertida demais para os padrões japoneses e tem uma ordem de prioridades bem pouco convencional, mas algo que se espera do estereótipo de garota jovem capaz de dedicar tanto de sua vida a ser fã de um ídolo pop. Já Harada é frio e distante em seus pensamentos, mas mantém uma máscara de sedução e estrelismo infalível. Os dois são tão caricatos e escondem tanto de si mesmos atrás de máscaras que não é difícil imaginar esse julgamento como potencialmente o mais complicado até agora, já que o que os juizes tem que fazer é precisamente forçar os jogadores a revelarem suas verdadeiras personalidades.

Só que o juiz da vez é o Ginti. Ele parece entediado do começo ao fim (e provavelmente está), age quase com desprezo em relação aos jogadores e esconde deles muito mais informações do que realmente necessário. Parece que ele está com uma imensa má vontade em realizar seu trabalho. Se Decim costuma apenas citar a morte para que os jogadores entendam errado achando que se perderem morrerão, Ginti os coloca em situação de risco de vida durante o jogo mesmo. Bom, seriam situações de risco se eles estivessem vivos. Se não fosse pela Mayu esse julgamento teria sido ou muito chato ou muito tenso.

A garota rouba a cena o tempo todo. É do tipo extrovertida naturalmente, mas diante de seu ídolo e pior, participando sozinha de um jogo contra ele, ela perde completamente o controle. Isso perturba Ginti (mas acho que tudo perturba ele) e incomoda até mesmo Harada, que aparentemente prefere mulheres mais recatadas. Na verdade Harada é construído para parecer um grande idiota, que brinca com o coração de garotas e depois as joga fora, durante quase todo o episódio. Apenas no final é revelado que apesar de ser sim um galinha não é como se ele não se importasse com as garotas. Em um caso, uma garota com quem ele rompeu (e ele fez isso como quem diz “bom dia”) cometeu suicídio e ele se sente culpado até hoje. É um trauma tão grande para ele que não duvido que ele tenha fechado ainda mais seu coração após o incidente. Bom, ainda assim ele age como um idiota. Suponho que não faltem idiotas de bom coração no mundo. Não importa quanto você se importe com alguém, se agir feito um idiota ainda assim irá machucar a pessoa. Mayu, por outro lado, é honesta até demais, e creio que seja isso que molde o seu comportamento. Mas ela parece esconder um vazio muito grande dentro de si e o fanatismo pelo ídolo parece ser apenas uma forma de preenchê-lo.

No final do jogo (uma versão mais mortal de twister) a Mayu se sacrifica para salvar o ídolo. Bom, mais especificamente ela se sacrifica para não fazer xixi nas calças e estragar sua imagem na frente do ídolo, mas creio que, dada sua personalidade, ela acabaria tomando essa decisão cedo ou tarde, a bexiga cheia apenas acelerou as coisas. E nesse momento Harada tem a oportunidade de se redimir: por não querer ver alguém morrendo por sua causa de novo ele tenta salvá-la, no que não obteve sucesso. Em seguida o jogo acaba e eles se recordam que já estavam mortos. Foram mortes bastante incomuns, aliás: Mayu morreu escorregando no banheiro e batendo a cabeça (adequado para uma cabeça oca como ela) e Harada foi assassinado à bomba pela irmã da mulher que se suicidou por causa dele (adequado para um galinha também, suponho).

Tudo nesse episódio foge do convencional. O Ginti é um juiz chato pra caramba (chato com os jogadores, para a audiência até que ele é divertido) e em seu jogo, como já disse antes, as regras são explicadas e alteradas durante o andamento. Além das ameaças de morte. No final ao invés de ser revelado para onde cada um foi enviado o Harada dá um show para todo mundo no além, para a alegria da Mayu. Não foi um episódio ruim. Se qualquer coisa, foi bastante engraçado. Mas foi tão estranho no conjunto até agora que fica a impressão que faltou algo. De todo modo, como a Mayu aparece na abertura, aposto que ela irá continuar no anime e provavelmente ao lado do Ginti, e aumento a aposta dizendo que ela ficará ao lado dele justamente porque ele é um péssimo juiz. Claro que os protagonistas ainda são Decim e a Mulher de Cabelo Negro, mas esse episódio e essa possível transição da Mayu podem ser importantes para lançar alguma luz no que se passou com a própria Mulher de Cabelo Negro, sendo ela também uma alma de uma pessoa já morta que no entanto permanece sem julgamento.

Comentários