Esse episódio trouxe tantos elementos que eu decidi fazer este review de forma um pouquinho diferente do que eu costumo fazer. Não resumirei os acontecimentos de forma linear mesclados à minha opinião. Não, desta vez eu separarei estes vinte e poucos minutos em três categorias diferentes, cada um representando um aspecto da vida do Takeo e destrinchando a sua relação com a sua mãe, sua namorada e seu melhor amigo.

Primeira parte, a mãe de Takeo. Ela já aparecera algumas vezes no anime, com uma aparência bem exótica para uma japonesa, e um comportamento característico de uma pessoa forte  independente que nos faz pensar a quem ele teria puxado, hehe. O pai dele ainda não apareceu, mas não existem conflitos na família pelo visto. Mas a mãe de Takeo foi a portadora de uma das notícias mais surpreendentes do episódio: ela está grávida. Sim, aos 40 anos e mãe de um único rapaz adolescente, ela terá outro filho. Melhor parte: ela diz isso como se estivesse anunciando que o jantar será sopa de misso. Ver o jeito com que Takeo se preocupa (até demais) com a mãe, sempre perguntando se ela está bem e como se sente, é gostoso de assistir. Ele tem cara de quem será um daqueles irmãos mais velhos super legais e prestativos, mas um pouco grudentos. Tomara que não seja uma menina, senão olha, ela vai sofrer… Ah, em dado momento a mãe dele comenta que ele é preocupado “que nem o pai”. Quero, tipo, muito conhecer essa figura.

 

"Uma vez, quando estava grávida de você, tive de carregar outra grávida para a sala de parto, quando ela foi dar a luz antes de mim." MÃE DO TAKEO RULEZ!

“Uma vez, quando estava grávida de você, tive de carregar outra grávida para a sala de parto, quando ela foi dar a luz antes de mim.” MÃE DO TAKEO RULEZ!

 

A segunda relação a ser (mais) explorada é a dele com a namorada. Yamato pergunta quando é o aniversário dele, e ele o dela. Que, coincidentemente, é dali a 10 dias. Vem mentir pra mim você começou o assunto sem malícia nem segundas intenções… Aliás, é curioso que os dois ainda não soubessem a data de aniversário um do outro, visto que namoram há algumas semanas já. Takeo fica todo empolgado e logo começa a planejar um dia inteiro de felicidade ao lado da amada… e de Suna. Sim, o plano inicial é que os três saiam juntos como sempre, inclusive a própria Yamato pede que Takeo o convide, já que o loiro parece meio estranho e tristonho ultimamente. A teoria dela é de que ele se sente abandonado por não ser mais a “pessoa especial” do melhor amigo, mas não precisa ser especialista no Suna pra sacar que não tem nada a ver isso aí. Ele gosta de Takeo, e gosta da Yamato, e fica genuinamente feliz em vê-los juntos e felizes, mas também gosta de ficar sozinho e não é do tipo que se magoaria por tão pouco. Mas numa coisa ela está certa: tem sim algo de errado com ele, e pra alguém tão desligado quanto o Takeo ter percebido, é grave. Mas Suna, claro, nega todas as acusações, rejeita o convite e ainda ajuda o amigo a planejar o dia perfeito, com direito a conseguir emprego pra poder comprar o presente da namorada. Yamato fica aliviada e ansiosa pelo grande dia. Mas há um terceiro fator na equação, que é justamente o centro do episódio inteiro. O melhor amigo.

 

Takeo arrumou um emprego... em um Male Cafe?  ~Ba dum tss~

Takeo arrumou um emprego… em um Male Cafe? ~Ba dum tss~

 

Suna é um garoto gentil e imprevisível, que se preocupa mais com os outros e não dá a mínima pra si mesmo. Se ele fosse um aluno de Hogwarts, seria a mistura perfeita entre um griffinório e um lufano. O ruim é que essa personalidade desinteressada acaba fazendo com que ele não se dê a devida atenção nos momentos em que ela é extremamente necessária, como agora. Eu explico: o pai de Suna tem problemas cardíacos e está no hospital. Então, ele fará uma cirurgia séria no dia 15 de junho. Aniversário da Yamato. Por isso o garoto estpa com a cabeça cheia, mas não negou em nenhum momento em ajudar o amigo com o dia especial dele. Além disso, não contou o que estava acontecendo, Takeo só soube porque sua mãe contou. Quando pressionado, Suna rejeita o amigo e diz que não quer que ele adie a comemoração para acompanhá-lo no hospital porque isso o faria se sentir pior. Suna, Suna… Tão altruísta, tão dedicado que esquece que ele também é importante.Tão importante quanto Yamato, quiçá mais. Dou a você um conselho que dei ao Takeo uns reviews atrás: seja mais egoísta, peça colo, consolo e atenção, você tem todo esse direito. É pra isso que servem os amigos, pros bons e maus momentos.

Takeo recuou e aceitou a decisão de Suna, resolvendo prosseguir com a comemoração e não acompanhá-lo no dia 15. Devo dizer, minha impressão inicial foi de que esse comportamento não combinava nem um pouco com ele. Ok, ver o Suna alterando sua voz e expressando seu desejo abertamente pode ser desconcertante, mas a solução para esse impasse é óbvio e simples. Eles nem precisavam se preocupar em magoar a Yamato, bastaria dizer que algo sério aconteceu e ela entenderia facilmente. Suna só precisa ceder. Mas aí eu lembrei, poxa, é o Takeo! Nem ferrando que ele vai conseguir se divertir com a namorada quando o melhor amigo tá segurando essa barra sozinho! Com certeza ele vai fazer algo louco e impulsivo, como correr por hospital em cima da hora e fazer esse loiro perceber que não está sozinho.

Apenas mais um comentário: eu sei que japoneses costumam ser discretos e introvertidos. Mas eu, como brasileira, sinceramente não compreendo como eles podem ser amigos desde sempre e o Takeo não fazer ideia de que o pai de Suna tinha problemas de saúde. Claro, em termos de compreensão mental é fácil de assimilar, mas usando o coração fica complicado. Dá a impressão de que a amizade deles é tão superficial quanto o namoro com Yamato. Suna, um bobo e Takeo, um desligado. Como dão trabalho!

 

Quando eles derrubarem esta parede, a amizade deles evoluirá novamente.

Quando eles derrubarem esta parede, a amizade deles evoluirá novamente.

Discussão