Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

 

Durante o episódio 18, eu entendia a motivação de Kain, o shirushigami. Não aceitava, mas dava pra entender a sua fúria e seu ressentimento mal direcionados. No entanto, tudo veio por terra no episódio 19, tanto o meu lado que o defendia quando o lado que defendia, basicamente, qualquer personagem da história. Seja o Rinne, seja a Ageha, seja o Rokumon. Todo mundo ali tá errado, todo mundo é culpado, todo mundo merece ser punido. A lista de motivos pra isso é enorme, mas tentarei resumir da forma mais simples e parcial possível. Ahh, a quem quero enganar? Vou apontar o dedo na cara de todo mundo, se preparem!

Curta o anime21 no facebook:

O culpado por todas as merdas que acontecem na vida não só do Rinne, mas da maioria dos personagens do anime, é Sabato. Ele manipula as mulheres, rouba do próprio filho e forja o seu carimbo para continuar usando-o como fiador. O cara é um crápula, um canalha sem limites, mas e aí? Ninguém faz nada pra mudar isso? Todos os anos que ele invadiu a casa da mãe pra roubar as coisas do garoto, e ela nunca foi capaz de mantê-lo longe? Sei lá, coloca barreiras na casa, chama a polícia sobrenatural, dá uma surra com gosto, se muda, manda Rokudou morar no plano físico com o avô até ele ser capaz de se virar sozinho. Melhor do que não ter nada dentro de casa pra chamar de seu e ser exposto a um doador de esperma (pai é outra coisa) miserável desses. Mas vamos pular o passado, e ficar no presente: lábia. Sabato tem uma língua poderosa que convenceu a irmã de Ageha e a mãe de Kain (e algumas dezenas de outras garotas) a ajudarem-no sempre que possível. No primeiro caso, ela não só trabalha com ele como o suporta em suas mentiras e ajuda em roubos! Olha, sinto-me tentada em bater o pé para o fato de o seu caráter não ter valido grande coisa desde o começo, porque se eu for considerar que uma garota pode mudar tanto assim, e com a consciência limpa, por causa de macho, eu terei sérios problemas de indignação. Já sobre a senhora boba e sonhadora, é quando a coisa vira bagunça e eu perco a paciência: todo mundo naquele cômodo sabe que ela está sendo descaradamente enganada. Tipo, Sabato está confortável em sua posição a ponto de aparecer na mansão, com a amante, na frente de todo mundo pra pegar mais dinheiro emprestado, vejam só. E ela empresta, crê na conversinha de que a loira gostosa é irmã dele (mesmo sob os protestos de Ageha), pede comidas caras fiado para agradá-lo e NINGUÉM FAZ MERDA NENHUMA. Todo mundo come os pratos luxuosos sem a menor culpa e simplesmente lavam as mãos. Ninguém se prontifica a ir até ela e dizer “Ó, tá vendo esse canalha? Não vale nada, mó chave de cadeira, amassa e joga fora, tá te usando feito papel higiênico!” Nem Kain faz isso, porque não quer machucar a mãe, mas ele não vê que deixá-la pagar de otária é muito pior? Sei lá cara, a minha irritação ao assistir todo esse circo descabido não tá no gibi. Pra fechar a palhaçada, Sabato tá bem ali, ao alcance de uma foiçada, mas Kain está mais preocupado em impedir que Rokudou pegue a chama da vida de volta. Não, caras, eu não nasci pra isso. Pegue essa droga de chama logo e vai embora, por favor.

Pausa na treta para um lanchinho caríssimo.

Pausa na treta para um lanchinho caríssimo.

Já episódio 20 é bem fillerzinho mesmo. Resumidamente, os espíritos que Sakura vê começam a frequentar sua casa pela primeira vez na vida, e ela não sabe o porquê. Então, contrata Rokudou para descobrir a causa e exorcizá-los, mas Tsubasa e Ageha descobrem, entendem errado (mas nem tanto) e tentam a todo custo impedi-los de estarem sozinhos no quarto dela. Eles vão de surpresa, enchem o saco de todas as formas possíveis, frustram o shinigami e, é claro, Sakura nem percebe (ou não liga) pra isso. Depois de muita gritaria, ele descobre que uma ampulheta que ela ganhou na excursão que fez ao mundo shinigami quando era criança era o que os mantinha afastados, então basta reabastecê-la com areia nova para que o efeito seja renovado por mais 10 anos. O problema é que Ageha a quebra, e as amostras grátis estão esgotadas, forçando-o a comprar uma nova. Preço da brincadeira? 20 mil ienes, mais de 400 reais. Claro que ele ia cobrar o prejuízo de volta (o que acho injusto, considerando o quanto ela já o ajudou e pagou coisas pra ele), mas ficou tão abestado com a alegria de sua amada que deixou pra lá. Chorando sangue, mas deixou. E essa atitude extremamente mão aberta, somada com as outras que ele já teve antes, só acrescentam mais evidências ao mural “Hey, garota, ele tá tão na sua!”. Mas claro que ela não vai descobrir nada disso, nem perceber o quão difícil para ele é abrir mão de suas preciosas latas de comida para presenteá-la. Quem sabe, com pistas mais óbvias, ela perceba os sentimentos dele e os próprios. Um pedido de casamento seria um bom começo.

No fandom de Rin-ne, eu sou a garota de rabo de cavalo.

No fandom de Rin-ne, eu sou a garota de rabo de cavalo.

Comentários