[sc:review nota=4]

Quando faltam comédias decentes na temporada, a gente apela pros haréns mais engraçados! Eu queria poder dizer que Shomin Sample é uma comédia incrível, mas na maior parte do tempo ele erra o tempo das piadas, insiste demais nelas ou anuncia desde muito cedo que vão acontecer. E só estou falando das piadas boas, que nem são tantas assim. As piadas ruins são ruins, não me importo. Algumas calcinhas na cara aqui, enquadramentos de peitos e bundas ali, e a gente sabe que está vendo uma droga de um harém. Que como harém é uma droga também, com seus personagens absolutamente clichês ou ridículos (ambos, na maior parte do tempo). Mas é divertido! Dá pra rir e dá até pra torcer pelas garotas, e não é como se tivesse muita coisa melhor nessa temporada, então vou cobrir Shomin Sample aqui no Anime21.

O Kimito é tão desinteressante quanto se espera de um protagonista de harém. A única coisa divertida sobre ele é a piada recorrente sobre ele ser um gay com tara por músculos (o que ele não é, evidentemente, e a piada é ele ter que fingir ser para não ser castrado), mas ela é pouco e mau usada. Nesse segundo episódio apenas sua empregada particular, Miyuki, lembrou disso logo no começo, mas nem foi tão divertido assim. Por outro lado, a Miyuki irritada por ter que servir um plebeu consegue ser engraçado mesmo repetido inúmeras vezes. Tem algo na indiferença com a qual a Miyuki deseja o pior para seu “mestre” em voz alta e nos chiados de desprezo que ela faz que sempre me deixa pelo menos sorrindo. Grande parte disso provavelmente é graças ao trabalho da dubladora (Saori Ounishi, que fez a Doppel em Monster Musume, a Aiz em Dungeon, e parece ter muitos papéis com personagens desdenhosos ou pouco expressivos). Outra parte é apenas a repetição: comédia é repetição. De todo modo, ainda no primeiro episódio eu não esperava que fosse gostar da Miyuki, mas agora no segundo ela já se tornou minha segunda preferida.

Porque a primeira não poderia ser outra senão a haremete de cabelo laranja: Aika Tenkuubashi. Por algum motivo ela tem um terrível complexo de inferioridade, a ponto de evitar completamente o contato com todas as outras garotas da escola para não passar vergonha. Ela só não tem problemas para se relacionar com o Kimito, afinal ele é apenas um plebeu. E como ele se tornou popular na escola a Aika acredita que se aprender com ele tudo sobre plebeus ela também poderá ser popular. Cada vez que ela fala sobre como se sente inferior dá uma pena dela, dá uma vontade de torcer para que ela supere isso, mas bom, isso é uma comédia, não vai acontecer. Ele vive sonhando em ser a garota mais popular da escola (porque ser apenas mais uma garota popular não é o bastante para ela), e ao contrário do que seria de se esperar ela é bastante animada a maior parte do tempo. Pode ser que seja assim apenas porque a maior parte do tempo ela aparece com o Kimito e que sozinha ela seja um poço de depressão, mas é difícil imaginá-la assim.

A parte alta desse episódio foi com a Aika, mas isso foi só no fim, depois do Kimito passar boa parte do tempo alugado pela representante de classe, a Reiko, e pelo baile de boas-vindas que ela organizou para ele. Um pouco antes, durante o almoço, a Miyuki (sempre ela!) deu um cup noodles para o Kimito comer. Segundo pesquisas dela, é isso que os plebeus comem! Claro, como não? Só eu que acho que deveriam contratar investigadores melhores nessa escola? Enfim, Kimito fica compreensivelmente frustrado com seu grande almoço, balanceado e nutritivo, mas as garotas todas vão à loucura apenas com o cheiro. E aí todas querem experimentar, e a forma mais inteligente que encontraram para isso foi repartir um único cup noodles entre dezenas de garotas. E pela solenidade (??) da situação, usaram sua melhor prataria para comer. Deu um pedaço de macarrão para cada e umas três gotas de água de miojo. As sortudas ainda ganharam um grão de milho ou pedaço de carne moída. A piada, lógico, foi com as porções minúsculas de alguns pratos chiques em restaurantes caros. Elas amaram.

No baile, Kimito estava indo muito bem. Eu achei que ele parecia suficientemente nobre no meio daquelas garotas nobres todas. Ah, e me incomodo de falar nobre o tempo todo porque ninguém ali tem título de nobreza de verdade, são apenas gente podre de rica, mas nos modos eles emulam a nobreza tradicional, então vá lá. Japoneses têm uma noção um pouco diferente do que seja “nobreza”, e isso é só um anime escroto, não vou ficar criando caso. Retomando, Kimito foi muito bem durante o baile, até mesmo durante a dança. Quero dizer, durante a dança ele não foi nada bem, começou a girar feito um retardado (parece eu na balada) e deixou a Reiko tão tonta que ela caiu. Mas ponto para o anime, porque quando eu achei que fosse vir uma piada idiota de garoto caindo em cima da garota, ele conseguiu segurá-la e ainda parou em uma pose digna de grandes dançarinos. Não cheguei a rir, mas fiquei feliz só por terem se esquivado com sucesso do clichê. Mas não fizeram isso na cena do banho: ali o Kimito a viu nua mesmo. E agora ela decidiu que eles precisam se casar e fica vendo menções a noivado e casamento em tudo o que ele fala.

Aika e seu stand!(deu um trabalhão montar esses quadros, mas valeu a pena)

Aika e seu stand!
(deu um trabalhão montar esses quadros, mas valeu a pena)

Kimito não vai casar com você não, viu Reiko? Se for pra casar com alguém, que seja com a Aika. Ou não, Kimito, casa com a Reiko sim, deixa a Aika pra mim, hehe. Bom, daqui a alguns anos né, porque hoje seria pedofilia. Uma cena particular com a Aika me intrigou: durante o banquete de cup noodles ela comeu sozinha um bentô bastante normal. Achei que nenhuma garota ali estivesse acostumada com nada que sequer pudesse parecer normal. E infiltrada ela não é, porque é sem noção de tudo como todas as outras (e acaba sendo enganada pelo Kimito por causa disso), mas ao invés de um prato requintado servido por sua empregada em utensílios caríssimos, ela estava comendo salsicha em formato de polvo, tamagoyaki e sushi em um bentô tradicional mesmo. No banheiro, escondida. Será que existe algum significado por trás disso? Talvez alguém em sua família tenha origem plebeia? Talvez sejam novos ricos? O que não faz sentido ainda assim é que daí ela devia saber algo sobre plebeus, e ela não sabe nada.

Caso em tela a melhor cena do anime, quando ela foi ao quarto do Kimito para as atividades de seu Clube Plebeu. Sem saber o que fazer, apenas bisbilhotou o quarto dele até que se interessou pelos mangás – que sequer sabia como ler. Aika, garota, você lê o mangá como lê qualquer livro. E ao longo do dia ela devorou uma longa série inteira. Achei bacana como os dois conseguem ficar juntos tanto tempo sem fazer nada, apenas convivendo e dividindo o mesmo espaço. A Aika é ou não é a melhor garota? Eles têm ou não têm a melhor química? Mas ela ainda é uma nobre sem noção, então ela acreditou que o que ela leu no mangá era verdade! E que, portanto, plebeus têm poderes psíquicos de verdade! Ao invés de desmentir, o Kimito enrolou ela e a “ensinou” a parar o tempo fazendo uma série de coisas ridículas – e lógico, fingiu que havia funcionado ficando parado como uma estátua. Ela achou o máximo, aproveitou até pra mostrar a calcinha na cara do rapaz (LOL), e ponto pra ele por não ter se desesperado como um protagonista boboca teria. Ele manteve o ato, parando só na hora que ela decidiu beijar ele. Ela estava só testando? Ela já tem algo por ele? Em todo caso, um ponto pro Kimito que não se desesperou de novo e outro por não ter se aproveitado da situação. E um ponto pra Aika que não o espancou desesperada (não muito pelo menos … ok, meio ponto só). Mas de novo: eles têm ou não têm a melhor química?

Discussão