Segundo artigo de primeiras impressões! Já leu o artigo anterior, sobre BokuMachi, Dagashi Kashi e Rakugo Shinjuu? Assistiu os animes? Leia e assista porque vale muito a pena! Principalmente assistir, hehe, mas por favor leia meu artigo também!

Os animes da vez são Prince os Stride, Nurse Witch Komugi-chan R e Haruchika – Haruka to Chika wa Seishun Suru. No artigo anterior eu lamentei como os animes eram tão bons que eu me sentia inseguro para escrever sobre eles, mas nesse aqui não tive esse problema. Não que eu tenha me tornado subitamente mais confiante sobre minha redação, mas sim que os animes não são tão bons quanto aqueles três. Ah, não interprete isso de forma negativa, viu? Eles são bons sim, e dependendo do seu gosto eles podem ser muito bons! Só não são BokuMachi e Rakugo Shinjuu. E a comédia da vez não é um Dagashi Kashi.

E sem mais enrolação, continue lendo esse texto para saber o que eu achei dessas três estreias da temporada!

Isso é material pra fujoshi, não é?

Isso é material pra fujoshi, não é?

Prince of Stride, episódio 1 – Esporte divertido, anime colorido

O ponto forte de Prince of Stride, pelo menos desse primeiro episódio, foi sua aparência em geral. Eu achei-o muito bonito, gostei do traço dos personagens, é tudo muito colorido e a animação é bastante dinâmica. Agora que já estou aqui não tem jeito né? Lá vou eu assistir um anime esportivo de novo! Eu já disse muitas vezes mas sempre repito: o que me afasta da maioria dos animes de esporte são os movimentos, manobras, acrobacias e congêneres inverossímeis. O último que assisti foi Yowamushi Pedal, sobre ciclismo, e eu quis explodir meu computador quando um personagem venceu uma corrida que até então estava quase empatada, com ligeira desvantagem para ele, jogando o corpo para trás e ficando literalmente pendurado na traseira da bicicleta, que, “lógico”, foi para frente com isso. Eu não engulo essas coisas – especialmente as inventadas na hora. Quando é um “movimento especial” do personagem que eu já conheço e não faz sentido é ruim também, mas eu pelo menos já espero por isso né? Mas quando é assim ad hoc eu quero simplesmente morrer.

Entra Prince of Stride, um dos animes de esporte fictício da temporada (o outro é Ao no Kanata, que eu pretendo assistir também). Por ser fictício a suspensão de descrença já é maior, e veja só, Prince of Stride é baseado em corrida freestyle, que já é uma prática esportiva onde os movimentos tendem a ser inacreditáveis e improvisados. Assistiu o episódio e achou alguma das acrobacias exagerada? Pois eu achei-as todas perfeitamente normais. Assista esse vídeo aqui de pessoas reais, de carne e osso, fazendo coisas muito mais incríveis. Existem pessoas reais fazendo coisas incríveis em todos os esportes, é verdade, mas há uma razão para clubes de basquete profissionais não jogarem como o Harlem Globetrotters. O dia que fizerem um anime sobre basquete freestyle eu vou assistir com certeza e não vou reclamar de nenhuma manobra que inventarem. Prince of Stride, por sua vez, já é um anime sobre corrida freestyle, então só me resta sentar, assistir e me divertir. A animação com certeza transmite bem o que é um anime de esporte e o que é um anime com movimentos incríveis.

Sobre os personagens não tenho muito o que falar ainda. Tem o quieto e profissional, tem o inquieto e desajeitado com enorme potencial, e tem a … garota. Bom, para todos os efeitos desse anime parece que “garota” virou um arquétipo de personalidade. Até faz sentido, dado ser um anime baseado em um jogo para garotas, mas é um pouco constrangedor. Principalmente quando ela se sente insegura sobre sua habilidade de ficar parada transmitindo informações via rádio. Bom, é isso aí, o episódio foi divertido, recomendo que assista, e se o anime mantiver o ritmo pode vir a ser muito bom.

Gosto da mensagem

Gosto da mensagem

Nurse Witch Komugi-chan R, episódio 1 – Nunca ninguém se vendeu tão barato por uma barata

Komugi é uma adolescente que está no primário ainda (então tecnicamente é pré-adolescente, eu acho? mas sem dúvida o corpo é mais velho do que deveria…), e é uma idol local, dessas que faz shows em lojas do bairro e etc. O sonho dela é ser uma idol famosa, naturalmente. Ela inclusive tem uma colega de classe que já é uma idol famosa, cantora, atriz, enfim, já está certeira no caminho que ela pretende seguir. Como alcançá-la? Será que a Komugi vai conseguir apenas com seu esforço vencer os desafios e alcançar sua amiga …?

Não importa, esse não é um anime de idol. Por uma série de eventos que começaram no momento em que ela encontrou uma bola peluda falante sendo maltratada por um gato e tratou os ferimentos dela, Komugi acabou se tornando uma garota mágica! Monstros começam a aparecer a espalhar o caos e a infelicidade, e Komugi se torna a Nurse Witch para salvar as pessoas! Um trabalho anônimo, que não traz nenhum benefício para ela, só riscos e desvantagens. Nesse episódio mesmo ela perdeu a chance de estrear no cinema derrotando seu primeiro monstro. Será que a Komugi vai suportar as dificuldades e perigos que agora fazem parte de sua vida para salvar as outras pessoas da forma mais altruísta possível? Será que ela não irá mais aguentar em algum momento? Será que enfrentará um inimigo forte demais?

Ah, relaxe, Nurse Witch não é um anime de garotas mágicas sério. É uma comédia, uma paródia mesmo. Usa-P (a bola peluda falante) repetiu inúmeras vezes antes dela finalmente aceitar se tornar uma garota mágica como ela precisaria vestir roupas constrangedoras em troca do poder – não é à toa que ela recusou de novo e de novo. Mas ela finalmente aceitou quando se viu em uma situação tensa que ela não conseguia encarar sozinha. Na verdade ela não conseguia encarar de forma alguma, e Usa-P aproveitou para bondosamente chantageá-la: ele a ajuda, ela aceita virar garota mágica. A situação? Tinha uma barata na rua. Pelo menos a roupa não era constrangedora no fim das contas, isso estava só na imaginação do mascote mágico.

O reencontro dos amigos de infância não foi muito calmo

O reencontro dos amigos de infância não foi muito calmo

Haruchika – Haruka to Chika wa Seishun Suru, episódio 1 – Idade misteriosa

Adorei o character design de Haruchika desde que vi os anúncios sobre o anime e depois o vi em movimento nos trailers. E assistindo o episódio pude apenas confirmar o quão bonito ele é, principalmente da protagonista, a Chika. Ou talvez só o dela que seja assim tão especial? Esses olhos arco-íris dela são lindos demais. Outros personagens têm olhos parecidos, mas não tão coloridos, vivos como os dela.

E é um musical mas nem tanto. O clube de sopro têm só cinco membros, e isso porque a Chika acabou de entrar. Pena que ela não sabe tocar nada de sua flauta. Esperamos que ela aprenda ao longo do anime, não esperamos? Enquanto isso o clube se vira só com uma trompa, uma trombeta, um bombardino e um oboé (acho que era um oboé). Com flauta ou sem flauta, que conjunto esquisito. Nada de muito musical ainda, na verdade na única curta cena dedicada exclusivamente ao ensaio do clube, o anime tocava uma música de fundo ao invés de tocar a música deles. E sequer era uma música de metais, mas sim de piano. Assim, para ficar bem óbvio até para quem é completamente analfabeto em música que aquilo jamais poderia estar saindo dos instrumentos deles. Uma pena.

E é um anime de mistério mas nem tanto. Não sei como serão nos próximos episódios, mas nesse não havia absolutamente nada que nós espectadores pudéssemos fazer para tentar resolver o caso. Sequer dicas indiretas, como informações que só o espectador soubesse ou análise de comportamento ou mesmo o bom e velho clichê. Tinha um mistério lá e o Haruka conseguiu resolver. Hehe, mentira, ele não resolveu nada. Mas não vou estragar a surpresa para quem não assistiu ainda. Para todos os efeitos ele resolveu. Assista e entenda do que estou falando.

No fundo, é um anime sobre seus personagens. Adolescentes crescendo e tentando saber o que querem ser da vida. E nisso ele é muito interessante, pois gostei dos seus protagonistas. No começo eu tinha achado a voz da Chika estranha, parecia madura demais para uma personagem de aparência tão jovem. Mas ao longo do episódio ficou claro o que acontece: ela sempre foi impulsiva, infantil, moleca, e decidiu que quando entrasse no ensino médio se tornaria uma “garota refinada”, mais feminina e madura. É difícil mudar assim de uma hora para outra, não é? A voz dela reflete isso, alternando entre uma voz madura demais para sua aparência e uma voz de uma garota agitada e impulsiva de acordo com a situação. E isso acontece bastante porque ela reencontrou um amigo de infância que a conhece muito bem.

Chika havia perdido contato com Haruka há alguns anos, e se reencontraram por acaso no colégio. Ele expõe a personalidade que a Chika queria esconder, e conforme ela se irrita com ele acaba se expondo ainda mais. A máscara caiu. É nesse contexto que ela precisa descobrir o que ela quer ser de verdade. Não porque ela era quando criança, não porque ela viu na TV e achou bonito, nada disso é critério de escolha. O que você quer ser, Chika? Do outro lado está Haruka, que tem planos bem delineados para o futuro e está se esforçando para conseguir realizar seu sonho. Uma peculiaridade sobre ele porém tende a apimentar sua história.

Enquanto resolvem casos, enquanto criam casos, enquanto aprendem a tocar, enquanto tocam sua própria música, Haruka e Chika estão crescendo e vivendo esses poucos anos muito loucos quando já se é velho demais para ser criança mas ainda novo demais para ser adulto.

  1. Haruchika me decepcionou um pouco, e se o foco do anime for aquele triângulo lá vai ser meio sem graça, mas vou assistir mais alguns episódios pra ver no que dá. Prince of Stride foi um pouco ‘-‘ , não é ruim, mas não quero assistir mais 11/12 episódios desses.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Prince of Stride é estilo, se você se diverte com o estilo e aquela ação, vc se diverte com o anime. Acredito que não haverão episódios muito diferentes viu? Talvez alguns episódios com menos ação, vai saber. E episódios com ainda mais ação, lógico.

      Haruchika por outro lado eu não acredito que o tal “triângulo amoroso” vá render. Um dos vértices é o professor! É só uma quedinha adolescente dos dois, vão falar sobre isso de vez em quando, talvez cheguem a fazer uma ou outra coisa mais séria ou direta (como nesse primeiro episódio mesmo), mas a história não é sobre isso, segundo o que eu entendi.

Discussão