Aqui estou eu! Fiquei sem postar semana passada por alguns assuntos sérios, tipo meu portfólio. Eu até poderia mostrar pra vocês, e falar que valeu a pena ficar sem postar uma semana, porém, acho que ninguém aqui liga pro meu portfólio. Enfim, continuando o post passado, animes recentes sobre esportes, aqui vamos nós.

Ah sim, eu sei que nos meus posts eu não coloco uma sinopse do anime, e nem todo mundo conhece os animes que eu assisto, porque são chatos, eu sei, mas, pra contrariar isso eu vou colocar uma sinopse deles aqui e nos posts futuros também. Eu só não fazia isso porque é estranho escrever algo que eu já sei muito bem, e eu tava ocupado com o portfólio.

Animes recentes… acho que o anime mais recente que vi é Yowapeda. Acho que nesse ano dá pra contar nos dedos quantos eu assisti. Deve ser por isso que eu ainda vejo Yowapeda, ou porque acho Yowapeda bom mesmo. Enfim, quando falamos de Perda de Inocência em Yowapeda, a segunda temporada define isso, digamos que na primeira temporada comparada com a segunda. É o Outono do anime, quando as flores começam a murchar e dar espaço às outras. Ok, metáfora mais boiola impossível, mas é quase isso. Mas antes, pra quem não conhece, Yowamushi Pedal é um anime sobre ciclismo, contando com o protagonista, Onoda, em busca do seu clube de otakus. Infelizmente, Onoda descobre que o clube foi cancelado e eventualmente, acaba se envolvendo mais com o clube de ciclismo por causa do seu companheiro Imaizumi. Junto com ele, Naruko, outro ciclista e amigo do Onoda, começam a enxergar potencial no Onoda e o incentivam a continuar no ciclismo. Basicamente é isso. Como vocês percebem na primeira temporada, o clube estava quase feito, então os personagens principais meio que não sofreram tanta evolução. Bom, menos o Onoda, já que ele era um total amador. Enfim, o que mais surpreende no anime é a variedade de situações, cada personagem tem uma história, e cada um sofre algo diferente, seja uma competição entre os membros para decidir quem participará do intercolegial, ou o passado dos oponentes deles. Por causa dessa variação, a Perda de Inocência em YowaPeda acontece em qualquer momento. Se não me falha a memória, normalmente, em YowaPeda isso acontece no meio da corrida. Porém, o legal é que isso não é usado como a principal atração do anime, a Perda de Inocência é usada mais como um suporte pra fazer o anime andar. As melhores corridas do anime são quando você descobre o que eles sofreram no passado e o que fizeram para superar os problemas, aí você aproveita a onda e acaba torcendo pra eles ganharem. A segunda temporada é mais emocional do que ação, e em alguns momentos (a maioria) a Perda de Inocência vira o principal foco, o que não é ruim e nem bom, é uma fase necessária para fazer o anime andar.

Reciclar é bom, tanto imagem quanto papel

Chega de bicicletas e vamos pra Chihayafuru, aquele anime que muita gente não entende de primeira. Isso é tipo um poker fitness, e nem é tão fitness assim. E se você não sabe qual esporte estou falando é karuta. Enfim, Chihayafuru tem uma sinopse quase igual a yowapeda que tem uma sinopse quase igual a quase todos os animes de esportes. Chihayafuru conta a história de Chihaya, que ao chegar no ensino médio cria um clube de karuta, obcecada por isso graças aos seus amigos de infância Mashima e Arata, Chihaya procura reviver aqueles tempos. No geral é isso. É como eu falei em Yowapeda, porém, com as temporadas invertidas. Na primeira temporada de Chihayafuru, o esporte é meio que a atração secundária e os personagens acabam pegando o highlight da série toda. Isso não é ruim, a obra funciona bem, tanto karuta e ciclismo não são tão populares pra geral saber as regras de cabeça ( tá, eu sei que ciclismo não tem tanta regra assim, mas isso é só detalhe). Então além de fazer o público se acostumar com o esporte, a obra aproveita e faz os personagens usarem o karuta como uma solução dos problemas e de amadurecimento, o que ajuda, o anime faz com que os personagens realmente se importem e isso é contagiante. Você também acaba contagiado e acaba se importando com o esporte também. Exemplos como: o karuta muda pessoas, ou o karuta é usado para superar traumas passados… ou para saciar seus fetiches por poemas s/2. Na real, eu não sei se Chihayafuru é tão bom assim, foi o único anime de karuta que já vi, o negócio mais próximo disso é Yu-Gi-Oh. E não dá pra comparar assim. A única semelhança é que toda hora é hora do duelo, porém, em termos de personagens, eles não são ruins. Os personagens combinam com a história, enquanto Yowapeda tem personagens que só focam em uma personalidade e vão ao extremo dela, Chihayafuru é um anime mais realista, estudantes que se importam com o futuro e parecem que estudam. Enfim, é legal ver com dois animes usam o  mesmo arquétipo de maneiras e formas diferentes.  

Não sei se é aniversário de alguém aí. Parabéns!?

Agora, vamos finalizar com Kuroko, porque eu preciso de um anime que todo mundo viu e eu preciso que esse post faça sentido em algum momento. Enfim, Kuroko eu não vi todo, mas vi grande parte. Como eu não vim fazer uma resenha do anime todo, o que me interessa tá no começo. Não saber como acaba, não atrapalha em nada. Voltando ao que interessa: arquétipos. Kuroko é mais parecido com Yowapeda e PoT, a Perda de Inocência é usada no meio da partida como um dos motivos pra fazê-la ficar mais interessante, mas, ao mesmo tempo eu sinto que a Perda de Inocência não é tão forte assim. O anime mesmo assim foca nos poderes especiais e nas táticas. E se eu não me engano no começo é meio difícil ver uma ocasião em que a Perda de Inocência seja assim tão importante pra todo mundo lembrar. A Perda de Inocência de verdade só acontece quando eles perdem mesmo. Isso não é ruim, PoT faz da mesma maneira, mas a diferença entre os dois é que PoT tinha e tem mais personagens, e a história de Kuroko é mais frenética que PoT. Acho que vocês entenderam, geralmente quanto mais ação menos peso tem a Perda de Inocência.

.

Enfim, aqui eu termino o post.

Discussão