Olá, pessoal! Aqui é a Tamao-chan e venho com mais um artigo de Uchouten Kazoku para a Sessão Vintage.

Mas é claro que não poderia faltar um episódio sobre o que aconteceu na última noite em que Shimogamo Shouichirou estava vivo. Como foi dito nos episódios anteriores, ele era o maior tanuki de todos os tempos. Transformar-se em uma montanha para enganar Tengus não foi uma tarefa fácil, pois além de ser muito divertido, gastou muito de sua energia. Além do mais, um dos grandes “deveres” de um tanuki é se divertir, mesmo que ele seja um Nise-emon. E não pode se esperar nada mais de alguém que manifestou o seu sangue tolo entre seus 4 filhos. Cada um herdou uma característica, mas apenas ele consegue ser conhecido como um grande tanuki de fato.

Este episódio é a continuação do anterior. Yajirou explicou, de acordo com a sua visão, que ele era a última “pessoa” que o havia visto naquela noite. Como o segundo filho é o mais preguiçoso e só se anima quando algo envolve bebida(e os outros tanukis percebiam isso e ainda falavam na cara dura mesmo), decidiu chamar o seu pai para beber enquanto contava o que lhe estava afligindo: estava em uma situação complicada chamada “amor não correspondido” pela Kaisei(que não é tão “não correspondido” assim, já que ela sente o mesmo pelo Yajirou) e queria que Shouichirou oferecesse algum conselho.

Como ele nunca está animado com nada e sabia que sua amada estava noiva de seu irmão Yasaburou, Yajirou queria sair da família e da cidade. O que seu pai lhe disse foi para ter paciência, e ambos se divertiram com o grande truque que o segundo filho adorava fazer: se transformar no “Falso Trem da Linha Eizan” e sair por aí assustando as pessoas. Como o chefe da família Shimogamo e Nise-emon não voltou mais naquele dia, todos esperavam por ele, até que souberam que foi comido pelo Clube de Sexta-feira.

Depois de sair do poço e buscar o professor Akamada do banho público, Yasaburou o levou para casa, e então, além de contar o que ganhou da Kaisei enquanto o tanuki estava em Osaka com o Clube da Sexta-feira e que realmente ele não podia evitar olhar para todas as mulheres independente da idade já que está na natureza de um Tengu, o “professor” disse que a última pessoa que Souichirou havia visto não foi o Yajirou, e sim ele mesmo. Enquanto desfrutava um delicioso vinho no céu, o chefe da família Shimogamo foi encontrar-se com ele em espírito, e acabou contando que foi comigo em um nabe. E assim como toda despedida, todo morto tem algo a pedir, e o último pedido foi que o Tengu tomasse conta de Yasaburou e de toda sua idiotice.

Quando chegou em casa, Yasaburou perguntou para a mãe se ela entendia Yajirou, já que este já não se considera mais filho e muito menos tanuki. A mesma disse que entendia por ser mãe, e Yaichirou disse que também entendia por ele ser seu irmão, mas que mesmo assim doía tanto. Por fim, foi explicado o que cada um herdou de seu pai:

  • Yaichirou: senso de responsabilidade;
  • Yajirou: natureza despreocupada;
  • Yasaburou: idiotice;
  • Yashirou: inocência.

Bom, e aqui termino o meu artigo de Uchouten Kazoku. Espero que todos que leram até o fim tenham gostado e nos vemos no próximo!

Discussão