Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Dando continuidade aos exames finais, tivemos três lutas em um mesmo episódio, com destaque para Yao e Todoroki vs Aizawa. Como temos poucos episódios restantes nesta segunda temporada, já era esperado que alguns dos confrontos fossem rápidos demais, enquanto outros recebessem mais destaque. O mesmo aconteceu com o arco do Festival Esportivo, mas não fomos muito prejudicados por isso.

Começamos com Asui e Tokoyami contra Ectoplasm. Eu achava que o anime ia usar mais a limitação de alcance das individualidades dos dois, mas isso nem foi um grande problema. Na verdade, foi interessante ver como Dark Shadow e a língua de Asui funcionaram em conjunto para dar uma maior mobilidade aos dois. A fraqueza mais explorada está relacionada ao Tokoyami, devido a sua falta de resistência em curta distância.

Fiquei surpreso pela forma como o anime fez com que Asui fosse a chave para a vitória, já que ela foi a responsável pelo plano para vencer o professor. Ela não é uma das minhas personagens preferidas (principalmente depois do filler) e nem uma das mais fortes, então eu não apostaria nessa dupla. Isso serviu para mostrar que as chances de uma equipe vencer são muito altas, principalmente pelo leque de possibilidades existentes para que isso aconteça.

Precisa nem de montagem

O ponto fraco do episódio está na luta seguinte a essa, entre Iida e Ojiro vs Power Loader. O maior problema que vi, além do tempo, foi a falta de aproveitamento dos personagens em questão. Para começar, temos um Iida que acabou de passar pelo trauma de perder o irmão e enfrentado o assassino de heróis. Ele já poderia ter uma boa evolução em seu arco, voltando a ser o personagem que conhecíamos antes. Além disso, seria bom ver mais do verdadeiro potencial das suas habilidades.

Ainda temos Ojiro: um personagem que ninguém se importa e quase nunca ganha destaque em cena. Ele teve sua chance de brilhar, lutando ao lado de Iida, e podendo mostrar alguma característica inedita da sua individualidade. Para um personagem como ele, apenas ajudar no plano de alguma forma já seria um grande avanço, mas infelizmente ainda não ligo a mínima pra ele.

Isso sem falar em Power Loader, um professor que ganha ainda menos destaque que Ojiro e que nem conhecemos muito bem os seus poderes. Por exemplo, Ectoplasm foi bem explorado, mas eu ainda nem sei direito quem Power Loader é. Eu não vejo esses problemas como um erro do anime, já que essas decisões foram pensadas antecipadamente para dar o maior foco para a última luta. Por outro lado, já que os exames finais estão acontecendo logo depois dos estágios, eu gostaria de ver uma melhora significativa dos alunos na prática.

Eu ia perguntar uma coisa, mas deixa pra lá

Yao e Todoroki foram os protagonistas do episódio, passando uma mensagem legal sobre confiança entre dois alunos que entraram por recomendação. Mesmo achando que isso fosse ser mais explorado, a relação entre os dois personagens foi algo muito bem trabalhado, e já tem gente até shippando depois dessa.

Todoroki agiu liderando a dupla, articulando todo o plano contra Aizawa, enquanto Yao apenas seguia suas ordens. Assim que sua ideia deu totalmente errado, vimos uma mudança de atitude, com Yao tomando as decisões e fazendo elas darem certo. Podemos dizer que se não fosse por ela, a dupla teria falhado.

A fraqueza de Yao é bem peculiar, já que ela é uma pessoa com habilidades únicas, mas mesmo assim se acha incapaz de realizar ou decidir algo. Isso seria mais comum entre pessoas sem individualidades, como eu e você, por não nos sentirmos especiais ou melhores em algo específico. Logo, levar esse dilema para uma super-heroína é um diferencial. Ainda acredito que poderia ter sido explorado de onde surgiu essa falta de confiança da personagem, mas a mensagem conseguiu ser passada com clareza.

Se Yao teve todo esse arco desenvolvido, Todoroki aprendeu a ouvir mais as outras pessoas e não agir sempre sozinho, o que é importante para alguém que quer se tornar um herói. É com esses pequenos aprendizados que vemos como as ações de pai e filho podem se distanciar aos poucos.

E quem não gosta? Ah, é… Bakugo

Para o próximo episódio, algumas lutas me chamaram atenção e outras nem tanto. Uma das mais esperadas por mim é a de Uraraka, que eu gostaria de ver mais de sua ofensividade. O problema é sua dupla, Aoyama, que tem o título de cara mais chato do anime. Mesmo não sendo comum, tivemos uma cena pós-créditos, onde vemos uma boa prévia do que acontecerá.

Se eu fosse chutar um resultado, diria que Uraraka vai sim usar golpes mais ofensivos, mas contra Aoyama. Ela deve ficar nervosa e talvez até mesmo com raiva dele. As outras lutas terão, em sua maioria, personagens bem coadjuvantes, que ganharão seu momento para mostrar o que sabem fazer e conquistar o público com seu carisma. Dentre elas, a de Mineta é a mais esperada por mim, apenas pelo alívio cômico do personagem.

Por fim, o confronto mais importante ficará para o final, e neste caso eu quero pelo menos um episódio inteiro focado em Deku e Bakugo vs All Might. Tudo indica que será com essa luta que fecharemos a temporada, somado a algum gancho para uma possível terceira. Mas vamos deixar ela de lado por enquanto e curtir os últimos episódios da segunda.

Não poderia ligar menos pra essa dupla

PLUS ULTRA!

Comentários