Opa! Tudo Bom?

Assim como “pedi” no artigo do episódio três, nesse último episódio tivemos um maior desenvolvimento entre o casal Kabakura e Hana (ou Koyanagi). Inclusive nesse episódio, mesmo que de forma mais cômica, o anime tratou de um tema e/ou sentimento comum em qualquer relacionamento interpessoal e até mesmo pessoal: a insegurança. Vem comigo que hoje a inspiração está lá em cima. 

Logo no início do episódio, já se pôde ter uma breve noção de que o anime trataria de temas mais realistas num relacionamento. Ele começou com conflitos entre os casais, que por incrível que pareça, é algo comum.  Às vezes os animes de romance (lógico que não são todos) acabam focando mais em conflitos como não conseguir fazer o/a senpai te notar ou não conseguir se confessar (e claro que são duas dificuldades que qualquer um pode ter também), mas muitas vezes acabam deixando a entender que depois que se começa a namorar tudo se encaixa perfeitamente e há somente um final feliz aguardando as personagens. Mas convenhamos que na vida real não é assim. A partir do momento que você se relaciona com outro indivíduo, as diferenças vão se tornar mais notórias e até mais gritantes, afinal você é um INdivíduo, você é indivisível, por ser único e diferente do seu modo.

Essa é uma das maiores dificuldades do ser humano ainda hoje. É difícil aceitar que seu companheiro não pensa o mesmo que você, ou não gosta do que você gosta. É difícil aceitar que só porque fulano(a) tem uma opinião diferente da sua, que ele(a) não vai concordar com você, mesmo sendo algo lógico. Mesmo sendo um casal de otakus, cada um gosta de algo e se inclina mais para um lado do que para outros, isso naturalmente gera um certo conflito, que não necessariamente é errado, mas um tanto bobo. Por isso a importância de falar sobre esse tema tratado no episódio, afinal todos temos diferenças, e nem sempre conseguimos aceitá-las de primeira.

 

E o que mais me chamou atenção nesse episódio é a insegurança que há entre os casais. Mas não é a insegurança  de ser traído, afinal isso não é uma vertente do amor. É a insegurança de ser bom ou boa o suficiente à quem você ama, e isso envolve até mesmo o medo de ser quem é. Cada um tem seu padrão, e isso não é um pecado, na verdade é apenas o reflexo de seu gosto, mas quando você se sente insuficiente para quem você ama, de certa forma você tem medo de perder tal pessoa. Isso sim, é uma vertente do amor. Querer satisfazer quem ama, querer ser amado de volta da mesma forma, ouvir palavras gentis e de conforto dela, não querer ser substituído por mais ninguém, afinal estar com tal pessoa te traz conforto, e o medo de ser deixado se torna um de seus pensamentos.

Mesmo depois de 10 anos de namoro, ainda há essa insegurança na Hana. Não acho que essa insegurança dela seja apenas um reflexo de seu amor, afinal eles estão juntos a um bom tempo (inclusive moram juntos). Acredito  que essa insegurança vem de uma preocupação de como as coisas são entre eles e uma falta de conversa sobre isso. Porque convenhamos, não sei se existe pessoa que namoraria alguém com quem briga direto por dez anos sem amar esse alguém. Tenho pra mim que é apenas mais uma forma de amor. Cada pessoa expressa seu amor de forma diferente, e consequentemente, cada casal possui uma forma diferente de se relacionar.

Achei  interessante o impacto que toda a situação entre o Kabakura e a Hana teve na Naru e no Hirotaka. Ele que tem dificuldade de se expressar da maneira que quer, até então não tinha demonstrado grandes atos ou pronunciado grandes palavras de afeto à Naru, porém dessa vez ele não deixou de falar o que sente, o que em parte é um belo avanço. Espero que um dia ela venha falar tais palavras também, porque pra mim, de todos ali, ela é a mais indecisa e fechada quanto ao que realmente sente. Mesmo que às vezes mostre um lado que se preocupa em ser quem é de verdade e não esconder o que pensa com o Hirotaka, até que ponto isso pode ser considerado amor? Apesar de ser apenas uma indagação, quem sabe o que aguarda as personagens na continuação da história não é mesmo?

E é isso pessoal, até a próxima! Bye :3

Obs: queria deixar aqui umas imagens bem boas do episódio ^^

 

  1. Este episódio 4 de Wotaku, foi o melhor episódio até ao momento.
    Antes de passar ao episódio tenho que dizer,que a parte da referência a Dragon Ball e Saillor Moon, foi muito boa. É sempre bom recordar os clássicos, que fizeram parte da infância e adolescência de muita gente.
    Este episódio finalmente focou, no casal mais maduro e fez esse foco de forma excelente. Este episódio provou o que eu já achava da relação aparentemente conturbada da Hanako e do Kabakuta. Os dois, já namoram a um bom tempo, já moram juntos, como bem referiste Lissa, as brigas deles, podem ter origem na falha da comunicação entre os dois, mas não haja dúvida que os dois se amam. A relação entre a Hanako e o Kabakura, faz lembrar, aqueles casais mais maduros, onde a chama da paixão e do amor, ficou mais baixa e a vida pessoal e amorosa e pessoal dos dois, passa para a fase do companheirismo. A cena do bar, prova isso, o Kabakura, quando viu a Hanako a chorar e a questionar-se se ela era digna do interesse do Kabakura e o Kabakura vai lá ampará-la (mesmo chamando um nome feio a ela). O Kabakura tem aquele jeito rude dele, mas gosta mesmo da Hanako (a cena onde ele limpa as lágrimas da Hanako, foi dos poucos momentos, onde se vê o jeito mais gentil do Kabakura).
    Antes de passar ao Hirokata e à Narumi, tenho que destacar a parte em que a Hanako consegue convencer o Kabakura a vestir-se de mulher, essa parte foi muito engraçada. E mais engraçado foi, o facto da Hanako ter perdido uma noite inteira a editar a foto (ela fez um excelente trabalho de edição.
    A parte pós encerramento, foi tão boa também, o Hirokata e a Narumi têm uma química muito boa, espero que nos episódios que faltam até terminar o anime, os dois fiquem juntos e bem resolvidos como casal.
    As imagens presentes no final do artigo, além de muito boas, foram muito bem seleccionadas.
    Como sempre, mais um excelente artigo, de Wotaku Lissa.

  2. Falaaaa peoples!!!! Resenha legal, comentário assertivo e sucinto do K-San…O que sobra? Dizer que agora eu tenho a certeza absoluta que Wotaku é um PSA (Public Service Advertisement, quem disse que PSAs tem de ser chatos?) para o aumento do numero de casais no Japão e não é só em Wotaku que acontece isso, em Aggretsuko (em que a Fenneko mostra a estatistica real de desinteresse dos sexos em relacionarem) e em 3D kanojo também!!!
    A explicação do K-San é primorosa e correta pq se eles se conheceram no ensino medio com uns 17 anos e agora estão na faixa dos 26/27 já tem aí uma bela bagagem de dez anos que muitos casais não chegaram…Fora, que não é um casalzinho normie. Bato continência para os dois, uma cosplayer e um cara que gosta de moe…Mas ambos turrões, sempre turrões (não tem uma cena dos dois juntos sorrindo)!!! Tinha de ter drama nisso….Parece que eles tem um tesão nessa brigaiada toda para tudo se acabar num gostoso abraço….
    E gran finale do ep com o Nifuji sorrindo a larga só essa já valeu o episodio e me acabando de ansioso para ver o proximo tomando uma…

    Asahii Super….Dorrrrrray KKKKKKKKKKKK

Discussão