Bom dia!

E bem-vindo ao Café com Anime! O projeto no qual eu, o Diego do É Só Um DesenhoGato de Ulthar do Dissidência Pop, e o Vinícius Marino do Finisgeekis conversamos sobre os episódios de alguns animes e publicamos artigos transcrevendo nossos bate-papos.

Nessa temporada, o Dissidência Pop está publicando nossos bate-papos sobre Mahou Shoujo Site, o Finisgeekis continua publicando os bate-papos de Sakura Cardcaptor: Clear Card, o É Só Um Desenho publica os bate-papos de Sword Art Online Alternative: Gun Gale Online e Legend of The Galactic Heroes: Die Neue These, e o Anime21 publica os bate-papos de Hisone to Masotan!

Veja a seguir o que achamos sobre o episódio 4!

Fábio "Mexicano":
As novas pilotas chegaram! A gordinha preguiçosa pilota um dragão enorme com cara de alegre que se disfarça de transporte. A garota tímida pilota um avião-radar (útil para pessoas com angústia social, aposto). E a terceira pilota um caça, assim como a Hisone. Todas elas parecem ter problemas, e o anime começa com a que, de todas, seria a candidata a mais normal: Hoshino, a que pilota o dragão-caça. Parece que ela queria ser pilota de aviões de verdade mas acabou pilotando um dragão – que pelo menos da boca pra fora ela despreza. E ele se esforça por ela!
Diego:
Vamos começar com as partes boas.

Primeiro, a Hisone segue adorável em sua incapacidade de ficar de boca fechada 😃 Foi divertido vê-la tentando aprender a se comunicar melhor e falhando miseravelmente. No mínimo é uma personagem diferente, já que não vemos tantas desbocadas nos animes rs. Em adição, eu gostei da maioria das novas personagens. A que pilota o dragão cargueiro em particular pelo visto é do tipo quieta até que pisem no calo, ai é melhor sair do caminho. E a tímida… bom, vamos ver como ela se desenvolve daqui em diante.

A Hoshino, por outro lado, foi basicamente a pior parte do episódio. “Animais são amigos, não armas” é uma moral já bastante martelada. Pokémon já usou dela algumas vezes. E no caso da Hoshino é um conflito ligeiramente idiota. Ela insistir que o dragão é uma máquina faz ela soar legitimamente esquizofrênica, dado que bastava ela olhar em volta sem o capacete e ia ver as entranhas de um ser bastante vivo. Que a base dela ainda a permita forçar seu dragão em um modo que o coloca sob estresse soa ainda pior. E ela “quebrando” durante a “luta” me soou meio apressado. Num minuto ela está toda confiante e algumas acrobacias depois ela parece no mais profundo desespero. Sei lá, eu entendo a ideia, mas acho que a execução deixou a desejar nessa parte.

Gato de Ulthar:
Eu não achei a parte da Hoshino a pior. De fato, ela te dá muita raiva, mas a sua lógica faz sentido, mesmo que eu não a aprove, é normal se ter uma mentalidade de um animal como ferramente, e não foi a existência de Pokémon que mudou isso né?

Eu fiquei realmente enraivado com ela, ela não segue as ordens dos seus superiores e quer que o dragão siga as suas? Ela devia ser mandada para a corte marcial, isso sim!

Mas o que a Hisone falou faz muito sentido, o dragão a tratou como lixo já que foi tratado como lixo, eles são bastante temperamentais. E Diego, não achei a revolta do dragão estranha ou apressada, já tinha dado para perceber que o dragão dela vivia em constante pressão há muito tempo, ele simplesmente estourou, e foi isso.

Quanto as outras pilotas, gostei da “gordinha”, embora eu não tenha achado ela gorda, aquele seu ato de esmagar e quebrar as coisas ficou bastante assustador. E a que possui fobia social, eu simplesmente ADOREI a sua dublagem, nunca tinha visto algo do gênero, me chamou muito a atenção.

Diego:
Eu me refiro à Hoshino, Gato. Dela “quebrando” durante o voo, ficando cada vez mais e mais desesperada muito rápido.
Gato de Ulthar:
Ahh, mesmo assim, acho que fez um certo sentido, afinal de contas, dava para ver que vivia numa eterna pressão para se mostrar competente como piloto.
Fábio "Mexicano":
(eu também acho que faz sentido, mas não vou argumentar agora, estou aguardando pelos comentários iniciais de todos, e falta só o Vinicius!)
Vinícius Marino:
Só eu achei que o avião radar parece um ronin daqueles jidaigeki? Tem até o tapa-olho!

Ok, estou divergindo. Back to the topic.

Preciso dizer: não estava esperando uma catarse-Mari Okada tão cedo. Errei na minha previsão de que a Nao seria o estopim, mas eis que o anime nos jogou uma personagem ainda mais ranzinza e indisciplinada. Se isso me incomodou? De forma alguma, e preciso concordar com o Gato – em vários pontos, na verdade. Achei o seu conflito pessoal bastante crível, tal como sua crença de que o OTF é uma ferramenta. Você vê isso com frequência em pessoas que trabalham com animais. Por que seria incrédulo observá-lo numa piloto de dragões?

A dublagem da menina-radar foi realmente fora de série. Pareceu até meio histórico, teatral. Como se ela quisesse imitar algum arquétipo clássico da ficção japonesa (será por isso que seu dragão parece um samurai?)

Fábio "Mexicano":
O dragão-radar sem dúvida é o mais criativo de todos!

E a Hoshino foi irritante porque esse é o momento dela ser irritante. Ela é imatura, e pessoas imaturas nos irritam. Ela está frustrada porque queria pilotar aviões de verdade, mas ao invés disso foi recrutada para pilotar um dragão. Me pergunto porque ela aceitou e suponho que teremos essa resposta em breve. Talvez ela realmente tenha fracassado nos testes para ser pilota mas daí rodaram aqueles testes secretos lá e descobriram que ela era compatível com o dragão. E lógico que ela enxergou nisso sua oportunidade, não é?

Ela parece o tipo de pessoa que se cobra demais, e como resultado, cada pequeno erro dela deve parecer uma tragédia. Se os homens da base dela forem tão canastrões quanto os da base de Gifu, ela deve ter sido zombada vez ou outra – e com a personalidade dela isso nunca deve terminar bem. Com isso ela se isola e só lhe resta a companhia do dragão que ela enxerga como o seu fracasso em forma viva. Ela deve ser uma pessoa muito solitária. Não à toa, o episódio termina com ela brigando com duas das demais pilotas. A quarta tem fobia social então não poderia ajudar nem se quisesse, e a Nao … é, vai lá tentar pedir ajuda pra ela.

Vinícius Marino:
Meu único problema com a Hoshino, na verdade, foi no design. O traço de Hisomaso é super simples. Passar nuance é realmente difícil. Mas eis que a Nao, a Hoshino e a capitã cujo nome nunca me lembro parecem irmãs gêmeas. A estética “tomboy” já é meio padronizada. Sem recursos gráficos para enfatizar nuance, fica até difícil saber quem é quem. Não que isso tenha atrapalhado a compreensão, mas foi uma oportunidade perdida para explorar visuais mais distintivos. Pessoalmente, amo o operador fanfarrão com aquele topete de Johnny Bravo. É o tipo de visual estapafúrdio que você só encontra em anime. E tem tudo a ver com a personalidade dele.
Fábio "Mexicano":
A Nao é baixinha e tem o cabelo bem mais claro, além de usar dois tipos de penteados diferentes bem característicos dela. Mas a Kakiyasu e a Hoshino são, sim, parecidas. Acho que é intencional que a Hoshino, que queria ser uma pilota normal, tenha um design tão militar padrão.
Diego:
Fico com o Fábio. Não acho a Nao parecida com as outras duas não. Se mais nada até a Hisone é mais parecida que a Nao 😛 O que a Hoshino pode ter de semelhante com Nao é apenas seu olhar ameaçador.
Fábio "Mexicano":
E a Hisone, hein? Toda animada para conhecer mais pessoas – ela é solitária por fracassar em criar e manter amizades, não por ser introvertida (como uma das demais pilotas, aliás). Ela quer impressionar, quer fazer amigas, está super-animada! Tão animada que nem presta atenção nelas direito (bom, ela prestou atenção ao fato de que elas não precisam ser vomitadas pelos seus dragões), e fica só repetindo o que leu na revista sem nem escutar o que a outra diz ou o que ela mesma está dizendo. Será que ela aprende um pouco a ouvir nesse arco da Hoshino? Ou será que ainda não? Ou será que nunca? O que acharam do comportamento dela nesse episódio, no geral?
Vinícius Marino:
Sua “pep talk” com a Hoshino ao final do episódio me deu uma das gargalhadas mais sinceras de todo o anime até agora. É evidente que ela ainda é um diamante bruto em termos de tato social. Espero muitos outros foras nos episódios vindouros. Dito isso, também espero um aprendizado. Hisomaso parece ser uma história de amadurecimento. Tal como Nao teve de encarar o fardo de sua mãe e Hoshino, seu próprio orgulho desmesurado, não duvido que Hisone melhore como indivíduo. Isso é o que mais gosto da Mari Okada (quando ela acerta): suas personagens são simples, mas elas vão a algum lugar.
Diego:
Eu imagino que a Hisone irá melhorar até o final do anime, mas não completamente. Vai aprender a ouvir mais e ser um pouco menos desbocada, mas ainda vai deslizar de quando em vez. Me parece a finalização ideal para a personagem.
Gato de Ulthar:
Seria muito interessante que a Hisone melhorasse sua habilidade de conversação. Mas é que seu jeito atrapalhado de se expressar é muito gostoso de assistir, não lembro de ter visto nada igual em outros animes. Por isso acho a solução levantada pelo Diego a mais acertada, Com a Hisone não perdendo o que lhe é mais característico.
Diego:
Realmente não vemos lá muitos personagens desbocados assim nos animes, no máximo algum personagem acaba tendo só um momento de “explosão” e soltando tudo o que mantém guardado. Hisone fica mesmo como um sopro de ar fresco nesse sentido.
Fábio "Mexicano":
Ela fala tudo muitas vezes sem nem perceber, e definitivamente não percebe quando ao falar tudo está machucando as pessoas ao redor. A Nao ficar irritada com ela já virou padrão.

E a Eri, o que acharam dela? Digam tudo, sem filtros 😃

Vinícius Marino:
Eu gostei de como ela se conformou a – e, ao mesmo tempo, averteu – os clichés das “tomboys” em anime. Ela se acha uma soldado exemplar, mas é indisciplinada. Ela posa de durona, mas sua rigidez desaba à intransigência. Ela é bocuda, e sua agressividade volta para mordê-la. Nas mãos de uma escritora menos talentosa, ela viraria um panfleto de rebeldia, ou simplesmente uma chata de galochas. Bom, chata ela é, mas da melhor forma possível.

Hisomaso nos traz personagens muito diferentes entre si, mas não defende que são estas diferenças que fazem sua força. Suas personagens têm de lutar contra suas idiossincrasias tanto quanto se valer delas para tirar o melhor de seu potencial. Isto é muito humano, pois é um conflito que todos nós enfrentamos.

Gato de Ulthar:
Nem sei se dá para chamá-la estritamente de tomboy, ela é um modelo de uma militar padrão. A Hisone e as demais que nem parecem militares de verdade ☺️ A Hisone, pelo menos, temos certeza de que fazia apenas serviços administrativos, toda essa coisa de combate foi novidade. A Hoshino, pelo contrário, parece que sempre quis ser uma piloto de caça, provavelmente frequentou a academia militar e tentou por várias vezes poder pilotar o avião sem sucesso, acabando por se tornar uma piloto de dragão.

Lembrando que apenas em 2015 o Japão passou a aceitar mulheres como pilotos de caça, a pressão sobre a Hoshino é dupla, tanto pelo fato da dificuldade de qualquer um virar piloto de combate, como por ela ser mulher.

Essa situação até me fez lembrar do filme Até o Limite da Honra, onde a atriz Demi Moore se torna a primeira mulher a entrar para o grupo de elite dos fuzileiros navais dos EUA. Nesse processo, ela teve de abandonar toda a “feminilidade” em prol de seu desejo e se tornar uma pessoa diferente e focada no seu objetivo.

Fábio "Mexicano":
G.I. Jane! O nome em inglês é muito melhor 😛 (Mas o nome brasileiro transmite melhor a questão psicológica, não é um nome ruim, longe disso)
Gato de Ulthar:
E lembrando outro paralelo entre a Hoshino e a protagonista de G.I. Jane. Em ambos os casos as garotas são assediadas e consideradas inferiores em relação as suas capacidades pelos homens.
Fábio "Mexicano":
Enfim, sim, acho que a Hoshino é uma militar padrão, por isso masculinizada – porque as Forças Armadas são um ambiente masculino. E o anime está mostrando o pior lado disso episódio atrás de episódio, aqueles caras são nojentos, LOL
Gato de Ulthar:
O anime foi muito feliz em demonstrar a realidade das mulheres no meio militar.
Diego:
Eu só espero que o anime faça algo com isso e acabe colocando esses caras nos seus devidos lugares, porque são um horror mesmo. Mas tenho confiança de que a obra saberá lidar com isso eventualmente 😛

Mas voltando à pergunta sobre o que achamos da Eri… bom, eu meio que já disse. Pessoalmente falando eu acho o conflito dela “meh”, porque é um conflito idiota que todos nós já sabemos muito bem como vai terminar. Eu realmente não dou a mínima pra personagem, pelo menos não por agora. Achei as outras duas bem mais interessantes, sobretudo a Hitomi.

Fábio "Mexicano":
A Hitomi parece uma pessoa gentil mas que esconde algo dentro dela que pode estourar a qualquer momento.
Diego:
Exato! Por isso achei interessante 😃
Fábio "Mexicano":
De todo modo, acho que a dinâmica vai ser essa. Vai ter um arco para cada uma, e como a Eri foi a primeira, é a única de quem não sabíamos nada ainda. Precisa dar um desconto pra ela por isso. E tenho certeza que o que quer que a esteja perturbando, para ela é sim muito importante. Talvez ela até acabe se sentindo meio idiota depois que tudo passar, mas assim é a vida de todos nós, né.
Fábio "Mexicano":
E dos dragões, o que acharam? Dado que os dragões escolhem as garotas, até onde será que podemos inferir qualidades de uns pelos outros?
Vinícius Marino:
O da Eri parece pequeno e enfezado que nem ela. Quase um velociraptor. O da Hitomi é… fortinho que nem ela. E acho interessante que está sempre sorrindo. Seria uma referência à própria piloto, que esconde um grande trauma sobre sua alegria aparente? E o dragão-radar eu já disse que parece um ronin daqueles seriados históricos japoneses. Acho que tem a ver com a própria piloto, que parece agir com uma conduta meio anacrônica.
Diego:
Eu francamente não tenho opinião sobre eles. Prefiro esperar um pouco mais para ver realmente como agem. Mas o design é legal (só achei o sorriso do “grandão” meio creepy 😛)
Gato de Ulthar:
Eu gostei de todos os dragões, todos possuem um design único e criativo. Parando para pensar, o Maso-Tan é o que possui as feições mais “cartunescas”, ou meramente infantilizadas, talvez para representar a ingenuidade da Hisone.
Fábio "Mexicano":
O Masotan sem dúvida é o mais simplificado, mais arredondado, e que tem proporções dracônicas mais comuns.

Para encerrar essa edição, como acham que irá se resolver o conflito da Hoshino??

Gato de Ulthar:
Para ser sincero, acho que ela irá aos poucos aprender que o dragão não é apenas um objeto e que possui sentimentos. Aprenderá também que sua postura atual não a ajudará a alcançar seu sonho de se tornar uma piloto de caça.
Diego:
Não acho que tenha muito mistério, deve resolver com ela aprendendo a apreciar seu dragão como um dragão e é isso aí. Inclusive, acho que o anime nem se deterá muito nisso, e chutaria que a coisa se resolve no próximo episódio.
Vinícius Marino:
Eu acho que a Hisone acertou em cheio no seu monólogo destrambelhado. A Hoshino é uma piloto ruim porque está, de certa forma, em um lugar ruim. Seu dragão parece dividido em dois mundos: não é nem um dragão (no sentido que mal sai da fantasia) e nem um caça (como o fracasso da missão atestou). Não por acaso, pois a Hoshino, ela própria, parece dividida, desemparada: como soldado, como piloto de OTF, como companheira de suas colegas, quiçá até mesmo como mulher. Ela sofre para viver com autenticidade, e a postura de seu dragão reflete esse stress. Eu aposto (espero, na verdade) que ela supere esse cisma e aprenda a ficar em paz com quem ela de fato é.
Fábio "Mexicano":
Acredito que a moral é essa do Vinicius: a Hoshino precisa se decidir. Não é contudo como se tivesse opção. Quero dizer, no mundo real teria, poderia desistir de pilotar dragão, mas no mundo do anime será como o Gato e o Diego disseram: ela vai aprender a viver e apreciar seu dragão como dragão que ele é. E tem outras pilotas na fila aguardando por seu lugar ao sol (ou no divã), então a resolução deve ser rápida – duvido que passe do próximo episódio. E acredito que seja provável que, como a Hisone e a Nao, ela mantenha seus trejeitos quase inalterados mesmo depois de resolver esse conflito interno.

Até o próximo episódio ☺

Discussão