Um bom episódio que não fugiu do previsível, mas adicionou coisas interessantes a história e teve no distanciamento entre Amadeus e Okabe uma oportunidade para explorar melhor o sumiço da Shiina Kagari, assim como sutilmente expandir o leque de possibilidades da obra. Que se abra o Steins Gate!

Um Okabe paranoico ainda é um Okabe de verdade, então ele desconfiar da Moeka faz sentido, mas foi estranho ele só ter lembrado dela como a assassina da Mayuri. E a parte boa dela? Ela não tinha?

Não importando a linha temporal a personalidade kuudere dela continua a ser o seu charme, agora sendo alguém útil para investigar o paradeiro da Kagari, o que foi uma boa forma de pô-la na trama.

Moeka sem mexer no celular não é Moeka, né!

O problema é que se somarmos a suspeita cena em que ela está indo embora do laboratório e o Mr. Braun está saindo com a sua filha ao momento em que a Maho é perseguida fica muito na cara que estão tentando dar um foreshadowing para possíveis atividades da SERN nessa linha temporal beta.

Aliás, a Moeka ter descoberto que têm outras pessoas procurando a Kagari e que há um estrangeiro entre elas é um forte indício de que sim, a SERN está agindo das sombras, mas ela ter apontado isso em seu relatório não a isenta de envolvimento. Pelo contrário, pois ela ter tido acesso a informação pode indicar que foi ordenada a sacar mão dela para quem sabe atrair o outro grupo que procura a garota para uma armadilha? Posso estar viajando, mas essa é uma possibilidade que não descartaria.

Como diria uma vó que vê animes, “Onde tem cena suspeita deve ter treta cabulosa.”

O certo é que alguém perseguiu a Maho, alguém está procurando pela Kagari e é muito provável que sejam as mesmas pessoas e que elas também saibam da existência da máquina do tempo e estejam envolvidas com o peculiar salto temporal que o Okabe aparentou sofre no início do terceiro episódio, o qual deve estar diretamente relacionado ao fato do pai da Kurisu estar vivendo na Rússia. Agora o que pode ser relacionado ao estranho caso dos animais na América eu não sei, mas que é muitíssimo provável que toda e qualquer transmissão de fundo peculiar tenha a ver com a trama isso é certeza.

Esse é o tipo de anime que não desperdiça informação e mais para frente deve reaproveitar detalhes afim de explicar coisas que para nós agora ou parecem muito estranhas ou não fazem sentido algum.

Um minuto de silêncio para apreciar uma das personagens mais fofas dos animes !

Uma dessas coisas muito estranhas tem a ver justamente com a Kagari, a bela mulher de 22 anos que sofre de amnesia e realmente lembra bastante a Kurisu, mas antes de falar mais da já previsível – e ainda assim excelente – cena em que ela encontra o Okabe e os outros, acho necessário comentar o que veio antes e também é de suma importância para a trama: a relação do Okabe com o Amadeus.

Depois do que a Maho disse para ele e do que o cientista estrangeiro – seria um bom plot twist se ele fosse da SERN, né? – disse sobre o objetivo do experimento ser o Amadeus se apaixonar por alguém, o Okabe se distanciar por estra confuso era totalmente previsível e até normal. A Maho se preocupar com ele também. Aliás, não vai ser estranho se ela se apaixonar – o que pode já ser o caso – por ele.

Posso considerar essa cena um hit kill para quem não estava gostando dela até agora?

O problema é que é meio que falta de tato da parte dela saber que era altamente provável o Okabe misturar as coisas e ainda assim não ter sido contra a ele fazer parte do experimento em um primeiro momento, mas vindo de uma cientista adulta que tem problemas de socialização é compreensível – não a vejo indo tão a fundo em sua preocupação com os sentimentos alheios sem ver todo o impacto disso como está vendo agora. Tanto pensei em algum problema de socialização que no momento da suposta perseguição achei que aquilo podia ser apenas paranoia dela por ter medo de sair sozinha e ficar no meio de tanta gente, mas pela forma que a cena foi construída seria um desperdício ser isso.

Não acham que seria bastante engraçado se tanto o cientista loiro quanto a cientista desse episódio fossem pessoal da SERN e o projeto Amadeus fosse também coisa da organização? Enfim, o que resta a comentar disso é que o Okabe não deve parar de falar com o Amadeus mesmo que esteja na cara dele que o que ele está fazendo é o que a Maho disse – e que isso só deve machucá-lo com o tempo.

Aqui vemos claramente uma loli legal fugindo de um lolicon tipo o Daru.

Ele ter achado que a Kagari fosse a Kurisu por um momento com aquele nível de surpresa e interesse deve ter sido o subconsciente dele tentando encontrar meios que o permitissem ver sua amada viva de novo – mesmo que fosse só ilusão. Mas não digo isso tentando negar a semelhança dela com a Kurisu, pois ela com certeza existe e pode ser explicada de três formas. A Mayuri adotou uma criança que a lembrasse da amiga, ela é parente da Kurisu ou pode haver essa terceira explicação misteriosa.

É possível? É. É mirabolante relacionar as duas? É, mas dá para aceitar se explicarem direito. Como também espero que expliquem como uma garota sumida há 12 anos não criou uma identidade sólida mesmo que ainda procurando se lembrar do passado. Pela forma como ela falou e se portou lá no laboratório pareceu mais que ela tinha acabado de se separar da Suzuha e de perder a memória, o que é bem estranho e espero que seja explicado senão vai fazer a condição dela parecer incoerente.

Ela não estava acompanhada de alguém quando foi parar na casa do Rukako? Por que ela estava lá mesmo? Espero que falem sobre isso e daí esmiúcem o caminho que ela trilhou quando se separou da prima. Quanto a identidade dela, bem, já se sabe qual é e devem integrá-la ao grupo agora que se encontraram? É uma possibilidade, mas a sua instabilidade mental – ela não desmaiou por acaso, né – e um provável avanço da SERN para sequestrá-la são fatores que podem dificultar sua inclusão na turma.

Com o que aconteceu nesse episódio ficou claro que a Maho pode ser alvo de um terceiro elemento – Oi SERN, é você? – que está à espreita só observando os movimentos dos personagens principais, assim como o Okabe e o Amadeus se afastarem agora é um acontecimento natural e necessário para que a relação deles se estreite e mais coisas interessantes possam surgir disso. O natural é que o tema inteligência artificial vá cada vez mais se misturando ao tema de viagem do tempo que dá base a obra e isso justifique a interferência de um no outro ou até mesmo o interesse da SERN em ambos.

Se é a SERN esse terceiro elemento – o primeiro seria os Labomen e o segundo os cientistas da Universidade – vamos descobrir com o passar dos episódios, assim como mais detalhes sobre a Kagari e o que ela deve acrescentar a história. Por ora só o que podemos fazer é ansiar por mais outro ótimo episódio, só que agora com algumas boas respostas e outras perguntas instigantes.

Na cena: uma filha desmaiada, uma mãe solteira, um tio preocupado, uma prima surpresa e um cara!

Discussão