Nos últimos anos tivemos uma grande quantidade de obras (mangás, light novels e consequentemente animes) que tinham algo em comum em sua estrutura: viagem para outro mundo. E antes de começarmos a lista, precisamos definir e entender o que esse termo representa.

Isekai é uma palavra que significa “mundo diferente”. É um subgênero de fantasia no qual o protagonista acaba sendo transportado para um outro mundo, seja por vontade própria ou não. Esse novo mundo pode ser virtual, paralelo, um mundo virtual que tornou-se realidade e por aí vai.

Nessa lista, eu dividi os animes por pequenas categorias baseando-me nos elementos do isekai da obra.

Isekais que possuem conexão com o mundo original

Nesses animes, os personagens podem ir e vir entre o seu mundo e o outro mundo.

InuYasha

Um dos primeiros isekai do nosso século (o anime iniciou em 2000), InuYasha conta a história de Kagome, uma colegial de 15 anos que tinha uma vida normal de estudante. Um dia, ela encontra um poço e, ao entrar nele, descobre que parou no Japão Feudal. Só que nele há vários youkais e, logicamente, ela deve passar por muitos perigos para conseguir voltar. É lá que ela encontra o meio-youkai InuYasha, que acaba protegendo a menina contra sua vontade (ao menos no início).

 

Gate: Jieitai Kanochi nite, Kaku Tatakaeri

O que aconteceria se um enorme portal aparecesse numa avenida importante? E se um exército de monstros e soldados com trajes parecidos com os do Império Romano saísse desse portal e atacasse as pessoas? Nesse isekai não tão comum, Yoji Itami é um soldado (e otaku também) que após tal acontecimento acaba sendo um dos oficiais japoneses enviados para investigar esse novo mundo que tem seres como dragões, elfos e várias outras raças. Mas não para por aí, afinal, a magia também existe.

 

Outbreak Company

Outbreak Company é uma história de estrutura similar a Gate, sobre Kanou Shinichi e sua árdua missão: ser uma espécie de missionário otaku num mundo de fantasia. Considerado um otaku de sangue puro por conta do trabalho de seus pais, Shinichi é um especialista em moe (“independente da mídia”) e por isso recebe tal missão. Um anime muito mais focado na comédia do que na fantasia desse outro mundo, Outbreak é como uma versão mais leve e tranquila de Gate. Inclusive, poderia estar na próxima categoria.

 

Isekais de Comédia

Ignore a lógica, ignore o bom-senso, ignore até mesmo as motivações dos personagens e o grande esquema das coisas nesses animes: no final, é tudo só por uma boa piada.

Isekai wa Smartphone to Tomo Ni

[Primeiras impressões]

Esse aqui é um isekai até no nome e apesar de não ser exatamente uma comédia, pode te fazer rir (independente do motivo). Nessa história seguimos Touya Mochizuki, um garoto que acidentalmente é morto por Deus. Como pedido de desculpas, ele é reencarnado em outro mundo com direito a um desejo e acho que pelo título já dá para adivinhar o que ele pediu. Após escolher seu celular, como uma espécie de presente seu smartphone se torna extremamente útil nesse novo mundo, além das melhorias que o tornam extremamente forte (em todos os sentidos). É um anime tranquilo que não deve ser levado a sério e pode ser uma pedida interessante caso você queira um romance.

 

Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!

[Primeiras impressões da segunda temporada]

Esse é um dos mais conhecidos dessa lista. Konosuba (a abreviação oficial) apresenta a história de Kazuma Sato, que morreu de uma maneira vergonhosa e inesperada. Por sorte ele recebe de uma deusa a chance de reencarnar num mundo estilo RPG com alguma habilidade especial. Porém, por conta de algumas provocações ele acaba levando a deusa consigo, e com a missão de derrotar o Rei Demônio Kazuma inicia sua aventura. Sinceramente, esse é provavelmente o mais engraçado de todos os citados aqui. São duas temporadas nas quais vemos Kazuma e suas atitudes e ações nada convencionais junto de companheiras extremamente fora do comum.

 

Hataraku Maou-sama

Apesar de ter sido transmitido há exatos cinco anos (2013), Hataraku é um dos animes mais lembrados daquele ano. Sua história fora do comum, na qual o Rei Demônio vem trabalhar como freelancer em uma rede de fast food, caiu no gosto do público. Apesar de ser um Rei e quase ter dominado seu mundo, o agora chamado Sadao Maou trabalha para pagar suas despesas e sobreviver junto com seu fiel escudeiro. Até aí seria tranquilo se a heroína, Emília Justina, não tivesse vindo junto com o objetivo de matá-lo. Com esse obstáculo, os objetivos de dominar a Terra e Ente Isla (seu mundo), enquanto tenta sobreviver, acaba sendo ameaçado.

 

Isekais sérios (ou quase) em que toda a aventura se passa no outro mundo

Esses são os isekais padrão: os heróis vão para o outro mundo, fazem o que têm que fazer e, com sorte, voltam. Como muitos animes são adaptações incompletas de outras mídias, como mangá e light novel, quase sempre falta essa última parte e nunca ficamos sabendo se eles podem voltar. Até podem ter comédia ou serem comédias, mas possuem um desafio real que seus protagonistas devem encarar.

Knight’s & Magic

[Primeiras impressões]

Knight’s and Magic é um dos mais recentes (2017) e inclusive foi comentado aqui no Anime21. Ele segue uma linha parecida com Death March (também comentado aqui no blog), na qual um programador vai para outro mundo. Porém, nesse caso temos a morte do protagonista e acompanhamos sua vida desde seu nascimento nesse novo mundo. Para acrescentar, nosso protagonista é um otaku de mechas e nesse novo mundo as principais armas de guerra são… mechas. Ernesti Echevalier é o seu novo nome e nessa segunda chance que recebeu o jovem garoto (com alma de adulto) vai dar o seu melhor para construir e pilotar os robôs que tanto ama.

 

Show By Rock!!

Talvez esse não seja tão conhecido apesar de suas duas temporadas e seu jogo para smartphone. Acredito que dentre todos os animes dessa lista, Show by Rock seja o mais diferente, afinal, o que você acharia de ser transportado para outro mundo, entrar numa banda e disputar contra outras bandas pelo topo? E se todos nesse mundo tivessem uma orelhinha de animal e afins (inclusive você)? Pois é, parece loucura, e Show by Rock vai ainda além disso. As músicas são legais, os personagens são fofos também (essa é para vocês, adoradores de moe) e a história não deixa a desejar. Acompanhe a jornada de Cyan e sua evolução pessoal e musical.

 

Re: Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu

Sendo um dos mais recentes e mais famosos, Re:Zero não podia ficar de fora dessa lista. Tendo sido um sucesso em seu ano de lançamento, está sendo publicado por aqui (mangá pela Panini e light novel pela New Pop), e sendo transmitido na TV (Rede Brasil aos sábados). O enredo é sobre Subaru Natsuki e sua repentina convocação para outro mundo. Sem saber o que fazer, ele acaba tornando-se amigo de uma meio-elfa de cabelos prateados. Quando eles são misteriosamente assassinados, Subaru descobre que ele tem a capacidade de “voltar da morte” e com isso, ter a chance de mudar os eventos que estão para acontecer.

 

Zero no Tsukaima

Em muitas obras desse subgênero os protagonistas acabam se tornando heróis nesse novo mundo e de quebra conquistam um harém (que provavelmente não teriam no mundo real). Em Zero no Tsukaima, inicialmente, não ocorre dessa maneira pois o protagonista é invocado não para ser um grande herói de um novo mundo, mas sim para ser um “mascote” de uma das tsunderes mais famosas do mundo dos animes, chamada Louise, que é uma garota péssima em magia. Na hora de escolher seu familiar, apareceu um humano, algo que fez ela passar vergonha no meio de toda sua classe. Durante a história o menino (Saito Hiraga) que foi invocado para esse novo mundo vai mostrando o seu valor, ao mesmo tempo que vai formando seu harém e apanhando de sua “dona”.

 


 

Gostaria de fazer menções a animes que não chegaram à lista mas que merecem estar aqui. Na dácada de 90 tivemos inúmeras obras interessantes e isekais não faltaram. Obras como Guerreiras Mágicas de Rayearth (1994 e tem o mangá aqui no Brasil), Fushigi Yuugi (1995) e Tenkuu no Escaflowne (1996) marcaram a década de maneiras diferentes. E vale também citar Seisenshi Dunbine, um mecha dos anos 1980 (mais especificamente 1983). Para finalizar, vocês conhecem um desenho antigo chamado A Caverna do Dragão? Pois é, apesar de não ser um anime ele também é um isekai (inclusive também é de 1983, mas foi lançado meses depois de Dunbine), e apesar de não ser da minha época (mas mesmo assim eu assisti), marcou gerações e teve transmissões por décadas na TV aberta.

E antes que eu me esqueça, gostaria de agradecer a toda equipe do Anime21 que enviou as sugestões de animes e em especial à Tamao-chan por escrever a apresentação de InuYasha e ao Flávio que escreveu a apresentação de Zero no Tsukaima.

  1. Daqui a pouco quando for fazer uma lista dessa, vai ter que ser 100 animes isekais, já q a cada temporada sai um monte de animes isekai kkkk

Comentários