Olá! Caro(a) leitor(a), está preparado(a) para mais um artigo sobre um episódio sem sal, com requintes de uma história confusa e que tenta de forma equivocada criar pontos de tensão? Bom, espero que sim, pois agora começa a análise.

Para começar, novamente aparece Levvi, quem já não sei qual é o verdadeiro mais. A obra já mostrou Levvi em vários pontos diferentes, a não ser que ele possua um poder de multiplicação, ou algo do gênero que ainda não foi explicado, pois sem isso é impossível ele estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Esse Levvi número infinito que foi apresentado é também um exílio comandante de tropas e comandou o exército que havia lhe capturado a mais um sucesso em combate. Dá para intuir que o motivo pelo qual ele se juntou a essas tropas seja por querer combater aqueles que utilizavam suas armas de forma injusta e também por ter criado certo apreço por Naricia.

Após isso tivemos o enterro de um dos companheiros de Gayus e Gigina; como de praxe a obra adora enrolar o tempo de seus episódios com momentos desnecessários. O que dá para tirar de proveitoso desse momento citado? Apenas um juramento Draken de Gigina que não terá a mínima serventia no futuro da obra.

No prosseguir do episódio, mais uma entidade foi apresentada, uma espécie de polícia do império dragônico, que assim como a maioria de todas as outras entidades eles querem firmar parceira com Gayus e Gigina. Essa força especial tem em mente enfrentar o grupo Martelo de Aurora.

Bom, nessa metade do episódio aparece um homem cujos traços lembram muito os de Levvi, no entanto, está com barba e cabelo crescido. Os seus discursos, como se Levvi estivesse morto, podem ser algo para ele mentir para si mesmo que seu ser mudou. Ou então, é apenas mais um elemento que Saredo introduziu na obra para dar uma falsa sensação de mistério e no final o autor rir do público.

Poderia esse homem ser o verdadeiro Levvi (à esquerda).

Enquanto isso o Levvi edição infinita foi capturado junto de Naricia por outro grupo político, que também é contra o império dragônico. E o líder desse grupo apresenta mais um discurso corrupto, o qual só pensa em se aproveitar do povo de Eridana.

O líder do grupo que capturou Levvi.

Saredo é um anime de comédia… ou pelos menos tenta, pois novamente mais tempo perdido com relação entre os protagonistas e Jiv, o qual não gera nada de interessante para o futuro da obra, apenas uma cena onde o tempo cômico é patético.

Já na sua segunda metade, Gayus passou a discutir um pouco mais sobre o anel que o Cardeal lhe deu. Pelo que o especialista disse é como se o anel estivesse vivo, ou seja, pode estar sendo utilizado para vigiar todos os passos de nosso protagonista de cabelo vermelho.

Para finalizar o episódio, um pouco mais de desenvolvimento de relação de personagens – ou pode chamar de embromação – em que Gigina está em um motel rodeado de mulheres e Gayus com Jiv em sua situação amorosa. Porém, daqui é possível tirar algo interessante, ou pelo menos minimamente interessante, que é mais um problema no passado de Gayus que lhe impede de viver de forma aberta com Jiv. Mas como o passado de Gayus (referindo a morte de sua irmã) não foi bem trabalhado, tudo só aponta que este novo acontecimento será apenas algo irrelevante na obra.

A morte da irmã de Gayus que não teve relevância na obra.

Essa foi a análise de Saredo Tsubimito Wa Ryuu To Odoru, cuja obra só parece se encaminhar para um desfecho sem muito sentido, com pontos em aberto e ouros mal trabalhados. Um anime que está fadado ao esquecimento, caso continue dessa forma.

Que a dança com dragões comece, já que esse é o nome da obra e isso não ocorre faz vários episódios.

Discussão