Opa! Tudo bom com vocês?

Mais uma semana passou, e, no caso, a última na qual falaremos sobre os episódios de Wotaku. Esse último episódio manteve o mesmo ritmo dos outros, ou seja, não pareceu muito um episódio final, mas não é como se isso fosse algo de alguma forma ruim uma vez que veio com um enredo interessante. O episódio em si teve uma pequena parte mais nostálgica advinda dos personagens: a Naru e o Hirotaka lembraram-se um pouco de sua infância e de como eram, já a Koyanagi e o Kabakura lembraram-se do período em que se conheceram. Claro que isso foi uma pequena parte do episódio, apenas fragmentos de memória, porém com esses pequenos flashbacks podemos perceber que a Koyanagi em parte sente falta dos velhos tempos, não os da escola necessariamente, mas o tempo em que ela e o Kabakura se conheceram.

Ainda pensando no Kabakura e na Koyanagi, não que já não fosse claro antes, mas nesse episódio eles finalmente mostraram os motivos para a Koyanagi agir como tem agido todo esse tempo: ela vive observando a relação da Naru e do Hirotaka e comparando-a com sua. Enquanto ela e o Kabakura estão juntos a muito tempo e já estão numa situação de conforto em que “ele(a) vai entender”, a Naru e o Hirotaka estão no início de tudo, em que “se faz bem para ele(a), eu posso fazer/abrir mão”. O primeiro caso é claramente o oposto a uma relação, porém como a Koyanagi e o Kabakura estão juntos a mais tempo, naturalmente acabam-se acostumando com o ceder do outro até que ninguém mais ceda. A vontade da Koyanagi de voltar a esses tempos é mostrada nitidamente quando ela compara sua relação como a da Naru e do Hirotaka. Isso sem dúvidas tornou tudo melhor, e fez o Kabakura se tocar e finalmente abrir mão para agradar a Koyanagi.


No episódio também houve a participação do Kou e do Nao que, apesar de não serem os personagens principais, têm sua função, mesmo que mínima. Mas ainda assim eles são para mim algo que está lá apenas para preencher os espaços vazios do episódio.

Quanto à Naru e ao Hirotaka, fiquei feliz em ver que finalmente ela tomou a frente para fazer algo como namorada do Hirotaka, e que depois de tantos episódios ela finalmente admitiu que queria vê-lo e cuidar dele. Se pararmos para lembrar como eles eram no início, dá para perceber que eles realmente avançaram quanto a enxergar o outro como namorado(a) em vez de amigo(a), fora que estão tendo mais tempo juntos para isso.


O episódio em si foi bom e tudo o mais, mas em nenhum momento me passou a impressão ou me fez sentir como se estivesse assistindo a um episódio final de um anime. A história simplesmente continuou de onde estava e nem ao menos trouxe um gostinho que “quero mais”. Não foi o melhor último episódio que já vi, mas ainda sim foi muito bom saber que pela última vez (pelo menos até onde acho) observei um episódio super bacana de Wotaku.

  1. Avatar

    Bem é mais um que se vai…O que dizer agora de WnKwM?
    Que esperamos a segunda temporada né? Que finalzinho, mequetrefe sim, mas não deixou de ser um bom ep. e o melhor ficou guardado para o feauterette final…A melhor cena: o Nao dedurando o primeiro amor do Hirotaka! E claro o Kabakura dizendo que o seu primeiro amor 2D foi a Kyouko Otonashi (Maison Ikkoku só visto por aqui em copias Betamax) – eu também Kabedon, eu também…
    Mas voltando a fazer um balanço da série, foi bom, não foi excelente (Servant x Service em termos de “office comedy” é melhor) mas conseguiu não deixar o clima para baixo alternando momentos sublimes (o beijo de Hirotaka e a cena na chuva da dupla Kaba Hana foram memoraveis) com muita comedia….

    Eu jamais me esquecerei….ASAHI SUPER….

    DOOORAAYYYY…

Comentários