Esse episódio me surpreendeu um pouco, mas sei que não deveria, porque essa dramatização exagerada da situação do Daigo e do Hikaru é o tipo de coisa que dava para ver dobrando a esquina. E eu não posso dizer que foi ruim, porque a trama tomou rumos interessantes assim. É uma pena que o anime esteja acabando, mas deve fechar bem. É hora de Major 2nd no Anime21!

A falta de entrosamento com o Mário não impediu a competitividade do Hikaru, porém, logo fica claro que ele estava indo na ferida, forçando o Mário a usar seu trunfo para entender sua própria instabilidade. Ali o Hikaru mostrou que tem mentalidade forte, de campeão, além de ser um ótimo receptor, e até por isso o que ocorre entre ele e o Daigo só pode ter sido proposital.

De outra forma, o que o Hikaru ganharia forçando o Daigo a “quebrar” daquela maneira? Exceto se ele se tornou mesmo uma pessoa horrível. Tenho minhas dúvidas para acreditar nisso pelo quão manipulador ele se demonstrou, o que não muda o fato de ter dito palavras muito duras, praticamente intragáveis naquele momento. Fazer aquilo só para vencer seria muito leviano…

Enfim, o choque do Daigo comprometeu sua partida e assim a do time, provocando uma derrota acachapante que talvez não acontecesse se o Daigo tivesse ao menos conseguido competir. Contudo, apenas isso não denunciava a reação dele, a forma de lidar com o quadro geral da situação. Para entendermos temos que puxar pela memória, lembrar do Daigo da primeira temporada.

Aquele Daigo fugia quando a coisa apertava e ele ficava sem saída, assim como ele fez logo após a rasteira tomada. Antes de comentar ela mais a fundo, assim como suas consequências para o time e as reações de vários jogadores, queria realmente refletir sobre o que levou o Hikaru a fazer isso. Terá sido para motivar o Daigo a melhorar? Mas precisava pegar tão pesado?

A explicação definitiva sobre o que o Hikaru estava pensando para fazer o que fez e qual era sua real intenção com isso a gente só deve ter em uma vindoura terceira temporada, então nem vale a pena ficar pensando muito nisso. O máximo que escrevo é que sim, por mais que eu tenha sofrido com o que o Hikaru disse, ainda assim, quero dar um voto de confiança para ele, acho que devo.

Enfim, a visita ao cabeça de cogumelo e a folga do time tentaram dar uma descontraída no episódio, mas a verdade é que não tinha como isso acontecer. O Nishina ficou fula da vida com tudo o que aconteceu e mais para frente no episódio entendemos melhor como ele se sente, a humilhação em dobro que sofreu (do time e do treinador) o inflamou a se jogar de cabeça no basebol.

Por outro lado, a Chiyo decide voltar a ser apenas a assistente do clube e isso também tem a ver com a surra que a Fuurin tomou. Contudo, me parece ser só questão de tempo até ela voltar a ajudar de novo e assim se integrar ao time, o que deve ser necessário, além dela observar o Nishina de perto, então duvido que o fogo acesso nele não a cative e a faça mudar de ideia.

Enfim, quanto ao Daigo, um velho hábito seu voltou a tona e apesar de ter escrito que esperava um outro tipo de atitude da parte dele, compreendo essa reação, porque, por mais que ele tenha amadurecido nesses dois anos, quando ele se viu sem chão como nesse momento? Dava para cravar que ele não agiria assim, que não faria sentido se fechar para o mundo e abraçar a negação?

O Daigo amadureceu horrores nessa temporada e até por isso não duvido nada que as coisas se acertem em um episódio, mas não foi pouca coisa o que aconteceu e ele até tentou segurar a barra durante o jogo, assim como a Mutsuko, só que a pressão pela “realidade” que o Hikaru jogou em sua cara não permitiu, além de ter reconectado o protagonista a sua covardia até ali adormecida.

Sendo assim, só nos resta esperar para ver como as coisas se acertarão. Acho que há uma ótima oportunidade aí de unir o útil ao agradável ao conectar os anseios dos integrantes do clube e essa reconexão do Daigo com a realidade dele e do time. Quer esse time seja fraco em comparação aos candidatos a títulos, é o time dele, que ele moldou com as próprias mãos e com o qual joga.

Não dá para o Daigo, assim como não dá para ninguém ali, compactuar com a ideia de que um “time de garotas” não tem a mínima chance de competir com os garotos. Além disso, o Daigo precisa perceber que seu tempo não foi jogadora fora, para isso vai precisar da ajuda de todos e, claro, de boa vontade também. De outra forma, as lágrimas da Mutsuko só terão sido desperdiçadas.

Aliás, a confissão dela, da barra que precisou segurar pelo bem do time, foi um dos momentos mais tocantes da temporada e que só me fez gostar ainda mais da personagem. Não vou fingir que as palavras da Tao são desprezíveis, que não existem diferenças entre homens e mulheres no esporte, mas o quanto ali era medo de criar expectativas e se frustar e o quanto era a real vontade dela?

E por incrível que pareça, talvez tenha sido isso o que eu mais curti nesse episódio, a exposição dessa realidade que beira a crueldade, mas que sim, pode e deve ser encarada de outra maneira, ainda mais em um anime em que o tema superação se faz tão presente. Só que para isso o time precisa do Daigo e o Daigo precisa do time, essas garotas precisam acreditar em si mesmas e ele nele.

Por fim, parece algo muito complicado de se resolver em apenas um episódio, mas ao mesmo tempo não precisa ser tudo resolvido nele, basta que o Daigo reencontre o prumo ao encarar seus fantasmas. Se ele se deixar engolir pela “realidade” e não lutar contra ela, então ele não será o personagem apaixonante que nós aprendemos a admirar e o mesmo vale para as garotas da história.

Inclusive, vendo esse episódio percebi que mesmo o gosto amargo que os últimos episódios deixaram na minha boca são coisas que fazem parte de Major 2nd, que tornam a trajetória de seu protagonista mais rica. Não dizem que a conquista de um objetivo é mais gratificante se as dificuldades foram imensas? É bem o que rola na série Major, não preciso ter visto o clássico para saber.

Até a próxima!

  1. Avatar

    Olha, vou te contar: as palavras duras do Hikaru despejou no Daigo foram tensas, na minha opinião, ele menosprezou o trabalho duro do amigo e deu uma baita ferida no coração deste por falar que o sonho deles jamais irá se realizar como queriam. Fiquei completamente sem graça com o Hikaru, puxa vida!?, não dava para falar após a partida ou tentar “amenizar” o tom das palavras?! Parece que o machucado dele na primeira temporada fez ele virar realista demais pro meu gosto e insensível no beisebol.
    Deu pra ver a diferença gritante dele com o pai: o Sato até tinha este tom duro, que compensava pela determinação deste de querer destacar o time e a si próprio nas partidas, só não ficava menosprezando os outros pelos acertos e erros.
    Ver e ouvir tal coisa me deixou com muita, muita pena do Daigo. E como isso o desconcertou de vez, resultando na derrota do Fuurin e ver ele voltando ao patamar inicial da temporada anterior, deu muita pena dele. Com certeza, o time terá de dar forças e esperanças pro garoto dar a volta por cima. A cena do hospital foi bonitinha, desnecessária, nem tanto: já adiantando, o amigo do Nishima vai ficar no time e gostei que este, pelo menos, tem tocado do potencial e carinho do time com alguém como ele; há mais um personagem que vai entrar no Fuurin, mas, vou me ater, apenas dizer que será uma adição e tanto ao time. Se pintar terceira temporada, espero que aconteça a tal adição.

    Até a análise do último episódio da segunda temporada de “Major 2nd”.

    • Kakeru17

      A impressão que tive é do Hikaru ter feito aquilo de propósito, para incentivar o Daigo a se esforçar ainda mais, se não foi isso, se era só o que ele realmente pensava e pronto, então com certeza foi muita escrotidão da parte dele. Não sei se você sabe a razão pelo mangá, mas penso que quer ele tenha um objetivo ou não, não é como se o Hikaru deixasse de ser um personagem importante por isso. O Daigo pode mostrar que ele estava errado, né, claro, só em uma possível terceira temporada.
      Fico feliz que mais gente vá entrar, já imaginava algo assim, porque disputar torneio sempre sem reservas não daria mesmo. O autor de Major é ótimo, mas caleja demais os personagens, então tem que compensar isso em algum momento. E até já imagino quem vai entrar, mas vamos deixar em off para evitar spoilers kkk.
      Agradeço o comentário e logo mais solto o artigo do último episódio, que já saiu, mas ainda não vi, estou me guardando para quando puder escrever.

Comentários