Seguindo em frente com a humilde vidinha de recém casado, o Nasa agora enfrenta suas maiores “dificuldades”, graças a sua mente masculinamente dividida entre a perversão e a inocência. Quem diria que a agitação da inexperiência romântica ia agitar ele a ponto de uma mísera cama acabar resultando em uma viagem a casa de seus pais?

O sono da Tsukasa realmente é algo fora do normal e é uma das piadas que não envelhece no anime, mas aqui é interessante como a piada serve de origem para criar um novo clímax, obviamente que graças ao marido maluco e seu exagero comicamente necessário.

Por mais que esteja se adaptando as novidades e indo até com calma, o protagonista meio que entra em um rompante desembestado nesse episódio, perdendo o controle total de várias das situações que se mete, começando com o sonambulismo de sua esposa.

Até então o Nasa que estava super controlado – talvez até demais para alguém tão cheio de hormônios -, se deixou levar pela emoção de dormir abraçado a garota, o que rendeu o bizarro momento deles se “aninhando” na cama de solteiro. Nessa parte é engraçado ver como ele vai se entregando a própria luxúria e como ela reage do jeito mais inesperado possível, desarmando e ao mesmo tempo inflando a mente dele.

Depois da “piração” que resultou no desejo de arrumar uma casa maior, vemos como o personagem descamba na sua persona mais ecchi, visualizando todas as vantagens que ele pode obter com essa troca. Ainda que escorregue nos pensamentos, o que sempre destaco nele é que não importa o quanto sonhe ou queira ir além, o Nasa nunca deixa de pensar no que a Tsukasa quer.

Ele poderia perfeitamente agir com egoísmo, simplesmente fazendo toda a movimentação e arrastando a esposa junto sem muita história, já que o mesmo é quem trabalha e tem o dinheiro em mãos, mas gosto do fato de que ele coloca a vontade dela como algo importante para si, tentando dialogar sobre o porque de se mudar da kitnet – ainda que seja ele o maior beneficiado no fim das contas.

A moça por sua vez tem uma personalidade engraçada, porque assim como o marido, ela tem as suas iniciativas e desejos, mas frequentemente o boicota sem perceber, com o controle de gastos que faz – uma ironia, considerando que normalmente as mulheres são bem mais “mão aberta” que os homens. A sorte dele é que o lado cinéfilo e otaku da Tsukasa é a melhor arma para convencê-la a qualquer coisa e aqui ela sai do modo razão e desembesta igual.

O que me chamou atenção nisso tudo é que o Nasa simplesmente esqueceu da existência dos pais ao longo do tempo, precisando ser lembrado graças ao seu “fogo”. Como até então nenhum dos pais de qualquer lado haviam sido apresentados ou sequer citados, acreditei que eles ficariam de fora, mas fiquei surpreso e contente por eles fazerem parte desse processo.

Algumas mães e pais dos animes sempre são aquela dose de comédia e simpatia que todo mundo pede, logo, com a mãe do rapaz não foi diferente. No pouco que foi introduzida, ela já se mostrou divertidamente maliciosa e inteligente para arrochar o filho – como a Kaname -, características que me fazem ansiar pelo que ela pode apresentar ao vivo e a cores.

Esse trecho falando sobre se apresentarem aos pais, também abriu margem para teorizar que os pais da Tsukasa podem aparecer ao final da temporada, talvez até como parte de um arco final, já que ela tem toda a questão envolvendo a sua origem lunar e a lenda – seria legal ter eles como um desafio a ser vencido para que a moça fique no Japão.

Falando em obstáculos, a Chitose retorna com a missão de atrapalhar a lua de mel dos dois, uma vez que ela percebe que os pais do Nasa facilmente aprovarão a relação deles. Sinceramente ainda aposto nela como o alívio cômico extra que só ameaça, porque não vejo nas palavras dela qualquer tipo de força para se opor ao casal, já que ela ama sua irmã/amiga e de certo modo confia no protagonista – só não admite isso porque é tsundere mesmo.

Enfim, seguindo a viagem rumo a casa dos pais, o casal segue com seus momentos bonitinhos e que reafirmam que eles são um casal show, com aquela dose açucarada e doida de sempre.

Agradeço a quem leu até o final e nos vemos no próximo artigo!

  1. Avatar

    Este anime está cada vez mais doce, tão doce que quase me deixa diabético.

    Desde do primeiro episódio que já adoro a Tsukasa e o Nasa e este episódio reforçou ainda mais isso. O começo do episódio já começou muito fofo, o Nasa por uns momentos sentiu um dos prazeres de um casamento (o beijo que a Tsukasa deu no Nasa nesse momento foi ultra fofo).

    O que dizer do restante do episódio, o esforço do Nasa em proporcionar o conforto necessário para a sua amada Tsukasa é sempre muito lindo de se ver, o facto de eles irem trocar de casa é um passo importantíssimo para a vida do jovem casal.

    Ri demais quando o Nasa contou à sua mãe que se casou, a reacção dela foi mais do que o normal. Só pelas mensagens já dá para ver que os pais do Nasa são tão bons quanto ele, estou ansioso para o Nasa apresentar a Tsukasa para eles.

    A parte da viagem foi a parte que mais gostei do episódio, acho incrível como a Tsukasa é simples e humilde, ela preferiu ir num ónibus cujos assentos são duros como pedra em vez de ir no Trem Bala luxuoso, mulher assim é para casar e estimar a vida inteira. O Nasa não entende essas atitudes dela, mas ela só não quer dar despesa com coisas menos importantes (o Nasa a sair do ónibus estilo mestre Kame de Dragon Ball foi uma referência nota 10).

    Para terminar, o Nasa tem cada viagem mental, só por viajar já pensa numa possível lua de mel, o garoto está com o fogo.

    Como sempre, mais um excelente artigo JG.

    • JG

      Obrigado Kondou!

      Olha, se você ainda está quase diabético, eu já devo estar bem além disso kkkkkk. Cada vez eles encantam mais, apenas fazendo o básico e de uma forma mais natural, porque existem outros romances que tentam apostar na fofura e não tem esse mesmo carisma, as vezes forçam até demais e com o Nasa e a Tsukasa é diferente. Fora a personalidade legal de ambos, acredito que o jeito deles levarem a sério o sentimento um do outro, sem muita problemática, faz toda a diferença no contar da história e a forma como eles se aproximam a cada episódio.

      Valeu pelo comentário e apareça mais por aqui!

Comentários