Bom dia!

Acho que a moral de Dorei-ku é que as pessoas se deixam corromper muito fácil quando têm poder. O que é uma moral já velha mas sempre atual, porque dolorosamente verdadeira. Mas dar escravos para alguém para provar esse ponto não é nada engenhoso.

Quero dizer, não é como se existisse escravidão benevolente para começo de conversa.

Ler o artigo →

Bom dia!

Eu me senti mais burro ao terminar de assistir esse episódio. Já é o segundo em que os supostos protagonistas não fazem nada de relevante. E se eu reclamei que no episódio anterior o anime tinha começado a inventar regras novas e incompatíveis com as antigas, a partir desse esqueça as regras. É regra o que o autor quer que seja, a hora que ele quer que seja.

E o final. Aquele final. E eu que achava que a reviravolta do final do terceiro episódio já tinha sido bizarra. Meu amigo…

Ler o artigo →

Bom dia!

As regras do jogo sem objetivo de Dorei-ku pareciam simples no primeiro episódio, e mais ou menos funcionaram no segundo. Esse terceiro parece ter sido jogado sob novas regras.

Quais são as regras dos SCMs afinal? Por que o que o manual diz aparentemente não é a verdade, se não parece que o anime terá uma subtrama com os personagens descobrindo e enfrentando o gênio do mal que criou os aparelhos?

Hoje, no Anime21.

Ler o artigo →

Bom dia!

Tá mais pra “dai-me forças!”. A garota chamando o “Seiya” o episódio inteiro invariavelmente me lembrou do Cavaleiro de Pégaso. Fazer o quê? Cavaleiros do Zodíaco foi meu primeiro anime afinal de contas. E agora estou aqui escrevendo sobre Dorei-ku. Continuo fazendo más escolhas, mas naquela época eu pelo menos poderia declarar ignorância. Hoje em dia, dizer o quê? Sou sádico mesmo.

E eu sei o que eu escrevi ontem, nas primeiras impressões de Hisone to Masotan, ok? Não faça essa cara.

Ler o artigo →

Bom dia!

Se Mahou Shoujo Site é o anime de pessoas boas (pelo menos a protagonista) comendo o pão que o diabo amassou tendo a chance de se vingar de seus algozes e do mundo com magia, Dorei-ku é o anime de pessoas horríveis sofrendo a retribuição divina por meio da tecnologia. Mais ou menos isso.

Ler o artigo →