Terceira temporada anunciada. Novos Hashiras em cena. Um final digno para Ume e Gyutaro. Nenhum dos heróis morreu. Não tem como o Arco do Entretenimento ter tido saldo mais positivo. E ah, eu não poderia esquecer, teve Nezuko chibi e Uberzuko. Esse anime é bom demais, né?

Ler o artigo →

Flashback em cemitério é death flag descarada ou seria uma tentativa de nos induzir a pensar nisso? Não sei, o fato é que não há muito mais o que se comentar sobre a família do Uzui e seu passado como ninja, só que ele fala “extravagante” demais e isso é irritante e bobo, totalmente.

Ainda assim, é inegável que a relação com suas esposas é interessante. Senão pela simplicidade da dinâmica (uma é mais madura, as outras duas ficam brigando e o Uzui só ri), vale a ideia de deixar o campo de batalha após um objetivo traçado a fim de finalmente aproveitarem a vida.

Ler o artigo →

É só impressão minha ou a Nezuko fazendo cara de sádica fica ainda mais linda? É uma pena que ela conseguir luta signifique justamente ceder ao seu lado oni, que ela tenta conter o tempo todo e de toda forma, senão a preferiria sempre em posse desse poder, literalmente empoderada.

Ler o artigo →

O episódio começa com o resgate de uma das três esposas do Uzui, a Hinatsuru, e uma palinha do que vimos com mais clareza no final, que o Hashira prioriza a vida acima da missão, subvertendo a lógica para a sua classe, os ninjas. Não tem como não gostar de um cara desses.

Ler o artigo →

O pilar do som se move sem fazer barulho, e era um ninja, só o Inosuke que é meio bicho do mato para se surpreender. Aliás, essa é uma das coisas que mais tenho curtido nesse arco, o contraste entre o exibicionismo e a discrição, presente em ambos, heróis e vilões.

Ler o artigo →

Será que o Muzan se vestiu de mulher no fim da primeira temporada porque ele mesmo dá suas saidinhas para fazer alguma coisa no distrito da luxúria? Não sei, mas não surpreendeu uma Lua Superior estar lá, assim como um outro detalhe que você pode ter deixado passar despercebido.

Ler o artigo →

A seriedade do Zenitsu ao encarar o papo de maluco do Uzui e do Inosuke são um atestado do fundo do poço em que esse anime chegou, o qual nos proveu uma comédia sem vergonha, mas da qual devo admitir ter gostado, só acho que enrolaram um pouco demais, mas, né…

Ler o artigo →