[sc:review nota=5]

Com uma semana de atraso o terceiro episódio de Assassination Classroom finalmente foi transmitido. Se você ainda não sabe, o episódio deveria ter passado na TV japonesa na sexta-feira, dia 23, mas foi adiado porque aquele dia coincidiu com a data limite imposta pelo Estado Islâmico para que o governo japonês pagasse o resgate por dois reféns japoneses ou eles seriam mortos. Por isso, suponho, acharam que seria indelicado transmitir um episódio que trata justamente de assassinato. Infelizmente os dois reféns foram mortos pelos terroristas. Enfim, nesse episódio o professor Koro salva, de forma literal, o estudante mais problemático de sua sala até agora. Esse certamente é só o começo para redimir esse adolescente e dar a ele uma chance na vida e um lugar no mundo, mas esse é o trabalho de um professor. Não é?

Para ser sincero, esse tipo de coisa só funciona em ficção. Adolescentes tão desviados de seu caminho como Karma não podem (e não devem) ser salvos apenas por um professor normal. Cuidado especial é necessário. Não ficou claro se o ex-professor dele realmente se suicidou ou se ele usou essa palavra apenas querendo dizer que para ele esse professor estava morto, que é algo que ele diz em outro momento do episódio. De todo modo ficou claro que Karma é violento demais (e nesse nível não importa que pelo menos em uma das ocasiões ele tenha usado sua força e temperamento para ajudar outro aluno) e está mentalmente machucado demais para que apenas um professor comum, um bom professor, possa salvá-lo do futuro de delinquência que o aguarda. Licença artística à parte, já que nesse tipo de história se espera que professores façam mais do que seriam normalmente capazes (é ficção afinal), o professor Koro não é normal também, então está tudo bem, eu acho.

Karma ainda tem um longo caminho até se tornar uma pessoa capaz de viver em sociedade, e não estou aqui dizendo que ele precise ser moldado pela sociedade tampouco estou me referindo aos métodos opressivos da escola para moldar seus alunos. Veja, Karma não é como Sugino, que está apenas deprimido e sem perspectiva, mas é uma boa pessoa e pretende continuar seguindo em frente mesmo desistindo de seus sonhos. A coisa da qual Karma desistiu é muito mais profunda: ele desistiu de acreditar no mundo, de confiar em outras pessoas. Seguir em frente não é opção para ele. Ele está frustrado, é agressivo e quer descontar toda a sua raiva contra a sociedade. Ao invés de apenas não ocupar um lugar na sociedade, ele está em rota de colisão contra ela. E precisamos viver em sociedade, para o bem e para o mal. O professor Koro ajudou Karma a dar apenas o primeiro passo, o caminho ainda será longo e espero que o anime desenvolva mais esse personagem, nem tanto por ele ser interessante mas mais porque seria ridículo abandoná-lo nesse momento. É uma classe inteira, eu sei, não dá para se dedicar profundamente a cada um, mas espero um pouco mais de desenvolvimento para ele.

Eu não sei porque Karma é violento. Ele parecia já ser assim antes de se perder completamente. Talvez tenha sido porque desde o começo ele não recebeu o acompanhamento apropriado. Ele é muito inteligente, e como nessa escola apenas a inteligência é valorizada, seu professor encobria seus atos de violência. Suponho que ele era violento apenas porque sim, porque ninguém nunca disse a ele que não deveria ser. Um dia, contudo, ele bateu e machucou bastante um aluno melhor do que ele – mais inteligente, quero dizer, ou pelo menos que tirava notas maiores. Nesse dia, e só nesse dia, seu professor resolveu dizer não. O fato do Karma ter feito isso para defender um aluno da turma 3E (a Turma do Fim) e dele próprio ter sido enviado para essa turma como punição em seguida apenas coloca em evidência as escolhas e métodos errados da escola e do professor que foram responsáveis por esse desfecho, mas tenho certeza que mesmo sem isso o efeito psicológico para o Karma teria sido o mesmo. Na verdade talvez fosse até melhor sem a turma 3E envolvida, pois dá a entender que se não tivesse defendido um aluno da 3E (mas mesmo assim tivesse machucado um aluno melhor do que ele) ou se não tivesse sido enviado para ela (mas mesmo assim tivesse levado aquela bronca do professor) tudo poderia ter sido diferente. Se a intenção de Assassination Classroom é mesmo dizer o que um sistema de ensino e um professor não devem fazer, a mensagem é melhor transmitida sem esses ruídos que representam elementos extremos que creio que não estejam presentes na imensa maioria das escolas japonesas. Entenda: o crucial ali é que o Karma feriu alguém acima dele, mais inteligente. Ele podia ferir quem quisesse, suas notas davam a ele essa autorização, exceto alguém com notas melhores que a dele. Ser violento não é problema nessa escola, o problema é não ser inteligente. É nisso que essa escola e esse professor são profundamente perversos.

O professor Koro recebe Karma como um aluno normal e o trata como a qualquer outro aluno. Isso pode ser suficiente para Nagisa recuperar sua auto-estima, mas não é o bastante para alguém como Karma recuperar a confiança em um professor de novo. Seu ex-professor sempre disse estar a seu lado e mesmo assim o abandonou, afinal. Se ele foi traído recebendo tratamento especial, não é recebendo o tratamento normal que ele irá voltar a confiar. Ele não hesita em nenhum momento e tenta matar o professor Koro repetidas vezes durante o episódio. É o primeiro aluno a atingi-lo: duas vezes ainda por cima. Ao perceber que não importava o que fizesse não tinha chance de atingir o polvo amarelo, ele improvisou e apostou a própria vida: pulou de um penhasco e ficou de prontidão para matar o professor assim que ele se aproximasse para salvá-lo – ele não poderia fazer isso em velocidade supersônica e evitar ser atingido pois isso despedaçaria o corpo do aluno. Se o professor Koro não tentasse salvá-lo, contudo, ele estaria desistindo de seu voto como professor. Seria apenas mais um fracasso como professor e Karma morreria certo de que não tinha mesmo razão para confiar nele. Mais uma vez dramático, exagerado, mas eficiente. O professor tinha um truque com o qual ele não contava, contudo, e usou seus tentáculos para criar uma rede nas árvores abaixo que amorteceram a queda do Karma, e seu muco o impediu de se movimentar e matar o professor. Nesse momento o professor Koro salvou a vida do Karma da morte na queda literalmente. E da morte na sociedade esse foi apenas o primeiro, pequeno e importante passo.

Discussão