Gakkou Gurashi está sendo um prato cheio para aqueles que, assim como eu, adoram procurar detalhes e tentar descobrir a verdade por trás do que é mostrado. Ao longo dessa série espero contribuir com uma boa percepção e com a elaboração de teorias malucas! É provável que a empolgação me faça errar mais vezes do que acertar, mas o importante é especularmos juntos e nos divertir fazendo isso, certo? Eu sei que o anime é baseado em um mangá (muito bem avaliado por sinal), mas não tenho a intenção de lê-lo antes de todos os episódios serem lançados. Quero saborear cada instante da trama apresentada no anime e acho que ter ciência do que se passa no mangá estragaria muito a magia dessa experiência.

O episódio dessa semana nos trouxe informações importantes sobre o passado de algumas personagens. O trauma, ainda não revelado, de Yuki provavelmente foi o mais forte de todos já que ela perdeu o controle da realidade. Porém, já deu para perceber que o restante do grupo não está em uma situação psicológica muito melhor do que a dela. Kurumi e Miki passaram por momentos extremamente traumáticos no passado e também estão lutando para manter sua sanidade mental. Um breve diálogo entre Miki e Yuri revelou que Miki sobrevivia em um shopping com outra(s) pessoa(s) antes de ser resgatada pelo grupo atual e, pela expressão triste que ela faz ao se lembrar disso, não seria nenhum absurdo deduzir que essa(s) pessoa(s) sofreu(ram) um fim trágico.

Além do resgate da Miki, também são apresentados alguns dos recursos de sobrevivência que a escola possui, como a horta no telhado e o uso de baterias solares. Esses fatores reforçam a teoria de que o grupo pode ter escolhido a escola para morar por estratégia e não necessariamente por serem todas alunas de lá. Bom, nesse episódio tivemos a certeza de que pelo menos a Kurumi estudava lá; teria sido ela a pessoa que sugeriu que o grupo deveria estabelecer sua base ali?

Em termos de segurança, a escola também é uma excelente opção, já que é possível manter os zumbis afastados através do improviso de simples barricadas feitas com carteiras empilhadas no final dos corredores. Fiquei bastante impressionada ao perceber que a Kurumi chama para si toda a responsabilidade de manter o grupo seguro. É ela quem faz as rondas, confere as barricadas e se expõe ao perigo de enfrentar os zumbis que estão por perto. As memórias que a perturbam nos mostraram que ela foi atacada justamente pelo garoto por quem era apaixonada e naquela hora ela nem fazia ideia do que estava acontecendo, do inferno e caos que havia acabado de tomar a cidade. É inegável que ela possui instintos e reflexos excelentes pois, mesmo com toda a confusão do momento, conseguiu reagir e matá-lo antes de ser morta. Ao contrário do que aconteceu com a Yuki, esse fato traumático parece ter servido para deixar Kurumi com uma consciência de realidade melhor do que todas as outras garotas. E é exatamente por ela ter tanta noção do perigo existente que eu me pergunto: por que ela se propõe a fazer tudo isso sozinha?! Seria pelo medo de perder mais alguém que ama? Será que ela perdeu a esperança de ter um futuro feliz, portanto quer apenas garantir que suas amigas continuem vivas, não se importando com o que possa acontecer a si mesma?

Apesar da Kurumi ser a única que demonstra ter habilidade e coragem suficiente para usar uma arma branca com o propósito de matar zumbis, acredito que a Miki tem potencial para ajudá-la e provavelmente fará isso no futuro. No momento, eu diria que o fator que impede a Miki de se desenvolver a ponto de conseguir ajudar a Kurumi, é a liderança da Yuri. Não posso dizer que ela é uma líder ruim, aliás, pelo menos por enquanto, ela é a que demonstra maior estabilidade emocional. Porém, Yuri tem um otimismo tão grande que chega a ser perigoso! Ela acha que consegue fazer o grupo viver da maneira mais natural possível, como se quase nada tivesse mudado. Ela acredita que, no fundo, os zumbis ainda se lembram da vida que tinham e é por isso que ela quer que a Kurumi evite matá-los. A Miki já demonstrou que também não concorda com a passividade da líder, principalmente com relação ao comportamento da Yuki. Já a Kurumi evita emitir sua opinião, pois não gosta de contrariar Yuri. Mesmo assim, faz o que sabe que é necessário para garantir a sobrevivência. Se a líder não mudar o seu comportamento, quem vai pagar por isso é a Kurumi que continuará “carregando” o grupo nas costas. Que tipo de acontecimento seria necessário para conseguir fazer a Yuri mudar de postura?

O ápice desse episódio foi, sem dúvidas, o teste de coragem. Foi muito arriscado para o grupo sair da área protegida pelas barricadas, mas não poderiam perder a oportunidade de buscar mais suprimentos sob o pretexto de realizar mais uma das vontades de estudante colegial normal da Yuki, aproveitando a história que ela criou em sua mente. Achei que as cenas foram bem construídas, fiquei tensa o tempo todo e, sinceramente, pensei que já teríamos a primeira vítima do grupo nesse episódio: Megumi. Deixei para falar dela no final porque esta personagem está me deixando muito intrigada. Semana passada terminei de assistir o primeiro episódio com a certeza de que Megumi era só mais uma das tantas pessoas que só existem na imaginação da Yuki, afinal, ninguém além da Yuki interagiu com ela. Já nesse segundo episódio Megumi aparece diversas vezes, inclusive tomando café da manhã com as meninas, dando aula para Yuki, participando do teste de coragem, etc. Ao final do episódio, eu estava convencida: Megumi existe de verdade e quase morreu.

Então decidi escrever esse texto para compartilhar meus pensamentos com vocês, queridos leitores desse admirável blog. Para isso, andei conversando com amigos, assisti ao episódio novamente e, adivinhem só? Mudei de ideia de novo! Pois é, acho que não são apenas os personagens deste anime que vão precisar tomar cuidado para manter sua sanidade mental. Enfim, vamos aos fatos:

Apesar de Megumi estar supostamente presente na mesa do café da manhã, nenhuma das garotas parece notá-la. Até comentam sobre poder comer curry pela manhã por serem jovens e estarem em fase de crescimento. Não apenas isso, notem que na cena que aparece assim que Yuki (e Megumi) saem da sala, há apenas quatro copos em cima da mesa e não existe nenhuma cadeira no lugar em que a Professora supostamente deveria estar sentada poucos segundos atrás.

Onde está a cadeira da professora Megumi?

Onde está a cadeira da professora Megumi?

Acredito que quando Yuri diz que as garotas não devem se preocupar com a Yuki quando ela está na companhia da irmã é porque, na mente da Yuki, a Megumi faz o papel do “superego” e é por isso que ela consegue ser mais racional e “freiar” seus instintos quando acredita estar na presença de Megumi.

Megumi também aparece, sem explicação nenhuma, na frente da sala onde as garotas vão pegar os suprimentos. Não faz sentido nenhum ela estar andando sozinha fora da área segura. Além do mais, as outras garotas só a cumprimentam depois que a Yuki afirma que a professora está ali, assim como na cena da biblioteca, após se livrarem do zumbi.

Para encerrar, gostaria também de citar uma cena do início do episódio, onde as garotas aparecem dormindo. Há apenas quatro futons. Se a irmã da Yuki fosse mesmo real, por que ela não dormiria junto com as meninas na sala do clube? Se fosse para não estragar a “fantasia” da Yuki, acho que seria mais fácil inventar uma justificativa para ela dormir ali, do que deixá-la dormir sozinha em algum outro lugar, não é mesmo? Portanto, o meu veredito é que Megumi está definitivamente morta.

Dormitório

  1. Gosto de animes mindfuck tipo esse. Madoka deixou uma boa influência no mundo dos animes. É bom que nem sempre se pode confiar no que se vê nesse anime. Acompanhando semanalmente e fielmente.

Discussão