[sc:review nota=4]

 

 

Me senti na necessidade de escrever este artigo como um pedido de desculpas ao meu saiyajin favorito. Há dois anos, desde que assisti ao filme no cinema, meu respeito por ele caiu por terra diante do comportamento constrangedor diante de um gato roxo e mimado. A dancinha, o suor, a tremedeira, tudo isto era tão OOC (Out Of Character) que eu não conseguia esquecer. Desta vez, assistindo aos fatos mais devagar e analisando com cuidado, eu entendo perfeitamente o lado dele. Vegeta é o único naquele navio que entende o tamanho do perigo que é a presença de Bills ali: ele sabe que Goku foi derrotado em dois golpes com a maior facilidade, e ele lembra de ver o seu poderoso pai ajoelhado e rendido diante do deus da destruição por conta de um mísero cachecol. O próprio Vegeta foi imobilizado sem maiores problemas. Ele tem a plena noção de que é impossível prever o que o deixará bravo a ponto de querer destruir o planeta e que, se isso acontecer, ninguém poderá impedi-lo. Nem ele, nem Goku, nem todos juntos. Eu deveria ter compreendido melhor que algo que faça o príncipe sayajin sacrificar seu orgulho para evitar a todo custo um confronto direto só poderia ser a maior ameaça pela qual a terra passou. Ele tentou ser um herói, e eu tive vergonha dele. Me desculpe, Vegeta.

Existe um ditado que diz que a ignorância é uma bênção. Agora, vendo os participantes da festa incluindo Bills e Wiss em sua comemoração sem sentir o perigo, eu só posso concordar com ele. Bulma dá seu braço a ele, Yamcha bate em suas costas (mwahahahha!), Kuririn oferece um takoyaki que pode estar cheio de wasabi. Tudo parecem brincadeiras inocentes, mas ao mesmo tempo podem custar a vida na Terra, e o apavorado sayajin entende tudo isso. Então, toma para si a tarefa de tentar deixar o gato calmo e, quem sabe, garantir que ninguém morra. Ele sabidamente adivinha que os maiores perigos ali são Piccolo e Majin Boo, sendo que os demais podem apenas causar danos indiretos (poxa, Trunks, uma pistola de água, sério? Quase matou seu pai de ataque cardíaco!). E olha, ele tentou. Ahhh, como tentou. Ficando por perto, mantendo-o alimentado e até preparando ele mesmo os takoyakis, tudo para agradar o deus mimado, mas por culpa de um guloso e egoísta Majin Boo este perdeu enfim a paciência e resolveu dar um fim em tudo. E quero dizer, tudo mesmo. Todo mundo aí lembra do caso do pudim, né? Pudera; a maior ameaça pela qual a Terra já passou (sim, puristas, admitam que dói menos) foi causada por uma pequena porção de doce que, caso Bills fosse um pouco mais racional, logo teria a sua própria fornada recém preparada. Além disso, a causa foi alguém que já tentara ferrar com nosso planetinha azul miserável antes (também tinha doces envolvidos naquela vez). Sério, Majin Boo é tipo aquele cara chato pra burro que incomoda todo mundo e faz se perguntar “Quem convidou esse cara?”. Damn, Satan!

Aquele momento em que você entende que a coisa ficou extremamente feia.

Aquele momento em que você entende que a coisa ficou extremamente feia.

Bills tá bem irritado, então a maioria da galera já percebeu que ele não é exatamente um amigo do Vegeta. Ao verem Boo apanhando e Veggie recuando, todos concordam que é preciso chamar reforço competente. Mas na falta deste, vamos de Gotenks mesmo – pior ideia da vida. Certo, os garotos estavam por fora da bagunça e acharam que as Esferas do Dragão estavam ameaçadas (mas da turma do Pilaf não desconfiam!), mas Gotens é uma fusão que concentra tanta arrogância saiyajin que não dá pra ignorar. E ele não ignorou. Oh, as pancadas vão doer amanhã de manhã, mas vê-los sendo tratados como as crianças levadas que são foi primoroso. Depois deles, vai todo mundo pra cima do cara, e são automaticamente derrubados. Aliás, o único motivo pela qual todo mundo ainda está vivo é graças ao verdadeiro herói do planeta, Whis, que pediu uma pausa no massacre para preparar um bento de sushi pra viagem. Claro, destruir o planeta alheio é a melhor coisa pra abrir o apetite, heim? Luta vai, luta vem, porrada de um lado, gente caída de outro, até eu tava ficando sem paciência já. Finalmente todo mundo perdeu e caiu, e olha, Vegeta ainda tá aqui? Sim, e bem frustrado por estar sendo menos útil do que o lastre do navio. Vamos brincar, eu ativo o SSJ1 e ataco! Aí cê me bate e me humilha na frente da minha família e de todo mundo que eu conheço! Claro que Bills topa, e é com o guerreiro a seus pés (literalmente) que se dá uma das minhas cenas favoritas em toda a franquia DB, e uma que me fez tornar a questionar a racionalidade da Bulma. Sigam meu raciocínio.

"Amassou a minha roupa, pirralho."

“Amassou a minha roupa, pirralho.”

Veggie está prestes a ser vaporizado, mas sua adorável esposa resolve intervir e estapeia – ES-TA-PE-IA – Bills no rosto. Bulma, garota, você está na história desde o começo, ajudou o Goku em sua jornada, sabe sobre saiyajins e aliens mais do que qualquer outro, e ainda não aprendeu a ter noção do perigo? Garota, tenha dó. Mas voltando ao gato roxo; surpreso, ele devolve o tapa, mas com uma intensidade muito maior. Pronto, era o que bastava: Vegeta se emputece por ele ter batido em sua Bulma (com essas palavras, que bonitinho, adoro), e libera um poder absurdo. Todo o medo, receio, trauma que ele tinha dentro de si desaparecem ao ver sua esposa inconsciente e ferida. Gente, eu como garota e shippadora profissional me reservo no direito de ficar bem feliz em (re)ver um dos meus tsunderes de raiz favoritos demonstrar um raríssimo momento de amor por sua companheira. E é esse amor que ele tanto reluta em esconder que resultou no que provavelmente é a sua maior descarga de poder desde sempre. Mas será que mesmo isso basta para derrotar seu inimigo? Descubramos semana que vem, nesse mesmo canal e horár… Tô de zoa, claro que não, Goku ainda precisa aparecer e salvar a pátria. Tô de boinha com isso, nada a qual eu já não esteja sumariamente acostumada.

 

Corre, Berg!

Corre, Berg!

Discussão