Não. E antes de achar que escolhi um título caça-clique, bom, pense em como talvez você mesmo visse Ajin como um novo Tokyo Ghoul, ou como você conheça pessoas que falam de Ajin dessa forma. É impossível alguém que assiste animes por temporada há pelo menos um ano (o que é pouco tempo) não ter pelo menos ouvido falar de Ajin como algo semelhante à Tokyo Ghoul. Eu mesmo tratei Ajin em termos de comparações com Tokyo Ghoul no Guia da Temporada. Não vou me explicar porque seria inócuo, eu poderia estar mentindo não é? O que importa é a palavra dada. E de qualquer forma devo uma retratação, então peço desculpas a quem possa ter dado expectativas inadequadas.

Para ser justo, há sim semelhanças entre Tokyo Ghoul e Ajin, e porque elas existem e porque o primeiro já era conhecido e famoso é que escrevi o que escrevi, tentei facilitar, mas acho que acabei sendo raso demais. Porque essas semelhanças, que existem e não são poucas, não são criação original de Tokyo Ghoul. É só uma estrutura, um tipo de história. Seria como eu dizer que Fairy Tail é parecido com One Piece porque seus protagonistas chutam bundas e têm muitos companheiros. É verdade, eles são assim mesmo, mas Fairy Tail e One Piece são só isso? Ou esse é apenas o ponto de partida deles?

As diferenças são muito mais importantes, e se já foram notáveis no primeiro episódio, na sequência devem se aprofundar cada vez mais. Acredito que no final será difícil dizer que Ajin e Tokyo Ghoul sejam animes “parecidos”. Mas sim, ambos tratam de preconceito através da metáfora da desumanização, transformando “o outro” fictício literalmente em um monstro temível e assustador (pelo menos no primeiro episódio de Ajin; ainda é possível que se torne algo completamente diferente, embora eu creia que se manterá por aí). Estão longe de serem os primeiros a fazer isso e não serão os últimos. Foi um bom episódio? Eu acho que sim, porque…

Logo no começo o anime te convida a escolher um lado. Ficar em cima do muro, tentar conciliar a todos não é uma opção

Logo no começo o anime te convida a escolher um lado. Ficar em cima do muro, tentar conciliar a todos não é uma opção

Esse primeiro episódio não começa na correria, ele calmamente exibe o cenário, explica o básico do que é um ajin, e apresenta o protagonista Kei e sua família. Nada de combates, nada de grandes comoções. Bom, Kei ser descoberto um ajin é uma bela de uma comoção, mas não aconteceu nada de verdade, estão apenas procurando por ele por enquanto, e você não acha que em ajin a definição de “grande comoção” vá se limitar a bloqueios policiais e operações de busca, acha? Mesmo que ajin se torne uma história de fuga, o que eu não acredito que vá ser o caso mas é possível, certamente Kei irá se meter em problemas muito maiores no meio do caminho.

Antes de sua vida virar do avesso, Kei sempre se esforçava para ser "um ser humano melhor"

Antes de sua vida virar do avesso, Kei sempre se esforçava para ser “um ser humano melhor”

No final do episódio eu fiquei com a sensação de que havia sido muito lento, de que não havia acontecido nada. O ritmo de Ajin realmente é diferente do ritmo normal de um anime para TV, e isso é assim porque essa série para TV é na verdade a recompilação de uma série de filmes. Com cenas novas e uma edição diferente, acredito, mas ainda assim o roteiro original foi pensado para um filme (na verdade, alguns filmes, creio que sejam três no total). O roteiro dita o ritmo e Ajin acabou sendo assim. Não é melhor nem pior, só significa que o anime não terá formato episódico, dificilmente terá arcos inúteis, os clímaces podem ter distribuição diversa do esperado para uma série de TV, e embora a história seja carregada de tensão não necessariamente os episódios terminarão com ganchos. Esse episódio mesmo pulou alegremente todas as oportunidades de gancho para terminar em uma situação tensa, mas estável, com os dois garotos escapando na moto. Tudo isso evidentemente vai depender muito do trabalho do diretor, mas tirando pelo primeiro episódio acredito que tenda a ser por aí.

Kaito se esforçava para terminar cada dia, suponho?

Kaito se esforçava para terminar cada dia, suponho?

E caramba, pensando um tempo depois percebi que aconteceu sim bastante coisa nesse episódio! Kei transmitia uma sensação de deslocamento, tanto em sua casa quanto na escola, e a prova de que algo o incomodava veio de sua irmã, que disse amargurada em uma cama de hospital que se o irmão não estivesse interessado em nada não teria ido até lá. Acredito que ele estivesse sentindo algo, talvez pensando em algo mas talvez apenas sentindo algum tipo de incômodo, e precisava conversar com alguém. Não confia em nenhum de seus colegas de classe, está afastado do Kaito por ordem de sua mãe, a própria mãe naturalmente não servia, então ele foi até a irmã.

Há um clima de vigilância permanente causada pela recompensa milionária pelos ajins, além dos preconceitos e etc

Há um clima de vigilância permanente causada pela recompensa milionária pelos ajins, além dos preconceitos e etc

A Eriko não gosta nada do irmão, e a essa altura só posso especular o porquê. Há um flashback de quando eles eram garotos e tiveram contato com um ajin. Não está claro se a Eriko viu esse ajin, mas o Kei viu e muito bem visto. O Kaito estava lá, mas sua participação no incidente é nebulosa também. O que será que aconteceu ali? Será que Kei sempre foi um ajin, ou terá se tornado um depois daquele evento? O que colocou a Eriko no hospital foi aquele incidente? É por causa disso que ela não gosta do irmão? Bom, no hospital ela falou também sobre como o Kei se afastou do Kaito. Será que ela ressente o irmão por causa desse afastamento? Por que a mãe deles ordenou que ele se afastasse do amigo em primeiro lugar?

Eriko e Kei, que não se dão bem

Eriko e Kei, que não se dão bem

O Kaito parece normal, mas não são muitas crianças normais que pensariam em empacotar mantimentos para uma longa fuga e subir na sua moto para salvar a pele de um amigo que se afastou ao descobrir que ele está sendo procurado pelo país inteiro. Ele pode ser assim superdotado e super-preparado para tudo ou pode ser só porque é conveniente para o enredo mesmo. Mas sempre existe a chance de haver algo mais. Como se ele soubesse que esse dia poderia chegar e ele deveria estar pronto para tanto.

Publicamente, existem apenas dois ajins no Japão, e Kei se torna o terceiro. Ele próprio não parecia saber que era um ajin, e o normal é que não soubesse mesmo por tudo o que se sabe sobre ajins até agora. Ele estava confuso, agiu de forma descuidada e negava pateticamente que fosse um ajin. Por outro lado não pude me livrar da impressão de que ele talvez já soubesse, e era isso o que estava deixando-o preocupado em primeiro lugar. Ele deu sinais ambíguos a respeito.

No final, os dois garotos apenas começaram a fuga, e a essa altura ela pode durar por todo o anime tanto quanto pode ser encerrada abruptamente logo no próximo episódio, mas de um jeito ou de outro só deixaram uma grande coleção de dúvidas no caminho por onde passaram. E eu estou ansioso pelas respostas. E olha que só listei no artigo as dúvidas que tenho sobre os personagens, há ainda uma outra enorme coleção de dúvidas sobre a natureza dos ajins. Falarei dessas noutras oportunidades, conforme avançam os episódios. Até o episódio 2!

Reconheça-se que Kei é uma pessoa determinada

Reconheça-se que Kei é uma pessoa determinada

Discussão