Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Nem é preciso conhecer a história original (o mangá) para saber que a adaptação de Dimension W deixou muito a desejar. O anime teve um bom começo, apresentando personagens interessantes em um futuro interessante, mas depois veio uma sequência de arcos aparentemente desconectados enquanto a história avançava apresentando novos personagens que não tínhamos ideia de que papel teriam na história – se algum. Aquele ex-Gretel loiro por exemplo é um personagem que ficou muito sem sentido. No começo parece ser um vilão, depois descobrimos que ele tem algo a ver com o Kyouma, que estiveram juntos por um bom tempo em algo muito importante na vida do protagonista, e depois … isso tudo não serve para nada depois. É assim com personagens demais antes do arco final.

Aí veio o arco final. Também foi relativamente confuso, e tenho certeza que boa parte do impacto que a história deve ter no mangá se perdeu com o pouco tempo e a imensa quantidade de cortes que deve ter tido. De novo um exemplo relacionado ao Kyouma: certamente rever um ex-companheiro levantar-se como um zumbi mutante controlado eletronicamente à distância deve ter tido um impacto grande no protagonista, mas assistindo o anime é impossível sentir isso. No máximo parece um pequeno infortúnio. Mas a história se tornou empolgante, costurou bem toda a colcha de retalhos que foram os arcos anteriores, e os personagens principais e as relações entre eles se desenvolveram e foi divertido de assistir tudo isso.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Kyouma se encontrou com Miyabi usando Genesis

Kyouma se encontrou com Miyabi usando Genesis

Eu já disse em diversas ocasiões que esse anime é baseado em mangá do mesmo autor de O Senhor dos Espinhos, e repito de novo para começar falando sobre isso. Você leu O Senhor dos Espinhos? Futuro próximo, um grupo de pessoas unidas pelo acaso em um cenário de sobrevivência e mistério combatendo criaturas monstruosas. Não é exatamente igual, mas tem muitos elementos em comum com Dimension W, especialmente o arco final de Dimension W. Uma das coisas mais legais de ler O Senhor dos Espinhos foi tentar adivinhar as respostas para os mistérios. Da mesma forma, tentar adivinhar respostas para os mistérios foi muito divertido em Dimension W. E não sei se Dimension W é mais previsível ou se eu aprendi uma coisa ou duas tendo lido O Senhor dos Espinhos, porque após assistir o episódio final de Dimension W posso dizer que acertei quase tudo o que previ, mas não posso dizer o mesmo sobre a outra obra, hehe.

Seameyer em seu estágio final de loucura destrutiva

Seameyer em seu estágio final de loucura destrutiva

Mas acho que isso pode ser problema da adaptação também. O Senhor dos Espinhos tem uma reviravolta atrás da outra, pistas falsas, é bastante difícil acompanhar tudo e há elementos demais para levar em consideração. Dimension W, o anime, parece ter uma história bem mais direta nesse aspecto. Não houve nenhuma grande reviravolta. Imagino se no mangá o autor não entregou uma história bem mais confusa, mais parecida com O Senhor dos Espinhos. Bom, o único arco que eu li no mangá de Dimension W, o das crianças, foi um arco de ação bem normal, sem muitos mistérios. O autor pode mesmo ter mudado o estilo narrativo nessa obra.

Com sua bobina enlouquecendo, Mira foi em direção ao Seameyer para que sua destruição o levasse junto

Com sua bobina enlouquecendo, Mira foi em direção ao Seameyer para que sua destruição o levasse junto

Fiquei muito satisfeito em saber que a Mira não é de forma alguma a falecida noiva do Kyouma, a Miyabi (último artigo, vou usar o nome dela agora, hehe). Ela não herdeu as memórias da Miyabi, apenas foi construída com um dos corpos que haviam sido preparados para a garota mesmo. Por um lado, a falta de qualquer surpresa aqui é um pouco frustrante, porque esse é o tipo de coisa que eu gostaria de estar errado, mas pensando apenas na Mira prefiro o personagem dela assim. Ficou confuso? Que tal assim: eu gosto da Mira e por isso não ficaria feliz se ela fosse só uma personalidade falsa, uma existência temporária, mas ao mesmo tempo o anime, de propósito ou não, insistiu tanto nessa possibilidade que eu esperava que algo saísse disso. Algo, qualquer coisa. Eu achava que não sairia nada, e não saiu, mas o anime fez um bom trabalho em construir a expectativa que, no final, ele não cumpriu.

Kyouma a salva, apesar de tudo

Kyouma a salva, apesar de tudo

Eu também havia cogitado a hipótese do Dr. Yurizaki ter ido parar na dimensão W ao invés de simplesmente ter morrido, e eu estava parcialmente correto, não é? Bom, pode ter sido só alucinação do Seameyer enquanto seu corpo se desfazia no infinito, mas se todas as possibilidades existem na dimensão W, quero acreditar que exista também a possibilidade de que algo do Dr. Yurizaki ainda esteja vivo por lá. Talvez seu plano tenha sido desde o começo abrir seu próprio portal para a dimensão W e salvar o Seameyer – no sentido redentor da salvação. E embora seus planos tenham sido interrompidos, ainda assim ele conseguiu aparecer para seu pupilo como uma figura de luz, um espírito de redenção.

Elizabeth chora a morte de Loser

Elizabeth chora a morte de Loser

Voltando à Miyabi e comentando sobre sua morte. Bom, isso eu mais errei do que acertei. Eu havia cogitado que ela teria salvo o Kyouma que teria sido pego pelo desastre da Ilha de Páscoa, mas não foi assim que aconteceu. O Kyouma estava muito bem, obrigado, quando decidiu usar a Genesis para ajudar sua noiva a se salvar. E aí as coisas ficam confusas. Será que a operação deu errado porque o Kyouma foi até lá, ocasionando toda sorte de distúrbios na dimensão W, ou será que já estava dando errado de qualquer jeito? No primeiro caso, o Kyouma ferrou tudo, e no segundo ele poderia tê-la salvo mas a um custo alto: não seria apenas a Ilha de Páscoa que sofreria com o desastre da materialização da dimensão W. Quero dizer, isso parece que aconteceria de qualquer forma a partir do momento que o Kyouma decidiu se transportar usando Genesis, o que significa que em qualquer caso a decisão que os dois tomaram foi a melhor: desistir e destruir a super bobina.

A despedida entre Kyouma e Miyabi

A despedida entre Kyouma e Miyabi

No final o Loser morreu, o que eu achei um destino razoável para o personagem trágico que ele sempre foi, e sua “filha” Elizabeth ficou compreensivelmente consternada. Gostei de vê-la no final em cima de um edifício, como uma vigilante, hahaha, ela virou tipo um Batman androide? Depois de descobrir que a Genesis havia sido destruída o Seameyer enlouqueceu de vez e decidiu acabar com o mundo inteiro, mas foi impedido graças ao trabalho em equipe de todo mundo, incluindo os príncipes isleros e os irmãos gorduchos. Mas sem dúvida o destaque do episódio vai para Kyouma e Mira. Ela mergulhou nas memórias dele para ajudá-lo a se lembrar onde estava Genesis, e isso forçou tanto sua bobina que ela estava prestes a ferrar tudo como apenas uma bobina é capaz de ferrar, e mesmo assim continuou lutando. E mesmo sabendo disso Kyouma foi ao resgate dela – e também nessa ocasião o espectro do Dr. Yurizaki se fez presente, diminuindo a possibilidade de que seja uma alucinação. O Kyouma conseguiu fazer às pazes com seu passado e junto com a Mira encontraram o caminho para um futuro de infinitas possibilidades.

Kyouma e Mira, apenas o futuro adiante

Kyouma e Mira, apenas o futuro adiante

Comentários