Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

E tudo junto e misturado no final! De um jeito ou de outro o Charioce sempre consegue atrapalhar a fuga da Nina e da Joana sem querer, né? Mas tudo bem, porque o Favaro finalmente reencontrou todo mundo!

Curta o anime21 no facebook:

E o Charioce construiu … ahn … sua própria estrela da morte? Quero ver aquela coisa funcionar, o que quer que ela deva fazer quando funcionando. Aparentemente estão lá todos os cavaleiros negros, cujo nome sempre me esqueço, mas acho que são Cavaleiros de Ônix (uma pedra negra, é só me lembrar disso). Não entendi muito bem se eles vão operar aquela esfera ou se, sabe, eles são parte dela. E o Charioce parece ser a parte final, ou de alguma forma indispensável para sua operação. Bom, se eu fosse um rei inescrupuloso sedento por poder que construísse uma arma do juízo final capaz de derrotar um exército de deuses, eu certamente faria com que a operação dessa arma dependesse de mim. Se ele vai meramente operar (usando magia da mesma natureza que aquela usada para submeter demônios?) ou se ela é que irá de alguma forma usá-lo para funcionar é algo que está para ser visto ainda.

Um ovo redondo talvez?

Posso especular sobre a natureza daquela bola negra do apocalipse? Posso! Digo, podendo ou não, eu vou! Provavelmente é algo com o que os deuses não contavam, portanto não deve ter a ver (diretamente, pelo menos) com as relíquias que Charioce vem roubando deles. Eles saberiam o poder do que foi roubado, certo? Ou mantém um inventário tão ruim assim de suas próprias relíquias? Em não sendo algo divino, pode ser demoníaco. Mas será que há algo demoníaco capaz de suplantar os deuses que, contudo, foi facilmente subjugado pelos humanos com aquele poder esquisito? E será que os deuses não tinham a menor ideia da existência de tal poder? Se contudo não for nem divino nem demoníaco, tem de ser uma terceira opção. Meramente fruto do engenho humano eu duvido que seja, então o que será? O que existe em Bahamut além de deuses, demônios e humanos? O que existe em Bahamut? Bahamut? Oh…

Se for o caso, que bom que os heróis já têm experiência com isso. Quem sabe até reencontrem certa pessoa. E eles já estão até no lugar certo pra ver tudo dar errado quando o Charioce ativar o globo mortal. Porque vai dar tudo errado, tem que dar tudo errado, sem isso qual será o próximo arco? Vou assistir o Charioce feliz queimar até o último ser vivo do mundo no último metro quadrado de terra rindo feito um maníaco? Antes fosse! Tenho certeza que ele faria isso com cara de tédio. Nem graça teria. O sujeito que alertou o Charioce para o risco de dar merda fez isso porque vai dar merda, senão seria um alerta narrativamente inútil. O que significa “dar errado”, contudo, eu não faço a menor ideia. Não sei o que é aquilo, não sei como aquilo funciona, como vou saber como não funciona? A única coisa que eu aposto é que a Nina vai ter papel fundamental para resolver tudo depois. Algo parecido com Favaro e Amira.

Com isso dei conta dos heróis e do Charioce nesse artigo, mas e os deuses? Muitos morrerão mesmo? Se for para manter o “equilíbrio”, como quer a Gabriel, teria que ser assim, hehe. Demônios foram massacrados afinal de contas e sequer contam com um reino para chamar de seu. Nesse exato instante, aliás, demônios devem estar se livrando de seus grilhões e fugindo de seus senhores na cidade, já que o Mugaro/El está desativando o poder da magia usada para mantê-los sob jugo em uma vasta área. Anatae está sendo atacada impiedosamente pelos deuses, uma rebelião demoníaca pode irromper a qualquer momento, e a esfera da danação deve vir terminar o serviço em breve. Os seres humanos estão lascados. Os deuses precisam ter sua cota de morte e destruição também. Assim estará preservado o equilíbrio.

  1. Este episódio de Bahamut foi muito bom (tão bom, que por momentos, parecia que estava a ver um filme do Indiana Jones com aquela fuga da Joana e da Nina da prisão). A parte da fuga, neste episódio foi interessante e tal, mas foi o ataque dos Deuses à capital Real dos humanos, Anatae que mais gostei de ver. Quanto ao facto, dos deuses serem de cor negra (neste caso, aqueles que parecem cópias do Baco quando era mais novo), não é surpresa nenhuma. Na primeira temporada, quando os deuses se uniram aos humanos e aos demónios para combater e selar o Bahamut, o exército dos deuses era formado por vários deuses de diversas culturas, como o Poseidon entre outros. Os deuses de cor negra que atacaram a capital real, devem ter sido baseados em deuses da cultura indiana. A partem em que os deuses descem do céu, e começam a atacar os soldados do Charioce foi muito satisfatória, eles mereceram a ira dos deuses. Só fico espantado com a cara mais do mesmo, do Charioce perante tal situação. Ou ele não tem medo de nada ou então o poder subiu-lhe à cabeça e o Charioce perdeu a noção do perigo durante esse processo.
    Mas foi aquele objecto de cor preta que roubou a atenção neste episódio. Que raio é aquilo, será um ovo, ou então um objecto que parece um ovo, tirado de uma civilização anterior aos humanos? Desde da primeira aparição de tal objecto de tamanho colossal no subterrâneo da prisão, que fiquei curioso pelo mesmo. Pelo nível de tecnologia, pensei logo que aquilo pudesse ser, uma tecnologia de uma civilização antiga, muito anterior à actual civilização dos humanos, mas como o Charioce conseguiram tal poder e tecnologia é que ainda continua no segredo dos deuses. Aquela bracelete do Charioce que serve como chave para o Dromo, é muito suspeita, parece muito com as braceletes que o Baco dava aos caçadores de recompensas. Se o meu raciocínio da bracelete misteriosa do Charioce estiver correcto, os deuses devem ter obliterado a tal civilização que construiu o Dromo, como o receio que estes fizessem frente a eles (também o medo que a cobra da Gabriel demonstrou ao presenciar tal objecto já disse tudo).
    Agora que a Joana mais a Nina conseguiram fugir, só quero ver o que elas planeiam fazer. Quanto ao El, o poder subiu-lhe à cabeça, com aquela atitude mais parece um mini nazi com pavio curto.
    Quanto ao Favaro, nem é preciso dizer nada, ele tem sempre sorte nas fugas.
    Como sempre, mais um excelente artigo de Bahamut Fábio.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Pensei a mesma coisa sobre Indiana Jones =) Rage of Bahamut é um jogo online (um card game) estilo fantasia com todas as referências possíveis que ele conseguir ter, então acho bem divertido que o anime tome inspirações da cultura pop geral também.

      E faz sentido, deuses indianos. Embora o Baco seja romano e também seja moreno, né? Hehe. Será que ele já foi um deus guerreiro, como aqueles tantos? Teve um caso com Sofiel, se desencantou com os deuses e passou a morar no mundo humano. E história dele sozinha daria um anime! Não algo tão épico quanto o Genesis ou Virgin Souls, mas uma boa comédia, ou dramédia pelo menos. Quase que animam um escolar (Manaria Friends), por que não uma comédia, não é?

      Depois de vermos que o Charioce de fato está trabalhando por um objetivo (ainda desconhecido) e que ele sabe que está passando por cima de todos no caminho, que isso é algo que ele deveria sentir remorso, acho que fica mais fácil entendê-lo, não é? Eu faz tempo que tenho essa teoria, mas o episódio mais recente praticamente confirmou que eu estava certo. Bom, pessoas que sabem que estão fazendo algo errado e mesmo assim insistem, que se arrependem mas reprimem seus sentimentos, tendem a se auto-sabotar, de forma consciente ou inconsciente. É uma forma de se sentir menos pior consigo mesmo, algo como, “eles poderiam ter me parado mas não conseguiram; a culpa não é só minha”. Não deixo de condená-lo por seus atos e querer que ele pague por seus crimes, mas não consigo sentir raiva do Charioce.

      O El é um caso pior porque ele não sente remorso nenhum…

      Obrigado pela visita e pelo comentário =D

      • Uma comédia, com a história de vida do Baco, seria uma aventura super cómica (e com muito vinho à mistura). Já estou a imaginar um anime, com o Baco como protagonista, a cada falar apareceria sempre, um idiota pelo meio mais um monte de soluços do excesso de pinga que ele bebeu. Se juntar-mos ao Baco o Hamsa no mesmo anime, a risada seria do inicio ao fim dos episódios.

      • Excelente titulo Fábio. Quem sabe se quem banca o anime, não dá uso a esse titulo, para um novo anime de Bahamut.

Comentários