Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Opa! Tudo bom com vocês? Mais uma semana, e mais um episódio de Aho Girl. E claro, esse episódio mais uma vez fez jus à famosa definição do anime: Non-sense. Um pouco mais nesse episódio eu diria (lol). Mas e aí, bora lá?

O episódio 11 deu um foco um pouco maior em três personagens: Ruri, Ryuuichi e o famoso An-chan.

Sendo bem sincera, até esse episódio eu achava a participação da Ruri indiferente. Não via diferença na aparição dela, inclusive achava ela um tanto sem graça. Mas eu realmente me identifiquei bastante com ela nesse último episódio, porque ela mostrou interesse e muita força de vontade em crescer e possuir alguma utilidade.

Não é fácil simplesmente perceber que até o presente momento você não possui talentos, mas isso não fez ela se abater, e ela continuou tentando mesmo não tendo sucesso após várias tentativas. Não são todas as pessoas que possuem essa força de vontade e disposição a ter alguma “utilidade” ou aptidão. Essa parte do episódio me fez começar a gostar bastante dela.

Sinceramente, a parte do Ryuuichi foi bem surpreendente, e não por causa dele, mas sim da Yoshiko. Por conta da proposta do anime, você acaba apenas conseguindo imaginar e pensar na Yoshiko como uma idiota que de vez em nunca consegue falar uma coisa certa (e olhe lá), mas ela também é um ser humano (com o baixíssimo QI ), e ela possui sentimentos como raiva e tristeza também (de um modo bem cômico, como de costume). Ao mesmo que tempo que eu ri bastante com algumas partes dessa cena, e fiquei bem surpresa com como a revolta da Yoshiko foi expressada.

E não podemos esquecer da parte mais fantástica do episódio (lol): a parte do An-chan (ou cachorro). Eu já achava fantástico o fato de ele ser um cachorro inteligente, e claro que me divertia muito com as interações dele com o Akkun. Mas esse ultimo episódio foi o mais non-sense o possível. Até porque é a coisa mais normal do mundo um cachorro ter capacidade de salvar uma criança contra uma corrente forte, salvar outra criança de ser atropelada e até combater bandidos, não é mesmo? Apenas um retrato do que vimos no dia a dia.

E apesar de uma última parte bem comum (lol), o episódio foi como sempre divertido. E confesso que estou com saudades do Akkun. Será que semana que vem teremos ele no episódio? Espero vocês na próxima! Bye :3

Comentários