Bom dia!

O Café com Anime é um bate-papo descontraído sobre animes da temporada entre mim e meus colegas Gato de Ulthar, do Dissidência PopVinícius, do Finisgeekis, e Diego, do É Só Um Desenho.

Continue lendo para ver como foi a conversa da semana sobre o Kujira no Kora, episódio 9!

Fábio "Mexicano":
FRUTA QUE CAIU!
Finalmente entendi que tipo de porcaria anime é Kujira!
Fábio "Mexicano":
É daqueles que parecem uma aventura de RPG de mesa. Um dos mais recentes que eu me lembro de ter assistido (e dropado com … 3 episódios?) foi Chaos Dragon. Aquele era literalmente uma sessão de RPG, ele se vendeu como tal.

A coisa com RPG de mesa é que os jogadores já conhecem todo o lore (ou o suficiente) antes da partida. Muito é aprendido e discutido off-game também. E bom, é um jogo. As coisas simplesmente acontecem, e todo mundo acha muito legal porque é divertido. Mas assistir uma partida de RPG de mesa não é tão divertido assim.

Menos ainda quando você não conhece o lore e ele é jogado na sua cara conforme é invocado. Mal temos tempo de digerir uma informação, outras cinco são jogadas. Esse episódio foi o cúmulo disso. E eu vou ter que escrever um artigo sobre ele. Vou escrever o quê? “Dorgas, manolo”? O que lá foi real e o que foi imaginário? Eu não sei! Nem quero saber. Só queria ter visto a conclusão da batalha. O anime está quase acabando, essa definitivamente não é a hora pra acrescentar aquele tonelada de meias-informações.

Gato de Ulthar:
Não sei nem por onde começar a falar…. A tentativa canhestra do careca em matar o Ouni? Lhe deu um golpe de espada, depois enfiou a lança na perna, e porque diabos não o executou de primeira? Já sei, para o Ouuni despertar seu modo berserker mais convenientemente…

Ou ainda o velho problema de esticar uma morte por um tempo gigantesco, eu já estava quase dormindo e a porra do amigo do Ouni ainda não tinha partido por assim dizer…

Teve ainda a velha e boa atuação dos minions que atacam por turnos….E que depois se jogaram de Falaina….

E os efeitos idiotas do novo poderzinho do Ouni?

Eu entendi bem? O Nous de Skylos estava chantageando o Chakuro oferecendo uma coisa que eu não entendi bem?

Ahhhh que agonia, se não fosse o Café com Anime eu já tinha dropado essa bomba colosssal. Mas vamos lá, só mais três episódios….

Fábio "Mexicano":
Se prepara que o próximo episódio vai ser pior:
Gato de Ulthar:
Ahhhh o que diabos é isso? Eu que já tinha pulado os créditos para não ficar ainda mais constrangido. Mas quer saber? Se é pra chutar o balde eu quero o anime fique o pior possível para ver até onde eles conseguem chegar.
Diego:
Sabem… Eu fui pra esse episódio pensando se eu não tinha sido duro demais com o anime na semana passada. Eu estava cansado, com uma imensa má vontade, vi o episódio pulando partes, então resolvi ir pra esse novo com a mente mais aberta possível e tentar ver se, desligando o cérebro, eu conseguia aproveitar o anime um pouco mais. Acabou que eu precisaria estar em coma pra aproveitar uma porcaria desse tamanho.
Diego:
Esse episódio foi uma coletânea embaraçosa de clichês que chega a dar raiva. Vilão fazendo discurso e depois ainda demorando pra matar o mocinho, pra dar tempo dos heróis se recuperarem. Draminha forçado quando um personagem completamente descartável e sem presença nenhuma acaba morrendo. Ouni tirando poder do vento e fazendo o que deveria ser impossível. Minions assustados, embora não devessem ter emoção nenhuma. LITERALMENTE uma cena de “tentação no deserto” para o Chakuro e a Lykos, antes de se revelar que o nous vilão ia dar aquele objeto de qualquer jeito. Sério, o roteiro desse anime é de um amadorismo que eu esperaria de um adolescente de 14 anos. Como diabos essa coisa conseguiu ser publicada?! Qual o raios da revista que tem um padrão de qualidade assim tão baixo que beira o inexistente?
Gato de Ulthar:
Sei que o My Anime List não é exatamente um modelo para constatarmos a qualidade de um anime, mas, incrivelmente, o anime de Kujira possui uma nota boa, 7.61, e o mangá está melhor ainda, 7.81. Como o Diego perguntou qual o raios de revista que publicou essa aberração, foi a Mystery Bonita (que espécie de nome é esse?), uma revista voltada ao shoujo, e tirando Kujira, nunca ouvi falar de nenhum outro mangá que ela publicou.
Vinícius Marino:
Eu já vi fãs em grupos de anime dizerem que só de ouvir o opening começam a chorar, de tão emocionante que Kujira é para elas. Eu, também, sou movido por Kujira. Quando começa a passar, sinto vontade de me mover para longe da TV.

Brincadeiras à parte, acredito que há algo nesse anime que mexa com algumas pessoas. Por exemplo, a cena do Nibi afundando na areia parece o topete do Donald Trump criando vida própria e rumando para uma vida melhor. Imagino que isto deva emocionar muita gente.

Fábio "Mexicano":
Falando nisso, já vi muitos animes sendo criticados por bem menos. Kujira, por outro lado, parece estar agradando uma quantidade razoável de pessoas. Por quê será?
Gato de Ulthar:
Há gosto pra tudo. Tem muita gente que afirma cabalmente que um anime bomba como Charlotte, foi o melhor anime de suas vidas! Então, gostar muito de Kujira não é impossível.
Fábio "Mexicano":
Vou puxar um comentário real do Facebook, ligeiramente alterado:
Fábio "Mexicano":
“Kujira no Kora é o melhor anime dessa temporada, para quem gosta de um anime que contém emoção e luta esse é uns dos melhores” (anexo a uma imagem justamente desse nono episódio)
Diego:
Pessoas são burras e ignorantes e não conseguem ver os óbvios defeitos que nós, intelectualmente superiores, conse- argh, ok, não. Brincadeiras bobas de lado, algumas pessoas simplesmente são mais facilmente afetadas por obras mais “emotivas” do que outras. Kujira no Kora é um anime que apela bastante para a emoção, e enquanto isso nos irrita por não julgarmos que o anime conquista o impacto emocional que ele quer ter, com outras pessoas ele pode funcionar muito melhor. O Gato levantou Charlotte, que é um caso bem semelhante: algo que apela para emoções que nós podemos considerar forçado, mas que com algumas pessoas funciona. Paciência, nem todos veem animes da mesma forma, afinal rs
Fábio "Mexicano":
Sendo justo, eu acho que O Grande Evento de Charlotte foi muito mais bem trabalhado do que tudo até agora foi em Kujira. O problema foi o que veio depois – uma bagunça total. O anime se desrespeitou.
Vinícius Marino:
Lembram que eu comparei Kujira à Glória Peres (mais de uma vez, por sinal)? É a mesma coisa. Kujira é uma série melodramática, que nos ganha pelas “entranhas”. Todo esse choro, esse sangue, esses inserts songs indesejados têm em si um apelo visceral. É a pornografia do feels.
Fábio "Mexicano":
Eu gosto da trilha sonora 😃

E acho que até melodrama pode ser feito certo. Foi o caso da morte da Sami, por exemplo. Mas na média o próprio anime está muito abaixo disso.

Vinícius Marino:
Existem excelentes animes de melodrama (metade da obra da Mari Okada caberia aqui). E há excelentes usos de melodrama em todo tipo de anime. O problema é a pornografia. Kujira faz com as relações humanas o que o PornHub faz com o sexo. Objetifica a ação para o prazer descerebrado e imediato.
Gato de Ulthar:
Enfim, Kujira é um apelo barato às emoções. Só que isso não me comprou. E creio que ninguém mais aqui ficou extasiado pelos “complexos conflitos emocionais” presentes na série. Parece uma novela mexicana. As cenas de morte de Kujira me lembraram da cena que é considerada a pior cena de mortes do cinema (detalhe que o vídeo possui 1 minuto, em Kujira são no mínimo 10 para alguém morrer completamente):

Fábio "Mexicano":
No episódio anterior já foi difícil, mas vamos tentar novamente: algo se salva nesse episódio, na opinião de vocês?
Gato de Ulthar:
A morte do Nibi. Menos um personagem pentelho para encher o saco.
Diego:
Eu concordaria com o Gato se a morte dele não tivesse sido arrastada como foi, então melodrama por melodrama preferia ele vivo só pra não ter que aturar aquilo. E sobre algo bom… bem, os personagens estavam melhor integrados aos cenários do que no episódio passado, então tem isso.
Vinícius Marino:
Gostei daquela parte em que o vulcão explode e todo mundo morre incinerado que nem os romanos de Pompéia. Não pera… esse foi outro anime.
Vinícius Marino:
É… acho que não gostei de nada então.
Fábio "Mexicano":
Esse episódio foi difícil mesmo, né 😃 Posso ser repetitivo e dizer que gostei da animação e da trilha sonora? Não que a essa altura isso importe ou salve qualquer coisa. Só para dizer que teve algo mesmo.
Fábio "Mexicano":
E nem dá pra torcer pra Kujira melhorar. A essa altura, o melhor que tenho a dizer é: que aguentemos até o final! Até semana que vem!

Discussão