Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

É sério, eu conto nos dedos as histórias que já acompanhei e não envolviam proteger algo ou alguém. Isso pode parecer muito “básico” e muito “manjado”, mas é certo que sempre funciona, principalmente em histórias de mangás shounen, que incentivam o esforço em prol de um objetivo, que geralmente é proteger esse algo ou alguém. O melhor dos clichês para o anime que é feito deles!


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Como sempre, não há tanta coisa assim a se falar sobre Black Clover, e mesmo com aquela enrolação de praxe o anime conseguiu entregar um clímax relativamente bom de acordo com o que tinha apresentado até agora – mesmo que ainda aquém no quesito cenas de ação e impacto. Um ponto positivo dele foi o fato do prefeito realmente ter morrido e de não terem exagerado no drama dessa morte, conseguindo fechar razoavelmente bem a lição que acho que queria ser passada através dela.

Suspensão de descrença, a gente vê por aqui kkk…

O fato do Asta, um plebeu, ter sido agraciado pelo povo simples e humilde pela vitória foi bacana também e uma recompensa dentro de um dos temas que o anime trabalha – as diferenças entre classes. A Noelle passar a respeitar o Asta, mesmo ele sendo um plebeu, é um reflexo disso, que os esforços dele em mostrar que quem não tem magia e dinheiro também é “gente” estão dando certo.

Aliás, houve outro bom momento que saiu dessa luta, a hora em que o Asta afirma que se tornará o Rei Mago para proteger as pessoas. Provando que não se trata apenas da promessa que ele fez com o Yuno, se trata dele querer trazer felicidade às pessoas, dele querer mudar a realidade do seu Reino.

Esse tipo de cena tem tudo pra ser legal e foi mesmo!!!

Vendo bem, o próprio Asta, apesar de ser órfão e pobre, não é um revoltado vitimista, muito pelo contrário, ele é uma pessoa boa e feliz que se esforça por seus objetivos. Acho que muito disso veio dele ter sido criado em uma casa com amor e carinho, o que compensou todo o infortúnio que é ser pobre e não ter magia nesse mundo. Okay, isso tudo é clichê e você já acompanhou em trocentas outras histórias, em trocentos outros animes, mas será que é realmente ruim? Será que ainda assim, ainda que seja super manjada, não é uma mensagem tocante e um objetivo digno pelo qual se viver?

Acho que tanto lutar por si mesmo, lutar por alguém ou lutar pelos outros, são motivos justos pelos quais se lutar, dadas as devidas circunstancias, é claro. Então, para esse tipo de história, com essa proposta e esse desenvolvimento, é o normal e até que é bom. Triste será o dia em que me faltar empatia o suficiente para achar bonito um personagem ter um objetivo puro e gentil como esse!

Acho que o anime está mandando bem na construção dela! ❤

Achei coerente o suicídio dos inimigos, assim evitando vazar informação e provando lealdade a alguém ou a alguma causa – o que também condiz com o jeito misterioso e calculado que eles agiam. Isso foi bom também porque esse é um anime em que o protagonista trabalha em um exército de magos, no qual ele deve ter que realizar missões em que muitas vezes terá que matar inimigos, então mostrar desde cedo que pessoas morrem dentro desse contexto militar é adequado e se não é mais que a “lição de casa”, ao menos mostra que o anime consegue fazer a lição de casa bem-feita.

É claro que nem tudo são rosas e houve diversos defeitos recorrentes nesse episódio. Mas nem acho algo tão digno de nota, pois já falei sobre eles antes e até para errar Black Clover segue os clichês e comete erros já manjados de battle shounens – na verdade, não cometer esses erros agora descaracterizaria o anime kkk. Acho que, infelizmente, as cenas de ação não foram tão boas quanto deveriam – apesar de ter havido umas duas acima da média, se não me engano – e que a vitória deles não teve todo o impacto que poderia – se tivesse seguido o modelo de anime battle shounen, sobre o qual falei antes, teria tido –, mas também não foi de toda ruim, teve alguns momentos com boa animação, boa trilha sonora e boa escrita – nada de espetacular, mas nada ruim também.

Pode parecer inocente pensar assim, mas acho corajoso quem se esforça em prol disso!

Se ainda não dá para chamar de bom ao menos já não está tão longe assim disso. Acho que agora falta Black Clover pisar no acelerador e focar nas lutas e em trabalhar bem os inimigos de Clover – confesso que me esqueço muito fácil deles no mangá, mas talvez seja só eu que não esteja prestando atenção o suficiente. Por hoje é só, e se o futuro ainda não parece assim tão promissor, terem anunciado um jogo do anime, logo após terem anunciado um de Boku no Hero-senpai, prova que os produtores estão apostando no sucesso da série, que – mesmo que não seja enorme – será já o suficiente para sustentá-la como franquia, o que espero que dê certo, pois isso vou pagar para ver! Literalmente, afinal devo comprar o jogo kkk.

Até o próximo episódio desse battle shounen clichê!

P.S.: Aquela cena misteriosa no final do episódio foi boa nesse sentido de construir um plot maior envolvendo os Reinos. Espero que isso seja feito de uma forma mais consistente do que é no mangá, ou na verdade já é bem feita lá e sou eu que não consigo me ligar nessa parte direito.

  1. Pra mim o final do combate foi o melhor que poderia ter sido. Nada de espetacular, mas já mostra que caminho a obra irá seguir. Como seria esse tal estilo ”battle shounen” que ficaria impactante?

  2. Olha, se o anime fosse mais dinâmico, menos enrolativo, e privilegiasse essas cenas encaixando elas no final de um episódio, por exemplo, e ampliando a ação em comparação ao original, acho que seria mais impactante, mas empolgante. O anime melhorou consideravelmente nesses dois últimos episódios e espero que continue assim e até melhore, que se torne mais objetivo e construa bem o plot relacionado aquele final misterioso.

Comentários