Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Bom dia!

O Café com Anime é um bate-papo descontraído sobre animes da temporada entre mim e meus colegas Diego, do É Só Um DesenhoVinícius, do Finisgeekis, e Gato de Ulthar, do Dissidência Pop.

Continue lendo para ver como foi a conversa da semana sobre o Animegataris, episódio 10!

Curta o anime21 no facebook:

Fábio "Mexicano":
Parece que a Maaya é nerd de eletrônica. Por que outra razão ela teria um pijama com um resistor de 25MΩ? Ou talvez eu que seja, por saber que aquilo é um resistor e sua resistência…
Fábio "Mexicano":
(ainda assistindo)
Fábio "Mexicano":
Ok, agora sim. A história do diretor é aceitável, e o anime se tornou uma comédia de absurdo de vez, hein? Nada contra, funcionou bem. E por que começaram a chamar o Nakano de Aurora mesmo? Essa é uma piada que eu perdi completamente. Mas parece que ele é mesmo o “grande vilão”, e a sala fechada era mesmo “perigosa”.
Vinícius Marino:
Melhor episódio até agora. Engulo todas as minhas críticas feitas até agora: todos os tropeços, todos os momentos pouco inspirados valeram a pena – e com juros!

Finalmente Animegataris teve coragem de abraçar o non-sense e abandonar conflitos medíocres. Finalmente deu carta branca para suas personagens para aloprar completamente, com direito a um “confronto” com o diretor que pareceu uma boss fight de JRPG!

Gato de Ulthar:
Um episódio muito bom. Como já disseram acima, abraçando o non-sense Animegataris se encontrou completamente. O diretor da escola era um diretor de anime fracassado, ressentido pelo fato de seu anime ter sido cancelado depois do primeiro episódio. Eu realmente fiquei surpreso, em nenhum momento pensei que seria algo do gênero.

A cereja do bolo foi a descoberta de que o Nakano é mais velho do que aparenta…. Isso me lembrou o filme de terror A Órfã…
E adorei a abertura, parece que tem alguém na produção que é fã da amiga esportista da Minoa!

Diego:
Acho que alguém percebeu que não iam conseguir enfiar uma cena de fanservice da amiga esportista no episódio, então resolveram remodelar toda a opening só pra manter a piada 😃

E entrando no anime em si, de fato foi um episódio que abraçou por completo o absurdo, com algumas tiradas fenomenais. Em primeiro lugar, as caras da Minoa seguem me entretendo nesse episódio, com a conversa dela com o diretor rendendo momentos hilários. Mas acho que o mais interessante foi o mistério que se criou agora ao final. Aparentemente só a Minoa estranhou todo aquele absurdo, enquanto que mesmo o restante do clube achou perfeitamente normal tanto a chuva aleatória dentro da sala do diretor quanto o gato falando. Vou chutar que isso tem a ver com o motivo pelo qual o Nakano quer o clube fechado, e se for talvez seja algo “triggado” justamente pelo povo da escola agindo feito personagem de anime – o que explicaria porque a traição do Nakano vem só agora. Talvez o plano dele fosse apenas observar e só agir caso algo começasse a dar muito errado?

Fábio "Mexicano":
A Minoa começou a escutar o Neko-senpai depois de entrar naquela sala pela primeira vez. Todo mundo começou a escutá-lo (e em seguida as coisas enlouqueceram) depois dela entrar lá pela segunda vez, com os colegas na sala ao lado. O Nakano terminou o episódio olhando de forma sinistra para a porta. É por aí.
Vinícius Marino:
Há uma teoria rolando por aí de que o clímax de Animegataris será o elenco se dar conta de que estão em um anime. Se isto se concretizar, abre caminho para toda sorte de conflito pós-moderno: personagens lutando para que a “verdade” seja escondida, buscando um destino melhor, tentando escrever sua própria história, ou até uma elucubração metafísica à la Haruhi Suzumiya.
Fábio "Mexicano":
Se bem feito pode ser muito interessante. O Dia do Coringa é um dos livros mais divertidos que já li, afinal.
Gato de Ulthar:
Se o pessoal se der conta de que está num anime e isso for bem trabalhado, pode resultar em algo muito bom mesmo. No final das contas quero ver a cara da Minoa quando descobrir isso.
Fábio "Mexicano":
A Minoa vai achar muito legal 😛
Diego:
Ainda mais interessante do que descobrirem estar em um anime vai ser descobrirem que o anime deles está para acabar 😃 kkkkk
Fábio "Mexicano":
Tô falando, vai ler O Dia do Coringa 😛

Não é sempre que posso indicar livros assim, sou bastante inculto no geral 😛 Mas dessa vez eu posso, yay

Vinícius Marino:
Não acho que Animegataris terá a riqueza filosófica d’O Dia do Coringa, mas seria divertido de qualquer forma. 🙂
Vinícius Marino:
Se tem um tipo de humor que se traduz bem aos animes é a quebra de quarta parede. O próprio episódio de hoje mostrou isto bem.
Fábio "Mexicano":
Ah, sem dúvida, mas pode ter um final que, sem querer, o evoque de todo modo.

Especulações sobre a sala secreta, a boina, o plano do Nakano..?

Diego:
Além de não ter nenhuma ideia, eu me pergunto se a equipe do anime tem ou se vão pensar nisso no tempo que falta pra encerrar o anime 😛 (Ok, óbvio que não, mas esse lado da história foi tão pouco explorado que eu francamente não consigo nem teorizar)
Gato de Ulthar:
Fica difícil teorizar quando o próprio anime oferece soluções tão inacreditáveis para os seus mistérios, como quando se descobriu que o diretor da escola era um diretor fracassado.

E eu nem lembrava mais da boina!

Vinícius Marino:
Eu acho que o Nakano é um espécie de vampiro, ou ente imortal imune à passagem do tempo. Uma contraforça da natureza à hubris dos diretores de anime; o antagonista para manter o mundo girando; o alfa e o ômega da otakisse despudorada.
Gato de Ulthar:
Ou ele é super bem conservado, o que não é muio difícil para asiáticos.
Diego:
Ou era o pai dele na foto…
Fábio "Mexicano":
O anime ficou mesmo tão absurdo, e tão abruptamente, que é difícil especular. Criar teorias é fácil, mas não é como se qualquer uma realmente tivesse muito fundamento. Vamos parar por aqui então? Mas não sem a sessão de RPG da semana:
Fábio "Mexicano":
Você se preocupou com seus amigos meio … esquisitos. Ou talvez não tenha se preocupado e tenha ido na deles, não importa. O relevante é que, um dia, o mundo passa a parecer meio esquisito também. Mais: parece que só você está percebendo isso, enquanto todas as demais pessoas agem como se tivessem vivido suas vidas inteiras dentro de um desenho dos Looney Tunes. Será que você está enlouquecendo? Será que algo realmente está acontecendo? O que você faz?
Vinícius Marino:
Derrubo uma bigorna ACME no primeiro passante que cruzar a porta. Depois pinto um túnel para a realidade, atravesso e cubro com tinta cinza para ninguém me seguir.
Gato de Ulthar:
Isso ficou muito ficção científica! Entrar em mundos paralelos aparentemente parecidos com o nosso mas com algumas bizarrices adicionadas, me lembrou muito Philip K. Dick e Murakami.
Diego:
Eu acho que não faria nada e só ficaria na minha, vendo a confusão e até onde ela iria 😛
Fábio "Mexicano":
Respostas melhores do que eu esperava 😛 Confesso que eu meio que não saberia o que fazer, e talvez acreditasse estar ficando louco. Mas huh, eu aproveitaria? Seria como um sonho lúcido, talvez?

Ok, até semana que vem 😃

Comentários