Olá pessoal, como estão? O Natal foi agradável?

Essa semana tem uma semelhança e uma diferença em relação a anterior. A semelhança é que ambas passam uma ótima sensação de ambientação, semana passada foi um clima de velho oeste e na atual é um clima mais “filme de terror padrão”. Por outro lado, a diferença é simples e direta, este episódio é muito bem executado e encaixado, totalmente o contrário da semana passada que apesar de ter sido uma ideia interessante, foi mal encaixado na trama.

A jornada de Sword, Gina e Sophie rumo a Eldorado continua, já deu para entender que até que eles cheguem lá, algumas ideias básicas de “horror da semana” estarão dando as caras, o que para mim, é uma ótima ideia, desde que seja bem executada como foi neste episódio. Logicamente, o episódio não passa uma sensação de medo, mas sim uma pequena apreensão. Mas na verdade, o que realmente é o medo?

A relação da Sophie com a Gina tem sido cada vez mais aprofundada com breves ensinamentos filosóficos da Gina para com a Sophie, por assim dizer. A relação das duas tem se tornado tão bacana que elas já estão falando sobre sentimentos e afins, e tenho uma informação para o Sword: CARA, ELA ESTÁ TÃO NA SUA.

Foi bastante engraçado o monólogo do Sword sobre peitos e todo aquele papo sagrado e tal, seria esquisito se fosse qualquer outro personagem do anime falando isso, mas como foi o Sword, o especialista, está tudo certo, pois já é da personalidade dele falar esse tipo de coisa para nos fazer dar algumas risadas – claro, isso é bastante subjetivo também – e dar uma breve quebrada no clima. Novamente o Sword acabou rapidamente com o Horror e sem muitos esforços, mas quanto a isso não tenho o que reclamar, visto que o foco desta vez foi apenas não deixar o episódio vazio, e não nos fazer perceber que o Sword não é tão “onipotente” quanto pensávamos como já foi feito há algumas semanas.

É extremamente agradável ver que a trilha sonora foi bastante usada, e através dela, podemos entrar mais profundamente na ambientação que o episódio em si se esforçou para passar. Por outro lado, a animação deu algumas leves travadas em algumas partes, não que seja extremamente incômodo, mas diria que foi bastante perceptível.

O Luke provavelmente não vai encontrá-los antes de Eldorado, vamos esperar algo como uma entrada triunfal de repente assim como acontece direto em outros animes, caso isso aconteça e seja usado de um modo bacana, pode sair algo bastante empolgante, o que deve dar um impulso para o episódio e para a situação em si. Não custa nada sonhar, e olha eu criando expectativas sobre Garo: Vanishing Line outra vez, prometo que um dia eu aprendo, ou talvez não dê tempo de fazê-lo.

O anime tem se mantido relativamente interessante ao não se explicar completamente, assim, deixando sempre um mistério no ar e te dando algumas pistas para que você mesmo vá imaginando o que poderá acontecer e seguida. A pressa em andar com o “enredo da sinopse” é inexistente, não há pressa alguma, nem em questão à história nem em questão ao desenvolvimento de personagens, e apenas no início da temporada isso parece ser vago, mas depois de entender realmente a pegada do anime, você vê que é apenas questão de tempo até que ele possa começar a explicar as coisas direitinho, e claro, talvez não agrade todos, como eu mesmo me decepcionei em alguns pontos, e olha que estamos praticamente no meio da temporada. Muita coisa ainda vai rolar, nos resta torcer para que a qualidade atual se eleve ou pelo menos se mantenha até o fim, e até lá, o que temos são apenas algumas vagas especulações – outras nem tão vagas assim – sobre o decorrer dos acontecimentos futuros.

Muito obrigado por ler até aqui, por hoje é isso. Feliz Natal um pouco atrasado.

Discussão