Boa tarde pessoal, como vocês estão? Espero que estejam bem!

Sabe quando você tem uma sensação tão prazerosa ao assistir algo e tendo em mente que aquilo realmente está te empolgando? Pois bem, Garo: Vanishing Line tem me passado esta sensação nas últimas semanas.

O episódio dessa semana não tem o Sword, nem a Sophie, nem a Gina, e muito menos o Luke, mas tem algo que é realmente bonito de se ver: a aparição de um novo personagem aparentemente bem forte. Personagem esse que eu cheguei a pensar que poderia ser um novo aliado ou qualquer coisa do tipo por causa de um interesse comum, mas bem, foi mais proveitoso fazer-nos acreditar que ele era bem forte, mas que no final, a “Guarda do Rei” é que se sobressai, e isso é ótimo para nos dar uma sensação de perigo, esse que com certeza vai dar mais emoções quando a hora certa chegar. O poder de absorção é interessante, tendo assim, mais clones a medida em que ele absorve mais pessoas, e podendo usar estes clones em uma batalha, mas é claro que era a oportunidade perfeita para dar uma prévia da verdadeira força de uma personagem pouco mostrada até então, e isso foi executado da melhor forma possível, com uma animação muito boa, design de personagens consistentes na medida do possível, trilha sonora que empolga de verdade, poderes criativos e relativamente simples.

O conceito da cidade mostrada aqui foi extremamente interessante, de modo que em partes se concretizou o que eu havia comentado algumas semanas atrás – na verdade faz tanto tempo que eu nem lembro quando foi, mas que eu comentei isso eu sei –, sendo a parte em que as pessoas levadas para El Dorado eram usadas como comida; claro que isso ficou extremamente explícito na casa de shows, certo? Bem, de qualquer forma, meu acerto para por aí. Eu tinha em mente um cativeiro ou qualquer coisa do gênero onde as pessoas ficariam presas apenas como mantimento. Considerarei um meio certo, ok?

Agora que o Sword e companhia estão “chegando”, o Knight voltou de seu treinamento, o que me leva a ficar mais apreensivo, pois ele já era extremamente forte antes, imagina do que esse homem é capaz de fazer agora que teoricamente ficou mais forte… Algo interessantes está por vir.

E devo dizer que Garo: Vanishing Line está se mostrando um parque de belas e fortes mulheres. Que coisa linda! Primeiro a Gina aparece e mostra sua personalidade forte, depois ela mostra que também é forte em lutas, e agora a Guarda do King mostra que ela também é extremamente forte – apesar de submissa ao King, por amor, talvez? Não faço ideia.

Uma questão que fica em aberto é: o homem de óculos é o King? Bom, ele disse que é o homem que cuida da cidade e, bem, ele tem o cabelo semelhante ao da Sophie em questão de tom, mas ele não seria velho demais para ser o irmão dela? Provavelmente sim, mas não velho demais para ser o King, visto que o “Cloninho” disse que ele (Cloninho) era melhor do que “aquele velho” (King). Definitivamente não consigo arriscar nada além de: ele é apenas uma espécie de comandante do King, pois na cena em que a mulher que havia lutado com o Cloninho diz que não deixará que ninguém toque nele (King), ela olha para cima e meio que as escadas ali remetem a algum tipo de altar, onde o King provavelmente estaria sentado em seu trono.

E pela prévia do próximo episódio, deve ser algo do tipo “retorno às origens”, e claro, se for bem feito, virá para agregar com alguma informação ou mesmo uma simples e boa diversão.

Por hoje é só! Até a próxima semana caso você apenas leia meus artigos de Garo, ou até o próximo artigo caso você leia outros também!

  1. Este foi um episódio muito inusitado,mas, necessário pro desenvolvimento da trama. Conhecer ElDorado na visão dos que vivem lá foi uma grata surpresa,mais ainda que o card do intervalo foi dos vilões e vermos mais a Queen foi surpreendente. Realmente, o conceito dela parece mesmo com a da Seimei de “Guren no Tsuki” e mais coincidência por ter a mesma dubladora, mais curioso.
    Um lar para os horrors, uma cidade utópica e bem moderna, por sinal. Ao menos, tivemos uma pequena amostra do que nossos personagens vão encarar, nada mal mesmo.
    Aliás, a abertura nova não é do JAM Project, o que é uma pena, pois a banda canta as aberturas das versões anime da franquia, por outro lado, é bem bacana o estilo da música nova; o encerramento novo também é bem legal.
    No fim, a série tem ido bem, obrigada!

    • Sim, concordo que é necessário e realmente foi um episódio “diferente”.
      Eu particularmente prefiro a nova abertura e o encerramento anterior, mas em todo caso, as aberturas e encerramentos são legais, independente de favoritismo.
      Obrigado pelo comentário. Até a próxima!

Discussão