Bom dia!

No artigo sobre o episódio anterior eu comentei sobre como os dragões coincidentemente só escolhiam garotas com problemas. E veja só, não era coincidência coisa nenhuma! Nas palavras do ministro que está supervisionando os exercícios conjuntos das pilotas de dragão, os animais mitológicos travestidos de aeronaves exigem que suas pilotas tenham a “alma vazia”.

Bom, acho que falar em “alma vazia” é muito forte para se referir a qualquer uma delas, mas sem dúvida todas elas precisam de um bom tratamento psicológico.

Ou, já que isso é o mundo do anime, elas precisam pilotar dragões. É, isso irá fazê-las melhorar. Vai curá-las, será melhor do que qualquer psicólogo poderia fazer. E sim, estou sendo sarcástico, mas não estou necessariamente criticando. Reconheço que uma história sobre quatro garotas militares fazendo turnos no divã não seria tão interessante quanto vê-las pilotando bestas lendárias. Em animes não existem psicólogos.

Eu esperava que o caso da Hoshino se encerrasse nesse episódio. Tivemos a Hisone, depois a Nao, e pareceu-me que as garotas iriam uma a uma ter seus arcos de desenvolvimento e no final retornaríamos com alguma história em que todas participariam de alguma forma para amarrar tudo. Agora não tenho mais tanta certeza. A Hoshino está parada exatamente no mesmo ponto em que estava no episódio anterior, enquanto as demais começam a ensaiar seus primeiros passos.

Hoshino pretende largar o dragão e ir embora sozinha em uma jangada

Enviadas com seus dragões para uma ilha deserta de onde têm uma semana para retornar, a primeira coisa que elas tentam é, obviamente, voar. Por algum motivo os dragões não querem voar. Ou não podem voar, quem sabe. De todo modo, há um templo xintoísta na ilha e os dragões parecem conhecê-la – e parecem estar reconhecendo uns aos outros. Exceto o F-2A da Hoshino, claro. No próximo, pelo título do episódio, ela deve finalmente resolver isso, mas por enquanto ela continua querendo resolver tudo sozinha, como se estivesse o tempo todo tentando provar alguma coisa para alguém.

As demais se desesperam. Bom, a Hitomi se desesperou primeiro, porque seu Futomomo comeu todas as provisões que deveriam durar três dias – esqueça voltar em uma semana, elas vão morrer antes disso se não conseguirem água e comida. A Hisone é um pouco mais resiliente e tenta investigar a ilha para ver se encontra algo, mas a ideia de que possa perder o Masotan a leva enfim ao desespero. Essa foi a ameaça que elas receberam, afinal: se não voltarem, estão fora. Eles não estão juntos há muito tempo ainda, mas a Hisone já encontrou em Masotan o seu parceiro, seu melhor amigo.

Hitomi procura sem parar por água, mas ela não está em bom estado mental

Lembra como no episódio anterior ela estava empolgada e nervosa para conhecer outras pilotas porque enxergava nisso uma oportunidade de fazer amizades? E mais do que isso, ela disse que seriam suas primeiras amigas. Parece que ela nunca conseguiu fazer um só amigo, e se for como ela sugeriu noutros episódios, o que lhe aconteceu foi que sempre a abandonaram por culpa de sua honestidade brutal, até que ela desistiu de tentar. Foi só na Base Aérea de Gifu que ela voltou a falar, graças ao Masotan. Ela continua incomodando com sua falta de tato social, mas ela voltou a ter esperança. É por isso que ela se desesperou: ela pode perder tudo. O Masotan, a Nao, as outras pilotas com quem nem conseguiu forjar um vínculo de amizade ainda. A Hisone se sente tão solitária, precisa tanto de outras pessoas, que levou a cabeça da boneca que a Nao tinha feito para a demonstração pública da Base Aérea. Não confiante ainda de que irá conseguir lidar com as demais pilotas, ela simbolicamente levou Nao para a ilha, a quem ela já considera uma amiga.

Hisone agora deu para demonstrar seu afeto pelo Masotan desse jeito (e lambendo-o em seguida)

A Hitomi é muito parecida com a Hisone. O motivo dela é outro, porém. Ela é grande, e parece ter uma tendência a ter crises de raiva ou algo parecido. Quando alguém começa a irrita-la ela tenta se segurar, mas eventualmente ela não consegue mais e aí solta tudo o que estava prendendo. Ou quase tudo. Ela se conteve bastante com a Hoshino no final do episódio anterior, e mesmo assim ela sentiu que estava exagerando. O caso é que ela tem medo de afastar as pessoas por assustá-las nesses episódios de crise. Já a Liliko eu não sei dizer porque ela é como ela é ainda, mas o fato é que o que quer que seja, o que quer que a incomode, ela recuou completamente para um mundo só dela e ainda não saiu de lá. Nesse episódio, por necessidade (e inspirada pela Hisone), talvez ela tenha começado a dar seus primeiros passos.

Liliko não sabe o que fazer e nem quer tentar

Como tentei deixar claro nos parágrafos anteriores, Hisone to Masotan está avançando com todos os seus personagens ao mesmo tempo, ainda que em velocidades diferentes. Assim, cai por terra, pelo menos parcialmente, a hipótese de que fosse tratar de uma pilota de cada vez. E também está cada vez mais claro que a Hisone deu só o primeiro passo de muitos naquele primeiro episódio. Ela se esforça agora, ela acredita, mas continua desbocada, continua com dificuldade para conversar e entender os outros, e, como esse episódio deixou evidente, ela desiste rápido e tem dificuldade para confiar nos outros. Ela vai precisar deixar de ser tão auto-centrada se quiser evoluir como pessoa (e personagem).

O que não necessariamente significa que ela precise se conformar a qualquer padrão social. Ela pode continuar sendo uma desbocada, só é importante que ela entenda os outros, que ela escute, que ela se esforce. Acho que essa é a melhor mensagem desse anime: você não precisa deixar de ser você mesmo para ser uma pessoa bem resolvida. Tenho certeza que ao final do anime todas elas continuarão tendo suas manias e personalidades meio esquisitas, mas estará tudo bem.

Curiosamente, a Hoshino é muito mais auto-centrada que a Hisone e muito mais sujeita a ter crises de raiva que a Hitomi. Seu dragão não abandonar a forma de avião pode indicar que ela, mais do que qualquer outra ali, desistiu completamente de ter qualquer tipo de vínculo social com qualquer pessoa (ou dragão).

Se por um lado não espero que elas abandonem suas personalidades ao final do anime, por outro começo a acreditar que precisarão abandonar outra coisa: seus dragões. Se os dragões exigem que suas pilotas tenham “almas vazias”, quando Hisone e companhia tiverem terminado de trilhar seus arcos de desenvolvimento, lá pelo final do anime, não serão mais pessoas “vazias”. Talvez tenha sido isso o que aconteceu com a Moriyama, afinal de contas. Tenho certeza que Hisone sentirá saudades de Masotan, mas ei, ela terá um mundo inteiro de pessoas para conhecer, coisa que hoje ela não tem.

  1. Este episódio 5 de Hisomaso, despertou ainda mais o meu interesse, em relação ao rumo que a história vai levar. O episódio em si foi muito bom (isto é a opinião, de alguém, que já entrou no trem do hype, com este anime) e com ele já encontrei uma das minhas personagens favoritas do anime, a Hoshino.
    Mas antes de falar das piloto, aquele ministro é meio creepy, na minha curta jornada a ver anime, coisa que já aprendi, é que nunca se deve confiar, nos personagens que passam o tempo todo de olhos fechados e com sorrisos a parecerem uma raposa.
    Achei interessante, o facto das garotas terem algum desequilibro emocional, e esse desequilíbrio ser a chave de ignição, na hora dos dragões escolherem uma piloto. Afinal tais desequilíbrios não eram apenas por acaso e isso para mim só torna a história ainda melhor (tu já tinhas adivinhado o motivo de todas as piloto, serem fora do comum, o anime parece seguir à risca as tuas teorias e isso é muito bom e engraçado ao mesmo tempo). O general Sosoda, não está la a fazer nada, a cara de tédio, que ele faz a todo o momento, na sala de comando é no mínimo preocupante de se ver, numa pessoa com um cargo tão importante (por sorte está lá o ministro creepy e a Remi para tomar as rédeas em caso de problemas.)
    Passando para a ilha, onde a Hisone e as outras piloto foram para fazer um exercício prático, eu já desconfiava que não fosse apenas uma ilha deserta e sem nada de interessante, mas fiquei surpreso com o arco de madeira (Torii), dando indícios que aquela ilha já fora habitada (já nem falo da cena linda, onde a Hisone à procura do Masotan, passa pelo meio dos Torii, essa cena já se tornou das minhas cenas favoritas do anime).
    Agora as piloto e começando pela Hisone, a Hisone está a começar a mudar e para muito melhor. A Hisone já consegue falar com as outras piloto, já controla mais ao menos, o seu lado honesto, que a faz falar brutalidades e melhor ainda, ela já selou a sua amizade com o seu dragão Masotan (a cena em que a Hisone lambe o Masotan, foi muito boa). A cena da gruta com a água doce foi muito boa também, essa gruta passou a sensação, que ali já se tinha passado algum acontecimento mágico (coisa que se verificou no episódio 6, mas isso fica para o meu comentário, no artigo do episódio 6 de Hisomaso.)
    A Hitomi é muito boa pessoa, simpática mas parece um pouco volátil. A Hitomi tem momentos que parece que fica entre dois pólos em conflito e quase que explode, esse lado dela, um dia pode provocar muitos estragos (acredito que o estado mental dela, em alguns momentos, esteja completamente esfarrapado).
    A Liliko, eu ainda não sei o que pensar dela, mas até agora acho-a engraçada, aquele jeito dela de não se preocupar com nada, só querer dormir, pode indiciar bem, que ela vive num mundo só seu e que não liga para mais nada (ela nem se preocupa em arranjar água doce, desde que possa dormir na sombra do seu dragão.)
    Já a Hoshino, por muito que o anime até este episódio, a tente mostrar como revolta e bruta, ela é mais do que isso. A Hoshino de certa forma é uma representação de uma pessoa ressentida, por não ter conseguido atingir os seus sonhos, esse ressentimento faz com que ela seja amargurada, frustrada e stressada com tudo e todos e por isso, eu até simpatizo com a personagem. Houve momentos neste episódio, em que a intervenção das outras piloto em relação à Hoshino, já me estava a incomodar, elas falavam como se tudo fosse fácil de resolver e isso não é verdade. Por detrás daquele casco de de força, a Hoshino ainda é humana e precisa de tempo para curar as suas feridas emocionais. Ver a Hoshino a construir uma jangada afastada das outras e a insistir num plano de fuga, que tinha mais hipóteses de dar errado foi um pouco doloroso (ela estava a ser teimosa e orgulhosa e esses dois factores juntos, não costumam dar bons resultados.)
    Antes de terminar, tenho que referir o quão simpáticos e fofos, são os dragões deste anime. Eu adoro o Futumomo e o Masotan, mas o dragão da Liliko também é muito engraçado e o F-2A, esse eu escreverei bastante sobre ele, no próximo artigo de Hisomaso.
    Como sempre, mais um excelente artigo de Hisomaso Fábio.

Discussão