Por um lado, gostaria que estivessem se esquecido da Remember para que ela não tivesse chance de incomodar a Kiyoi mais uma vez, por outro, ela aparecer na abertura enfrentando justamente a LRIG de seu desafeto já propunha seu envolvimento e se a inserção da vilã no primeiro plano da história é conveniente, o que ela pode trazer de climático ao anime e de bom a construção da heroína foi o que pagou seu bilhete de entrada. Já com as garotas do núcleo antigo a operação de resgate tem sua vez!

Começaram o episódio com a Akira – a vilã pau para toda obra da franquia – e depois exploraram a segunda vilã exclusiva de Conflated, Remember – aquela que tem uma relação distorcida com outra selector. Alguém aí lembrou da Akira e da Iona? Então, é algo bastante parecido e que dada a forma como está se construindo essa batalha cria um paralelo interessante entre as duas vilãs. Uma é LRIG, outra é selector; ambas sentem prazer só ao ferrar a vida dos outros e dessa vez tem que ser a Kiyoi!

Não me espanta haverem tantas garotas perturbadas em um país conhecido pelo bullying entre elas.

Vendo o episódio estava para dizer que conveniência deveria ter limite, mas como as garotas da fase Lostorage apontaram, está na cara que há alguém mexendo as cordas das marionetes nos bastidores e não é a Carnival, não faria sentido ela ter poder para isso, mas sim a existência que assumiu o lugar da Mayu como anfitriã desse show de horrores, alguém que deve ter a ver com as batalhas de antes.

Ao menos as próprias personagens percebem que não há nada de imparcial nesse jogo, que a banca vai buscar de todas as formas ferrar as desafiantes que pretendem romper o ciclo de sentimentos negativos e que essa é uma variável a ser levada em conta nessas batalhas, as quais, pelo lado delas, praticamente não tiveram evolução nesse episódio – só aquele final que prometeu uma boa batalha.

Quando você é tão m*erda que a pessoa mais importante na sua vida sequer é você mesma…

Do outro lado o núcleo das senpais continua a caminhar separadamente ao da segunda geração e a primeira vilã exclusiva desse novo arco aparecer justo na hora em que a Hitoe e a Ruuko chegam no lugar me lembrou cena de novela em que os personagens combinam de se encontrar, mas não falam a hora e misteriosamente chegam no mesmo momento. Algo bobo e conveniente, é verdade, mas que não chega a incomodar e deu margem a boa luta que as heroínas e a inimiga B proporcionaram.

A Ruuko impor uma condição para o duelo a fim de garantir logo o resgate da amiga foi o que fez a vilã alterar sua forma de batalhar, afinal, ela só havia demonstrado toda a sua agressividade quando lutava ela mesma, nunca apenas com o uso das LRIGs. Sendo assim, vermos uma inimiga B jogando bem tanto no ataque, quanto na defesa, fazendo pleno uso de uma estratégia que movimentou a batalha e a fez não ser tão previsível, tornando ela mais divertida e próxima de um puro card game.

Mesmo se ela lutasse com tudo a Ruuko ainda venceria, afinal, ela é a protagonista e a sua LRIG é uma das metades da criadora do primeiro jogo. Então, não foi estranho ela ter cautela – perder em forma de LRIG a levaria a ser capturada – contra uma adversária que põe medo até na Carnival. Ainda não usaram essa chance para aprofundar a inimiga B, mas já ficou claro que ela não vai vacilar em seu caminho para se tornar mais forte, que vai batalhar com quem venha a cruzá-lo. É certo que uma hora ela vai ser eliminada, mas só o fato dela não ser obcecada por alguém e sim pelas batalhas já torna a personagem interessante como vilã por motivos diferentes que os da Akira ou da Remember.

Adoro as caras e bocas bem canalhas da melhor vilã de Conflated!

Infelizmente, esse foi outro episódio em que as garotas de Selector apareceram menos e ainda não se sincronizaram as de Lostorage, mas ao menos ele serviu para confirmar a força da protagonista dessa fase e equilibrar um pouco as coisas. Aliás, se a Hanna tivesse conversado com a Yuzuki essa conexão já teria acontecido, mas LRIGs não costumam ter empregos de meio período, não é mesmo?

As situações convenientes em que selectors se encontram quase que espontaneamente podem ser justificadas pelo fato das LRIGs conseguirem sentir as selectors que estão por perto, então dou um desconto para essas coisas. Contudo, a Yuzuki e a Donor viraram LRIGs e ainda não voltaram as suas formas humanas, o que quer dizer que esses dois adolescentes estão desaparecidos? Entendo que no caso da Yuzuki basta uma das amigas enviar uma mensagem para o Kazuki dizendo que ela vai dormir na casa de uma delas e está tudo certo por um, talvez dois dias. Mas e quanto a Donor, isso colaria?

BATORU!!!

Isso remete a outro ponto que poderia ter sido abordado já nesse episódio, a volta da LRIG a forma humana. É possível alguém que se tornou LRIG por vontade própria ou foi capturado enquanto LRIG voltar a forma humana antes do fim das batalhas? Se não for, então esse jogo vai ter que acabar rápido, pois com a Tama serão três jovens que sumiram do nada ao entrar dentro de umas cartinhas.

Espero que não se esqueçam de tocar no problema lógico que é isso, já que, por exemplo, a família da Yuzuki não deve saber que ela virou novamente uma carta – talvez o Kazuki saiba e espero que seja esse o caso já que ele poderia ter ligado para o trabalho da garota e ter dito que ela não iria para ele. Aliás, estão censurando o Kazuki? Ou só não renovaram o contrato com o dublador dele mesmo? Enfim, o que ainda há de interessante a se comentar é a mania feia da Akira de sequestrar garotas.

É sério, se ela quer muito encurralar outra selector, o que ela faz? Sequestra a amiga e usa de refém para garantir uma batalha – que menina legal essa Akira, né. Dessa vez ao menos é para ela mesma, e tem o agravante da sua LRIG também querer acertar contas com a Kiyoi – porque na mente doente dela só a prazer se for atormentando a garota. Na verdade, tem essa quarta personagem que virou carta do nada, mas se ela for dada como desaparecida e nem mostrarem isso não vai ser problema.

Fico um pouco espantado com como a Akira consegue derrubar outra garota a força e arrastar ela para onde quiser, mas vai lá, ela é uma vilã agressiva que já tentou esfaquear outra pessoa, então dou um desconto. Agora vai rolar algo parecido com o que rolou na primeira fase, só que esse vai ser um acerto de contas entre Kiyoi e Remember – com Akira de intrometida – e deve ser o clímax eletrizante que o anime está precisando. Que ele open muito bem o turn end da fase Conflated!

E agora Kiyoi, ao ser posta contra a parede, como você vai reagir?

Discussão