Até quando achava que já tinha entendido quase tudo Steins;Gate surpreende e é melhor do que eu esperava! Expandem-se as conspirações e uma nova linha do tempo surge para mudar tudo de novo. O que o Okabe vai fazer agora que usou o seu Reading Steiner outra vez? Que se abra o Steins Gate!

Primeiro, vamos ao ataque ao laboratório, o qual para a minha alegria não acabou em morte, mas na revelação de uma outra organização perigosa. E como bem sacado pelo Okabe, K-6205 é um código para Amadeus, ou o que seria o receptáculo dele? Se esse outro grupo organizado não é uma célula da SERN, mas também planeja criar a máquina do tempo, é certo que a falta de memórias da Kagari tem a ver com algum experimento no qual ela era cobaia, um experimento do grupo da universidade.

Essa é daquelas cenas em que dá vontade de entrar na tela e socar os malfeitores!

Meu erro foi ter considerado tanto o Mr. Braun e a Moeka, quanto os professores como integrantes da SERN, mas em nenhum momento houve algo que os dividissem claramente em grupos distintos, contudo, se analisarmos bem alguns detalhes fica mais fácil de entender isso. Primeiro, nessa linha do tempo o Okabe e os seus amigos não faziam uso da máquina do tempo e, de tal forma, a SERN não teria motivo para estar atrás deles – como não estava. Segundo, o Mr. Braun colocar a vida da filha em risco, mesmo se fosse sob ordens da SERN, não condiz com a sua personalidade. Tudo bem que é outra linha do tempo, mas seu envolvimento no ataque se confirmasse seria passível de crítica.

Que bom que ao menos dessa vez a gente não teve que ver ela morrer.

Ao que parece a SERN passou a observar o laboratório por causa da movimentação do outro grupo e não por causa dos Labomen em si, o que pode também significar que quem desenvolveu a máquina do tempo usada para dar o salto temporal desse episódio foi o pessoal da universidade e não ela. Os mesmos que estão por trás do Amadeus, do ataque e do experimento com a Kagari. Uma outra força com a qual o Okabe tem que se preocupar agora. Uma possibilidade interessante aberta com isso é o que já vimos acontecer nesse episódio mesmo, um acerto entre lados que têm diferentes interesses.

Enquanto pai o Mr. Braun não fala pela SERN – afinal, ele é só um subalterno descartável –, mas isso não muda o fato de que ele faz parte da organização e a “aliança” dele com os Labomen por algo de comum interesse – a proteção da Nae em troca da proteção da Kagari – para os dois aponta que na nova linha do tempo uma nova “aliança” entre esses dois núcleos a fim de evitar algum movimento do pessoal da universidade é possível. Tudo bem que com a nova linha do tempo isso foi descartado, mas várias das coisas que aconteceram na anterior podem ocorrer nessa nova – e essa é uma delas.

Isso é um pai de verdade, não aquela coisa que é o “pai” da Kurisu.

Isso quer dizer que o salto temporal no final descartou tudo o que aconteceu ao longo desse anime? Sim e não. Sim, porque quase todos não têm quaisquer memórias da linha antiga. Não, porque tem uma pessoa que lembra, o Okabe, e isso vai ajudá-lo a resolver toda essa situação – é o que espero.

É claro que haverão outros saltos temporais e muita água ainda vai passar por debaixo dessa ponte, mas antes de especular sobre o futuro têm algumas cenas que gostaria de comentar desse episódio.

Quando a galera aperta pra todo mundo caber na foto que vão postar na rede social.

A cena da Suzuha com o Ruka foi bonita e apesar dela não ter evoluído para o que eu gostaria – não gosto quando os personagens ficam no escuro quando podem saber das coisas –, a explicação dada pela Suzuha foi aceitável, afinal, para alguém que já passou por tanta insanidade como o Okabe, ter um ponto de sanidade é preciso. Se ele puder ao menos proteger o Ruka não contando essas coisas para ele então que assim o faça até enquanto for possível, pois de todos ali ele é o que menos tem porque se envolver, né – tirando as amigas da Mayuri. Ainda assim, acho que um ótimo final para o anime seria com o Okabe compartilhando tudo com os Labomen e eles o apoiando no último salto.

Outra cena que foi muito óbvia foi a da Yuki aparecendo com o braço esquerdo enfaixado, logo o que aquela agente da universidade usou para defender o chute da Suzuha. É sério, se ela não for aquela mulher essa vai ser a maior bait do anime até aqui. Ao se confirmar, o quão interessante vai ser ver mãe e filha em lados opostos? Além disso, por que a Yuki trabalha para a universidade? O que ela vai ganhar com isso? Antes da cena dela com as amigas eu achava que a moça de preto era a professora metida, mas sendo a Yuki a coisa fica bem mais delicada, pois ela é a espiã entre eles e não a Moeka.

Lembrando que a Moeka era da SERN na linha do tempo recém-mudada, só não tinha tido contato o suficiente com o pessoal para espioná-los, mas ela ter descoberto que procuravam a Kagari justifica a atitude da SERN de vigiar o laboratório – como mostrado na cena do Mr. Braun no episódio anterior.

E o que restou de interessante a comentar sobre esse sétimo ato? A estranha chamada feito pelo Amadeus que deflagrou o salto temporal funcionando de forma semelhante ao d-mail? Pode ter sido isso e pode ter sido só uma coincidência, mas duvido que seja o caso. O fato é que a Kurisu estar viva em qualquer linha do tempo descarta a necessidade de criação do Amadeus, afinal, é só pôr as mãos nela que a produção da máquina do tempo pode ser concluída. Ela é a chave para destravar tudo!

Contudo, por que essa outra organização deu as caras só na linha do tempo beta? Por que a Kurisu morreu e isso inviabilizou o desejo do pessoal da universidade de obter uma máquina do tempo? É uma explicação que calharia bem, principalmente se viesse acompanhada de mais informações sobre exatamente quem essas pessoas são e o que querem – apesar de tudo isso já estar meio que na cara.

Vai ser uma pena se ela não aparecer mais por causa da mudança…

A única coisa certa no momento é que a linha do tempo mudou e mudou para melhor, pois agora a Kurisu está viva e, pelo menos por um tempo, isso pode fazer muito bem ao Okabe e a trama. Acho que essa volta dela ocorreu cedo, mas dada a velocidade dos acontecimentos fez sentido e é a partir daí que a história deve ganhar uma forma ainda mais definida, pois o Okabe sabe que existem duas organizações atrás da máquina do tempo, que ele tem que impedir a Terceira Guerra Mundial – caso isso não tenha mudado nesse último salto temporal – e manter a salvo as duas pessoas que ele mais ama. Basta que ele compartilhe isso com a Kurisu e que eles pensem em como lidar com a situação.

Isso ainda pode demorar um pouco a acontecer, mas mesmo que seja impelido a isso pelas ações de terceiros é certo que o Okabe vai ter que desembuchar e fazer alguma coisa. Não faço ideia de como a trama vai continuar agora, se vai dar uma desacelerada ou vai manter o ritmo intenso, mas é certo que a Kurisu viva pode acrescentar mais a história do que o Amadeus, e que o público queria vê-la de novo. Que o Okabe consiga salvar as duas! É por isso que eu e você, leitor(a), devemos torcer agora.

O Okarin tem mais 16 episódios para mantê-la a salvo, será que ele consegue?

Discussão