Mais uma semana em que Kakuriyo entrega um bom episódio. Tivemos o desenrolar dos momentos que Aoi estava passando. Após isso, vimos mais uma grande demonstração de bondade, e de um esforço gigantesco que resultou em um grande trabalho de nossa protagonista. Bom, vamos a análise.  

Como visto no episódio anterior, Aoi foi presa em uma espécie de frigorifico em baixo de uma das ruas da região do Sul. Passando por aqueles momentos era nítido que a infância de nossa protagonista seria recobrada, e todos os seus traumas do passado voltariam a assombrá-la. Se o passado é um perigo que, insiste em machucar os pensamentos de Aoi, o presente não era muito diferente, pois a situação em que ela se encontrava era bem critica.  Em meio toda aquela água entrando naquele alçapão e as esperanças de Aoi ruindo como em um vale de lágrimas e a sensação de um dever que não seria cumprido, uma luz verde insistia em piscar e o calor emanado por ele era notável. No artigo anterior levantei a questão de qual seria a utilidade daquele colar verde. Esse presente do Rei Tenji não só tinha utilidade, mas como foi o grande salvador de Aoi, já que funcionava como uma forma de GPS que dava a localização de Aoi para o Rei. 

Aoi abraçada ao colar.

A cena em especifico do Rei Tenji puxando Aoi e a resgatando merece um certo destaque. Para todas aqueles que curtem momentos românticos, sim…Esse foi um deles. Essa cena já se desenhava na opening, não literalmente, mas a coreografia da cena era a mesma, algo que não tirou o brilho do momento. É importante ressaltar que, Tenji novamente utilizou a mesma frase que o ayakashi que ajudou Aoi quando criança havia dito. Fica aí a dúvida acerca desse mistério da obra, quem ajudou Aoi quando criança, Tenji ou Genji?  

Vale a pena ver de novo essa cena.

Deixando essa questão de lado, vamos ao desenrolar da situação. Os culpados por prender Aoi, como comentei em meu artigo passado realmente foram os aprendizes de cozinheiro. O que se podia esperar era uma reação bem contundente de Aoi, mas para quem já vê a obra sabe que, ela nunca reagiria assim. Então a atitude que ela tomou foi com o seu rosto fofinho dar uma bronca nos cozinheiros e intimá-los a cozinhar para ela.  Já não vou questionar a personalidade de nossa protagonista, dizendo que, o que ela fez é errado, ou falta de bom senso, isso fica na interpretação de cada um. Esses genes de tomar decisões um tanto quanto controvérsias vem como herança de seu querido avó, Shiro.    

Os mestres de cozinha, culpados pelo o que aconteceu com Aoi.

Em meio àquela situação movimentada ainda havia o jantar do casal Imperial a ser preparado. Mesmo sem estar em sua plena condição de saúde, Aoi se responsabiliza e vai em busca de tentar realizar sua tarefa. O cardápio? Teria que ser o padrão de cozinha dela, pois os ingredientes especiais que ela foi atrás, não foram trazidos da região Sul.  

Era nítido pelas expressões de Aoi e seu rosto corado que sua saúde não estava para lá de bem. Mas mesmo assim, ela conseguiu com seu esforço preparar uma grande refeição para o aniversário do casal. Caro(a) Leitor(a) já teve uma sensação emocionante por comer algo que te lembra o passado? Pois é, se sim sabe como isso mexe com os sentimentos, podendo levar até as lagrimas. Isso é basicamente o que aconteceu com a dama imperial que, ao comer o prato preparado por Aoi foi as lágrimas lembrando de seu passado. 

O momento das lágrimas.

Depois de sua tarefa exaustiva Aoi já não conseguia se sustentar em pé e seu corpo implorava por descanso, acabou desmaiando nos braços de Genji. Após mais uma realização na cozinha, nossa querida protagonista teve um descanso merecido. 

A análise de um redator passa pela parte de teorização. Se tivesse que teorizar algo para o futuro da obra, vejo claramente uma espécie de harém invertido. Talvez isso já esteja obvio, não é? Contudo não é assumido. Tenji quer Aoi como sua esposa e demonstra isso claramente, com seus atos protetores e compreensão com Aoi. Já Genji corre por fora, mas é um forte pretendente, pois sempre está junto de nossa protagonista em momentos importantes (como foi nesse episódio, cuidando dela enquanto dormia). Que lado pesa mais para Aoi, aquele que lhe salvou, ou aquele que a auxilio em sua recuperação? Essa é uma resposta complicada, talvez com a resolução do mistério fique mais fácil uma possível escolha de Aoi.  

Na parte final do episódio, a presença da Deusa dos bons negócios na emboscada para prender Aoi chama a atenção. Qual o interesse da Deusa loira em fazer isso com nossa protagonista? Isso com certeza será melhor explorado nos próximos episódios.  

Essa foi a análise de Kakuriyo no Yadomeshi episódio 9. Onde essa obra de romance mostra vários pontos agradáveis para o público e dá a demonstração de que é uma obra que tem gás para uma segunda metade bem encantadora. 

Nunca se sabe de onde pode surgir o amor, da pessoa do lado ou de alguém que vimos pela primeira vez, até mesmo esse sentimento pode se atrelar a um ayakashi. Das profundezas do ainda misterioso mundo para os humanos, chamado de reino oculto, pode surgir um dos mais verdadeiros sentimentos…

Discussão