Bom dia!

Onde eu escrevi “Mundo”, leia “Vice-Ministro Iiboshi”. O homem tem suas razões, mas se seus meios não são questionáveis, no mínimo o anime está fazendo parecer que são. E eu acho que são mesmo!

O treinamento na ilha já havia sido um absurdo. Ainda que elas sejam militares, que eu saiba nunca passaram por um treinamento de sobrevivência de verdade. Como esperado, tiveram muitas dificuldades, e se isso não fosse um anime provavelmente precisariam ser resgatadas de lá antes dos sete dias para que não morressem. Mas aquilo ainda era um desafio direto, não muito honesto porque elas não conheciam todas as circunstâncias, mas não tardaram a descobri-las de todo modo. O que acontece no episódio 7 é totalmente diferente.

Já que elas se provaram pilotas tão boas para os dragões, decidiu-se por uma medida drástica para evitar que seus dragões as rejeitem: partir seus corações! Pessoas e recursos da base passaram a ser mobilizados para monitorá-las, fazê-las se apaixonar se possível, e então rejeitá-las de forma dolorosa. O objetivo declarado é traumatizar, para que se tornem totalmente dependentes dos dragões. Os motivos para isso descobrimos no episódio seguinte: guiar um dragão colossal em segurança para seu novo local de sono, evitando que ele destrua áreas habitadas. Mas isso torna tais métodos aceitáveis?

Quase três dias sem dormir! Que missão horrível

Da ilha para manipulação emocional (que ainda não acabou) para a apresentação apressada da real missão que elas terão que executar, com enorme desgaste, pouquíssimo tempo para se prepararem e uma pressão gigantesca sobre os ombros, Hisone e suas colegas são empurradas de um lado para o outro não apenas sem poder sobre seu próprio destino, mas sem sequer saber o que irá acontecer em seguida, ainda que outra pessoa já tenha decidido isso por elas. O ritmo é tão alucinante que eu acho que elas nem tiveram tempo de processar tudo isso ainda. Se tivessem, talvez estivessem angustiadas, talvez já sofrendo de problemas clínicos com ansiedade (e todas elas parecem já ter algo assim, ou estarem quase lá). Eu estou ficando angustiado por elas.

E ainda nem sabem que estão sendo emocionalmente manipuladas. A Liliko parece que vai ficar sem um par (a não ser que o mangá Kingdom conte…), e a Mayumi parece estar um pouco de lado nisso por enquanto, mas a Hoshino começou a enxergar o Zaito de uma maneira diferente depois que resolveu escutá-lo, ao invés de só rejeitá-lo preventivamente com grosserias, e Hisone e Okonogi estão flertando abertamente (embora ela pareça não ter percebido ainda). Sobre esses casais, aliás, vale a pena dedicar algumas palavras.

Hisone e Okonogi estão “escritos nas estrelas” desde o primeiro episódio. Se vão terminar juntos eu não sei, mas talvez se tornem pelo menos bons amigos, é o que espero. Se ele não está disposto a seguir os planos do Iiboshi e partir o coração dela, seu papel no Matsurigoto promete conflito mais do que o suficiente. Quanto ao Zaito, o que dizer? Continuo não gostando dele. É um modelo de masculinidade tóxica, e conhecê-lo um pouco melhor me faz crer que talvez ele seja assim por insegurança. Não é necessariamente uma má pessoa, mas começou com o pé esquerdo, essa é a personalidade dele, não deveria merecer uma segunda chance. Mas essas coisas não funcionam de acordo com a razão ou muito menos o mérito, e não deixa de ser verdade que a grosseria da Hoshino também não foi um começo muito positivo. Não é que as coisas sejam equivalentes ou se anulem, mas ela reconhece seu erro e isso parece estar fazendo-a reavaliar a postura do Zaito também. Acima de tudo, ela é uma mulher e se sente atraída por homens, então superadas as barreiras iniciais, que pareciam intransponíveis, talvez ele seja sim do tipo dela. A ver.

A Hisone tá caidinha pelo Okonogi…

Como quer que seja, o plano era e continua sendo partir os corações delas para que só se sintam completas com seus dragões. Nada poderia ser mais baixo do que isso. Torcer para que não dê certo, por outro lado, significa torcer para que o dragão colossal destrua áreas habitadas. Claro que deveria haver uma melhor alternativa, um jeito certo de fazer isso, e talvez ele se imponha ao longo do anime. Por enquanto, tudo vai de acordo com o plano do Iiboshi.

Chegou uma nova concorrente…?

Não é como se tudo isso fosse só sombras e desastre. No oitavo episódio elas aprenderam, por exemplo, que trabalhar junto significa confiar. Enquanto estavam tentando ficar acordadas o tempo todo não estavam confiando de verdade em seus dragões. Além disso, exceto pela manipulação emocional (e na verdade um pouco por ela também), não é como se as nossas vidas, ou as vidas de quaisquer pessoas, consistissem apenas daquilo que queremos e que é previsível. Responsabilidades se impõem, obrigações se impõem, limitações se impõem, a realidade se impõe. O mundo pode não estar ativamente contra nós, ou, em se tratando do anime, contra Hisone, Hoshino e companhia, mas definitivamente ele não está à nosso favor também. E essa também é uma lição valiosa que todos precisamos aprender em algum momento de nossas vidas.

Discussão