Gostaria de dizer que foi um ótimo episódio, mas realmente não foi! Claro que carregou a essência que Hinamatsuri apresentou desde seu início, pois teve uma parte que mostra que existem coisas que se olhadas apenas superalimente, ficamos propensos a fazer um julgamento errado da situação, mas que se analisados com mais calma, conseguimos ver que por mais que as atitudes de alguém sejam ruins, ainda assim tem uma explicação. A outra situação foi aquela clássica já apresentada muitas vezes onde o Nitta consegue ver o quão a Hina é “ruim”. 

É claro que em todos os âmbitos da vida existem pessoas boas e ruins, e profissionalmente é igual. Não necessariamente um profissional ruim é uma má pessoa, do mesmo modo que uma pessoa boa não é necessariamente uma boa profissional. O que temos são casos e casos e, as pessoas precisam viver e claro, não apenas sobreviver. O papel de um pai é realmente cuidar da esposa e dos filhos – por mais que atualmente haja todo um empoderamento feminino e afins, não vou entrar nisso aqui, ok? O que eu falo é apenas o meu modelo de pai.

É aquela velha história do Nitta algumas vezes assumir o papel de ser humano. Ser humano? Sim, ser humano! Seres humanos erram, acertam, ficam com raiva, ficam felizes, sentem felicidade em ver alguém feliz, e claro, ficam com inveja também. O ponto é que o Nitta se deixa levar por pensamentos e causas momentâneas, onde ele percebe algumas coisas – na maioria das vezes, o quão a Hina é uma “má filha” – e claro, reage de modo que um ser humano comum poderia reagir, sentindo-se feliz em algumas vezes e totalmente o contrário em outras, e isso não só é normal, mas como também é um grande ponto positivo no anime. A identificação maior vem om personagens “humanos”, não necessariamente seres humanos, mas personagens que têm ações de um – até mesmo um cavalo pode provocar o sentimento de identificação em nós, claro, desde que ele tenha algo que nos faça criar essa identificação.

Aquela última fala do Nitta é algo que me incomodou um pouco! Estaria o Nitta se transformando no real vilão? Ele tentou mostrar para a Anzu como ela deveria ser, mas é provável que na verdade ele tenha acatado o modelo de mafioso que o jornalista mostrou que ele deveria seguir. É evidente que ele tem pontos que possam levá-lo a virar o inimigo das garotas, mas levando em consideração o tipo de anime que Hinamatsuri se mostrou até aqui, acho um pouco improvável, no entanto, levando em consideração as ações momentâneas dele em diversos episódios e aquele começo do anime bem movimentado, acho que talvez seja provável. É quase que um 50% x 50%, pois tem pontos positivos para isso, bem como pontos negativos, então, o que resta é esperar o último episódio.

Já que este presente artigo será publicado no domingo às 14 horas (N.E.: Publicado antes por necessidades operacionais; Bom jogo amanhã mesmo assim!), eu provavelmente estou muito louco vendo o jogo do Brasil na Copa do Mundo 2018, então, bom jogo para quem gosta e até a próxima se eu não morrer!

Discussão