Bom dia!

O artigo sobre o episódio anterior também trazia uma questão em seu título: “Pelo que você luta?”. A resposta era simples: para ser alguém. O Joe literalmente não tem nome. Ele escolheu o próprio nome. Antes do Megalonia ele não tinha agência sobre a sua vida também: lutar é o que ele faz para viver e ele é um excelente lutador, mas os resultados de suas lutas eram pré-determinados. A ele só cabia obedecer. Joe luta, pois, para ser alguém.

Mas quem ele quer ser?

Joe e sua equipe estão mais uma vez presos pelas garras da máfia. Nas lutas até agora ele havia experimentado o medo, lidado com o passado e aprendido disciplina, e amadurecido o suficiente para conseguir lutar tanto dentro do ringue quanto fora dele, conforme fosse necessário. Mas contra o Fujimaki não há nada que Joe possa fazer. Ele certamente não se importa com a própria vida, e a primeira cena do primeiro episódio mostrou isso. Mas como ele não vai se preocupar com a vida do Sachio, uma criança de rua, como ele presumivelmente também foi? Como ele não vai se preocupar com a vida do Nanbu, seu treinador, que meteu ele nessa roubada em primeiro lugar mas que no final do episódio anterior o Yuri o ajudou a se lembrar que Joe deve sim gratidão a ele? Joe perdeu sua agência de novo. Não mais no controle de sua própria vida, ele volta a ser o velho Junk Dog e entra no ringue usando, pela primeira vez em sua carreira profissional, um gear. Todos ficam atônitos. Os comentaristas experimentam hipóteses – não podem deixar sua audiência na mão, afinal.

Joe Sem Gear chegou ao Megalonia, mas Junk Dog subiu no ringue

Mas eles estão todos errados. Não é culpa deles, claro, é que eles não conhecem o Joe. Lembrando mais uma vez, Joe escolheu seu nome de Average Joe, uma forma de se dizer Zé Ninguém em inglês. A tradução não é literal. O “average“, que ele suprimiu, significa médio, no sentido de “qualquer um”. O Joe, obviamente, não é “qualquer um”, ele é ele! Para o mundo, até antes de entrar no ringue nessa luta ele era o Joe Sem Gear. Agora ele perdeu essa distinção que o tornava diferente de “qualquer um” e voltou a ser apenas um “Average Joe“.

A luta quase-coreografada entre Joe e Burroughs enganou olhos desatentos – mas alguns, como Yuri, enxergaram através da farsa

Enquanto o Joe luta esse jogo de cartas marcadas no ringue, em seu coração e nos de seus companheiros de equipe, Nanbu e Sachio, cada um deles está travando sua própria luta individual. Vai mesmo acabar tudo aqui? Eles vão mesmo ser apenas números na multidão? Fujimaki há algum tempo vem insistindo na ladainha de que ninguém pode mudar, e ele leva isso bastante a sério. A mim parece apenas que ele está confortável em sua posição e não deseja nem ele próprio mudar, muito menos deseja que outros abaixo dele mudem e o ameacem. Mas o Joe não é uma ameaça para ele nem nunca seria, então nesse caso ele está apenas forçando sua mentalidade nos outros. Sua ideologia, se quiser.

E funciona. Chega a ser doloroso vê-lo dizer de novo e de novo para o Nanbu que ele nunca vai mudar enquanto o próprio Nanbu diz de novo e de novo para o Joe que ele tem potencial sim, mas só precisa fazer mais um pequeno sacrifício para, aí então, poder realmente botar esse potencial para florescer. No fundo, isso é só o Nanbu tentando convencer a si mesmo de que essa é a última vez, ou que haverá uma última vez um dia. Fujimaki é consistente em sua ideologia, e contrastando com o maquiavelismo com o qual ele manipula as pessoas, retifica Nanbu: essa não vai ser a última vez. Nunca haverá uma última vez. E a culpa não é senão deles mesmos, afinal, as pessoas não mudam. Mas isso ainda não foi suficiente para que o Nanbu parasse de seguir suas ordens.

Nanbu não está ao lado do Joe nessa luta. Está longe, dando ordens sob supervisão do Fujimaki e seus capangas

Em outro lugar, Sachio remoía consigo mesmo. Não foi naquela equipe que ele entrou! Ele não chegou até ali com o Joe e o Nanbu para entregarem a luta! Isso era problema deles, ele, Sachio, nunca havia concordado com isso, então como poderiam querer que ele continuasse agora ao lado deles? Excepcionalmente maduro para uma criança, porém (e talvez o rap tenha ajudado?), Sachio percebeu que isso é parte do que é ser uma equipe. Ele não pediu para eles para entrar lá também. Ele ajudou sim, mas também tinha sua agenda secreta – ainda que ela fosse sem dúvidas menos prejudicial (ou nada prejudicial) aos demais membros da equipe do que o segredo que o Nanbu guardou esse tempo todo.

Talvez Sachio tenha futuro no hip-hop? Duvido

É fácil lutar junto quando está tudo indo bem ou quando pelo menos se está no controle. É nos momentos de crise aguda, de perda de controle, como o atual, que aqueles unidos apenas por interesses se diferenciam daqueles unidos por sentimentos. Faz tempo que Sachio não está com eles só por interesse, se é que em algum momento ele esteve com eles só por esse motivo. Vencendo ou perdendo, entregando a luta ou não (e é claro que ele quer vencer, e é legítimo que não queira entregar a luta), se eles são mais do que um bando de interesseiros eles precisam estar juntos agora mais do que nunca.

Sachio vai oferecer seu apoio ao Joe, que até então lutava sem ninguém ao seu lado no ringue. Chegou bem na hora que ele caiu, e instintivamente gritou para que Joe se levantasse. Seguranças do evento, que podem ou não ser capangas do Fujimaki (ele havia ordenado que o moleque fosse retirado de lá) o teriam levado embora se outra pessoa não tivesse chegado: Yuri. O que foi que o Yuri viu no Joe? Algo que falta a ele mesmo e que presumivelmente falta a qualquer outro lutador. Algo que o Joe demonstrou em sua brilhante carreira mas não nessa luta, e ele percebeu isso. Eu ainda não sei definir muito bem o que é que o Joe tem que o Yuri não tem, e temo que ou estou perdendo algo muito óbvio ou o anime está apenas falhando em caracterizar o Yuri, de forma que não consigo compará-lo efetivamente ao Joe para notar essa diferença fundamental. Mas voltando ao que importa, diante dessa virada nos eventos e da perspectiva de continuarem para sempre apenas como fantoches do Fujimaki, o próprio Nanbu finalmente dá ao Joe a ordem de se levantar.

Enquanto ele se levanta, o último pedaço de seu gear quebrado cai do corpo. Agora ele voltou a ser o Joe Sem Gear, a pessoa que ele está lutando para ser desde o começo do anime. Não demora para Burroughs estar estirado no chão. Joe venceu mais uma vez. Ele vai continuar vivo, pelo menos mais esse dia. Após tudo dito e feito, destaco que o Sachio perdeu a identidade do Joe e a Yukiko a encontrou – se lembra como o Fujimaki disse que (só) é possível determinar que ela é falsa com o próprio documento em mãos? Aí está. Pelo menos talvez tenham se livrado para sempre do Fujimaki depois do Nanbu arrancar seu próprio olho em uma tentativa desesperada de ganhar o perdão do mafioso.

Burroughs nunca foi páreo para o verdadeiro Joe

  1. Peoples!!! Que episodio foi esse!!!!
    Logico que aquele hip hop do Sachio ficou meio, digamos, fora de contexto (se eu quisesse ver musicais fora de contexto veria um filme de Bollywood, com todo o respeito ao genero), mas devido a carga dramatica do ep até que passou batido e a letra do rap tinha sua pertinência ao enredo. Vá lá…

    Mas o ponto alto é o sacrificio do Nanbu na historia toda…Ele chegou aos termos para se livrar do Fujimaki descobriu que não era mais o dinheiro a dever, era confirmar seu poder sobre os outros. Pois este foi o acordado com o Fujimaki desde o começo…
    O Fujimaki é mau? É! É vilão? É! Mas nunca deixamos de admirar um vilão que na sua vilania a faz com honra. Nanbu honrou sua divida com o seu sacrificio individual e Fujimaki o reconhece e o liberta. Nada de muito novo, na historia da escravidão houveram inumeras situações assim de supremo sacrificio pela liberdade.

    E agora vamos para a batalha com o Yuri, o que será que nos espera? Yuri pelo visto demonstrou um grande sentimento de admiração pelo Joe pela sua tenacidade e pertinácia…Será que ele vai para o ring sem o seu gear? Como será o “Time sem endereço” com um membro totalmente invalido?

    PS.: tem uma coisa que me incomoda a semelhança fisica entre Fujimaki e o Yuri, mas pode ser pura elucubração…. E…Não se esqueçam..
    “Deus aperta, mas não afoga”, mas cuidado com o que promete a Ele….Pode deixar partes do corpo no caminho.

    Excelente resenha, captura os “highs” do ep e é uma pena que estamos caminhando para o final deste que vai (certamente) se tornar o classico do anime dos anos 2010s que vai ser falado por muito tempo!

    E por enquanto é isso Peoples e aproveitar se o K-San aparecer por aqui parabeniza-lo pela seleção magistral de Portugal todo o castigo para aqueles “donos de ferro velho” é pouco….Vcs tem um heroi!!! Nos ainda esperamos por ele….

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Se o hip-hop do Sachi tivesse ficado só meio fora de contexto ainda tava bom =D Mas quem sabe o garoto não tem futuro na música, não é? Ele herdou o gosto por geringonças de seu pai, mas ter uma ou duas opções de carreira nunca fez mal a ninguém.

      A coisa do Nanbu é que ele sempre deixava a bomba estourar no colo do Joe. Sim, ele “se sentia mal”, não tenho dúvidas disso, o Nanbu estava sendo honesto quando dizia que o talento do Joe era real e queria mesmo o bom pro rapaz, mas de que esses sentimentos e essa empatia toda adiantam se é o Joe quem tem que tomar na cara, literalmente, para que os dois continuem vivos? Ele sempre se apegou à esperança de que um dia estariam livres do Fujimaki, no que ele foi extremamente inocente. Se o próprio vilão não tivesse entregado a real pra ele nesse episódio, aposto que não teria mudado de ideia até o final e aí sabe-se lá o que teria acontecido. Mas está tudo bem quando acaba bem, suponho.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

Discussão