Esse pode ser o episódio mais zoeiro do anime, mas duvido que seja o caso devido ao quanto Golden Kamuy consegue ser cômico enquanto fala sério. Ou tenta. Se esforça? É hora de Golden Kamuy no Anime21!

O cervo almiscarado fez a Asirpa se reencontrar com lembranças do pai e me pergunto se essa cena não serviu como foreshadowing para mais situações em que ela vai lembrar de coisas sobre ele que a ajudem a desvendar os mistérios do ouro. Será? Acho que seria um desenrolar razoável.

Como, apesar da conveniência, foi razoável o acrobata Chokiri roubar os forasteiros. Eles estavam de passagem, então entendo a audácia do garoto, talvez até tenha pensado que militares não o machucariam caso o pegassem, além dele ser do circo Yamada, não seria anormal se não fosse pego.

Contudo, do lado do Sugimoto tem o Koito, cuja “desenvoltura” só se equipara a sua obsessão pelo Tsurumi. Ele com certeza roubou a cena com toda a sua destreza, mas o mais legal nem foi isso e sim como essa situação serviu para várias coisas, entre elas a comédia, o sangue e a informação.

Foi legal ver o Sugimoto preocupado em se destacar mais que o Koito pelo simples motivo de se reencontrar com a Asirpa. Contudo, como fizeram questão de destacar, não serviu para muita coisa. Só não foi inútil pela informação dada ao grupo, que não acho que seria dada sem todo o “circo’.

E já chego nele, só queria elogiar o quão inusitadamente divertido foi todo o chororó do “Genjiro-chan” com a despedida da “Beniko-senpai” e sua própria integração ao grupo de dança das garotinhas. Foi hilário e o mais legal é que a direção sequer se esforçou em destacar muito, ficou bem “natural”.

A zoeira em Golden Kamuy já é estatizada, não tem jeito, além de ser bastante criativa. Pode parecer desnecessária, mas é justamente o contrário, já que após um episódio mais tenso um episódio mais descontraído, bem galhofa em alguns momentos, cai como uma luva, não acha?

É aí que vemos como dá para conciliar ambas as coisas, seriedade e comicidade, às vezes até o ponto em que e misturam e se tornam um só, porque a sabotagem do Tsukishima, que deu certo e errado, foi o melhor exemplo disso. O que era para ser uma “brincadeira” mortal resultou mesmo em mortes.

Obviamente não seria a morte do Sugimoto, esse não morre nem matando, então usar a situação do harakiri; que era para ser de mentira, mas quase foi de verdade; foi uma ideia capciosa, rendendo uma cena extremamente bizarra (assassinatos disfarçados de peça circense) e uma revelação útil.

Não vou mentir que não havia pensado nisso, mas em uma época sem internet, sem informação disseminada mais rápido que as gotas de chuva, faz sentido enfurnar espiões no meio do povo em território inimigo. Não é só informação de altas esferas que pode ser útil a uma outra nação, né?

Enfim, sei que os assassinos terem aparecido para apagar o diretor foi conveniente, mas ao mesmo tempo foi o que o forçou a revelar que era um espião, e um que nem parecia ser, tanto que ele já estava muito bem integrado a vida no circo, além do circo depender da peça principal que ele encabeça.

Ele revelou sua identidade, mas foi a instrutora durona quem liquidou a última testemunha, um desfecho “engraçado” que combinou com o anime. Além disso, veio a indicação de novo destino e a quebra de expectativa final. Esse episódio foi simpaticamente jocoso e “matador” como só Golden Kamuy consegue ser.

Até a próxima!

  1. Avatar

    Este quarto episódio, teve mais uma vez peculiaridades que só Golden Kamuy sabe ter.
    Não gosto de circos, se já me incomodam os circos da nossa era, imagine como me sinto ao ver os circos de antigamente onde as coisas além de serem bizarras eram mais hardcore.
    Começando pela parte que mais achei engraçada, ainda não me caiu a ficha, sério que foram colocar o Gengiro e o Tsukishima no grupo de dança das crianças. Aquilo que eu ri com palavras da velha do circo para o Gengiro. Mas mesmo esse momento teve o seu momento triste de formos a pensar, a Beniko quando saiu do circo, terá tudo menos uma vida feliz. Naquela época, não só no Japão mas como no resto do mundo, a vida das mulheres não era fácil, a Beniko quando foi largada naquela cidade, o mais provável é que tenha ido trabalhar num bordel.
    Passando ao Koito, ele parece um símio, não gosto do personagem, mas admito que neste episódio ele esteve demais (o show que ele deu, só por causa de uma foto do Tenente Tsurumi foi nota 10).
    Agora o Sugimoto, sério que ele se deixou abalar pelas macaquices do Koito, ele é o melhor personagem. Aquilo que eu ri com a performance de Harikiri do Sugimoto, só de pensar que ele não se acovardou depois de descobrir que a espada era real, só demonstra a coragem dele. Nesta cena é que vemos como o Koito não tem fair play, se supostamente o Sugimoto tinha colocado uma inofensiva foto na performance do Koito, o Koito foi colocar uma katana real na performance do Sugimoto. Continuando com a parte da performance do Sugimoto, aqueles russos que iam matar o Yamada foram logo apontar uma arma ao Sugimoto, pobre sina a deles. E para dar um toque de graça, a chacina deles foi tida como parte da actuação.
    Agora sobre o director Yamada, o malandro era um espião imperial antes mesmo da guerra ter estourado. Espiões sempre tiveram o seu lugar na história, o Yamada criou uma imagem de fachada pouco suspeita como director de um circo. A mulher dele, essa cá para mim é que é a verdadeira espiã, a forma como ela matou o assassino diz muita coisa.
    Para terminar, a Asirpa só ficou no grupo dos merdas, já vi que o Shirashi não é tão bom como eu imaginava. Estou ansioso para quando o Sugimoto estiver no encalço da Asirpa.
    Como sempre, mais um excelente artigo Kakeru.

    • Kakeru17

      Esse episódio foi mesmo alegria pura e é aquilo, né, no meio de um bando de loucos trocar a espada da apresentação e seguir o espetáculo com uma espada verdadeira foi até fichinha para o que eles são capazes de fazer. A chacina disfarçada de encenação foi outro momento insano, mas que passa meio despercebido, assim como o destino da Beniko-senpai.
      Pela época em que a história se passa e com os personagens dos quais trata é só pancada por cima de pancada, já fico feliz que todo mundo queira proteger a Asirpa, mesmo que eu saiba que a maioria só quer isso por ela ser a chave do mistério.
      Agradeço o comentário Kondou, e o artigo do quinto episódio já saiu, meio curto pela minha falta de tempo, mas acho que deu para cobrir os pontos mais importantes.

Comentários