Apareceu o último titã que faltava ser mostrado. Nada mais justo do que o Martelo de Guerra aparecer justamente quando a guerra mais importante da história da humanidade é declarada. De fato, o destino de todo o mundo será decidido por esse conflito.

O Martelo de Guerra (que na verdade era a irmã do Willy Tybur) avançou sem hesitar contra o Eren e se provou um grande adversário. É inegável, o Martelo de Guerra é um dos titãs mais interessantes e também mais poderosos. Tanto que derrotou o Titã de Ataque após desferir um único golpe. Sorte do Eren que e a Mikasa chegou, senão ele estaria bem encrencado.

E se um membro da tropa de exploração já dá trabalho imagina só o grupo todo. Aos poucos eles preencheram o campo de batalha e logo o dominaram por completo. Pegos de surpresa os soldados de Marley foram incapazes de reagir a tempo. Enquanto isso o Eren começava a entender o seu oponente e após descobrir a fraqueza do Martelo de Guerra aproveitou para acabar com a batalha de uma só vez. Mas calma lá, a batalha apenas começou.

Apenas começou e já está boa demais. Uma das coisas que mais me agradaram foi como o anime soube dividir os personagens e pouco a pouco inseri-los na batalha. Eles foram aparecendo um de cada vez e ainda tem vários deles que faltam adentrar o campo de batalha. Por enquanto parece que Paradis está dominando mas tendo em vista o poderio militar de Marley o cuidado deve ser sempre redobrado.

Épico é o que foi esse episódio, a única coisa que talvez incomode algumas pessoas é de fato a animação. Deixo bem claro que não irei elogia-la, ela é inconsistente demais para receber afagos. Mas também seria injusto apedrejar um trabalho cujo maior problema está no estranhamento que ele desperta. Parte dele devido à qualidade do CG e outra pelo fato de estarmos desacostumados com esse novo estilo em Attack on Titan.

E o mesmo vale para o visual dos personagens que mudou bastante. Alguns podem estranhar e de fato a mudança do estúdio contribuiu para isso. Mas temos que lembrar que anos se passaram no anime, então é natural que os personagens estejam diferentes. Sendo assim eu diria até que a mudança de visual deveria ser aceita com maior facilidade tendo em visto que o visual dos personagens mudaria de qualquer forma.

Mas como disse, de resto o episódio foi excelente. O interessante a ser notado é que mesmo que Paradis saia vitoriosa desse ataque, na verdade principalmente se isso acontecer, tudo terá saído como o Tybur planejou. O ataque, os sacrifícios e até mesmo a sua própria morte foi planejada pelo Willy Tybur. A cena inicial do anime foi incrível, tornando esse grande personagem ainda mais icônico. E parabéns ao anime, pois a cena da interação dele com sua família não existe no original.

Aquela cena é muito eficiente em humanizar o personagem, principalmente se consideramos a cena que veio logo em seguida. Nela fica claro outra vez como o Tybur não é um herói. Ele é como o Eren, alguém capaz de fazer o imperdoável apenas para salvar aqueles que ama. E por saber de seus crimes ele admite que agora também é um dos demônios. Ele não é menos culpado do que o Eren, ocorre que ambos apenas são lados opostos de uma mesma moeda.

O Tybur permitiu que todos aqueles inocentes estivessem próximos do palco, eram os seus sacrifícios para o demônio. E o nome desse demônio é Eren Yeager. Ele assassinou inúmeras pessoas, dentre elas crianças inocentes. Ele ouve que não tem mais salvação e isso não soa como uma novidade. Ele sabe que depois do que fez não tem mais como voltar atrás. Não, ele só pode seguir em frente.

Alguém que está conhecendo os velhos sentimentos do Eren é a Gabi. Não é como se ela fosse completamente inocente também, lembremos que a pouco tempo ela é quem estava no campo de batalha espalhando o terror enquanto contribuía para a expansão de uma nação imperialista. Porém, lembremos também que ela é apenas uma criança que foi instigada a seguir por esse caminho. Da mesma forma que suas ideias sobres os demônios de Paradis foram induzidas pelos seus conterrâneos.

Quando seus amigos são mortos um a um na frente de seus olhos e toda a sua vizinhança arde as chamas da guerra é justificável que seu próprio coração seja consumido pelo ódio. Ainda que “justificável” seja um termo a ser debatido. O ponto é que isso não é diferente da experiência vivenciada pelo pequeno Eren. Ele via os titãs como os demônios que oprimiam a humanidade e “aquele dia” provou isso a ele. Da mesma forma que a Gabi vê o povo de Paradis como demônios, e agora mais do que nunca pois o Eren provou que isso é verdade. Ou pelo menos, uma meia verdade.

É interessante notar como a Sasha teve a chance de atirar na pobre garota mas não o fez. Ela tomou essa decisão mesmo que aquele povo não tenha tido a menor piedade quando destruíram as muralhas de sua pátria. Até porque uma morte a mais não faria diferença visto que todos esses atos de destruição são “justificável”. Na verdade, eles não são. Esse é o ponto, a justificativa apenas se refere ao perigo mas não apaga o crime. Desculpas são apenas desculpas mas fatos são fatos. Um inimigo é um inimigo independente da desculpa que você use para o destruir.

Esse é o ponto problemático de Shingeki. As desculpas já foram abandonadas, os criminosos tem plena consciência dos seus crimes e ainda assim optam por eles. O ponto é que os inimigos e as suas ameaças são reais, diferente de suas justificativas e desculpam que variam junto com as eras. Pare por um segundo e tente pensar no que você poderia fazer no lugar do Eren. Quais são as suas opções? Todas elas são desastrosas, porém desastrosas de formas diferentes.

Todas elas são criminosas de alguma forma. Pense no rei Fritz, ele queria a paz mas para isso condenou todo um povo a um século de sofrimento e mentiras. Isso era o que ele acreditava ser a paz, e considerando o mundo fora das muralhas quem sabe até fosse. Porém, ele sabia que alguma hora o mundo tentaria destruir Paradis, ele sabia que esse dia viria e ainda assim deixou que ele acontecesse. Ele aceitou que todo o seu povo fosse completamente exterminado. Onde isso é de fato um herói? Não, não existem mais heróis em Shingeki no Kyojin e não existem mais formas de voltar atrás.

Então, isso transforma os atos do Eren em menos repreensíveis? De forma alguma, é por isso que esse é um fardo que ele terá que carregar. E um fardo que ele mesmo escolheu para si. Foi com sua própria liberdade que ele tomou essa decisão e com ela e por ela é que o Eren lutará até a morte. Sua morte e de quantos inocentes forem necessários.

Mas não tenha pressa para tirar uma conclusão disso tudo. Essa discussão ainda não acabou, na verdade ela mal começou. Até mais.

  1. Avatar

    Apesar de todas as reclamações dos fãs essa temporada está ficando muito boa, só dói ver o quanto estão correndo com as coisas.

    “-Não faça isso Eren, tem crianças aqui.
    – Nas muralhas também tinham Reiner…”

    Uma curiosidade. Vocês nunca respondem comentários?

    • Avatar

      Não, nunca. Rsrs, acho que esse comentário te responde.
      Sobre as críticas ao anime acho elas bastante injustas, não porque apontam para defeitos falsos mas sim pela atenção exagerada que estão dando a eles. E a prova disso é que o anime está incrível mesmo com esses problemas. Para ser sincero, mesmo quando concordo plenamente com uma crítica tendo a preferir o silêncio ou até abnegar de minha opinião quando vejo um bando de adolescentes histéricos se debatendo no chão por um motivo tão banal.

  2. Avatar

    Eu concordo com você sobre se manter em silêncio. Raramente eu escrevo uma resenha de uma obra que não gostei, simplesmente não vale o esforço.

    Foda é que a galera ia reclamar de qualquer jeito, se não for por uma coisa será por outra, e isso é bem triste.

Comentários