Superstar!! é a terceira geração de Love Live! (Nijigasaki é considerado um spin-off dentro da franquia) e uma geração diferente, afinal, dessa vez só temos cinco integrantes, doze episódios e uns horários de exibição malucos que fizeram o anime atrasar bastante para terminar.

De toda forma, o importante é que essa geração da franquia trouxe um ânimo novo e uma história que até a metade pareceu um pouco menos clichê do que geralmente é, mas a verdade é que Superstar!! é bem parecido com todos os outros animes, até em ser apaixonante. Vamos a ele?

Uma das coisas que mais curti no anime foi como a dinâmica de cinco protagonistas deu uma enxugada das trocentas apresentações de toda primeira temporada de Love Live!, permitindo que a narrativas pudesse progredir com calma e se desenvolver um pouco melhor.

Não, não teve nada de genial, o roteiro não foi acima da média para a franquia, mas a coisa ficou menos prensada que o usual. Por exemplo, o drama da Kanon Shibuya, a líder de cabelo laranja, conseguiu me convencer pela seriedade com o qual foi tratado até o final da temporada.

Digo temporada, pois a continuação já foi confirmada, como era de se esperar mesmo. Sobre as outras heroínas, a primeira que merce destaque certamente é a Keke Tang, a maluquinha chinesa que vem ao Japão para praticar o idioma, mas também se provar como idol para a família.

A família dela, inclusive, não tem tanto espaço nessa primeira temporada, mas sua paixão por idols sim, a qual motiva a Kanon a superar seu trama de cantar na frente das pessoas e permite com que a protagonista mostre outras facetas suas, sejam de fragilidade ou mesmo liderança.

Além disso, acho que incluir uma personagem chinesa em uma geração principal foi um óbvio movimento comercial inteligente da Lantis. A empresa sabe que o mercado chinês precisa ser agradado, precisa ser trazido ao contexto das idols escolares, a fim de aumentar os lucros.

Não cabe a mim levar isso em conta em uma análise narrativa, mas é bom para você entender porque não só ela, como também uma idol em Nijigasaki (a Lanzhu Zhong, que com certeza vai aparecer na S2) são chinesas, apesar da Lyuu dominar o japonês praticamente como uma nativa.

E nem vou falar mais dela porque adoro a seyuu, então sou suspeito para falar, né. Fechando meus argumentos, adoro a interpretação da idol que a Lyuu faz, assim como do texto dela. Sempre alegre e cômica, mas também muito preocupada com a solidez do grupo, Keke é irresistível.

Além dela, uma personagem da qual gostei menos, mas cuja importância não pode ser despreza, é a Chinatsu Arashi, a amiga de infância da Kanon que demora bastante a entrar para o clube de idols da Yuigaoka, mas quando entra, entra com os dois pés na porta.

O questionamento que ela traz sobre sua independência da amiga, sua capacidade de realizar algo sem parecer que está dependendo dela, é super pertinente, e não só isso, o que ela acrescenta ao grupo com seu talento para a dança casa com a construção desse draminha com ela.

Não é algo entre as duas, mais de uma se sentir a altura do que enxerga de incrível na outra. O carinho que a Chinatsu tem pela Kanon é uma das coisas mais fofas e simpáticas do anime, tornando o trio inicial sólido, com conexões fortes e interações divertidas, cativantes para o público.

Para melhorar, temos a Sumire Heanna, que cai meio que de paraquedas na trama (quando entra para valer nela), mas acrescenta demais não só comicamente, como também… comicamente. Zoeiras a parte, a seiyuu dela é outro grande talento, Naomi Pyton, todo love liver deve amar ela.

Outros dois pontos em que a personagem se destaca é pela divertida implicância que a Keke tem com ela e sua personalidade, que é uma coisa da boca para fora e outra na realidade. Seu drama quanto a participação como centro em uma canção é um dos melhores momentos do anime.

Além de que, convenhamos, trazer elementos de rap com vestidos que não tem nada a ver com isso ao finalmente explorar o torneio Love Live! foi uma sacada interessante, que acrescentou uma variedade que faltava ao anime aquela altura, ainda mais após o arco da Ren Hazuki.

A presidente foi a que mais demorou a ser “anexada” ao grupo, em uma situação que mostrou o quanto ela é lesada ou o quanto a sociedade japonesa tem problemas de comunicação, afinal, bastava que perguntasse a alguém que conhecia a mãe para desfazer o mal-entendido.

Em compensação, trazer à tona essa questão da mãe dela ser uma ex-idol escolar e do legado da escola não foi ruim, o problema foi abusar do clichê da escola fechando mais uma vez, ainda mais quando nada indicava isso até aquela altura no anime. Faltou criatividade nesse ponto.

Menos mal que não insistiram em sua resistência as idols escolares e que, igual a todas as outras, tudo acabou em pizza. Ou melhor dizendo, em boa música. Se tem uma coisa em que Superstar!! não falhou foi em entregar canções tecnicamente muito apuradas, e igualmente belas.

Para fechar minha resenha, não poderia deixar de voltar a Kanon, a heroína cuja trama de cantar parece superado em algum momento, mas mais perto do fim não se mostra tão superado assim, provendo uma carga mais próxima do realismo no que compete ao enfrentamento de um trama.

Existe uma diferença entre superar uma dificuldade estando fisicamente ao lado de pessoas que ofertam apoio e segurança na hora de fazer isso e fazer isso dando a própria cara a tapa. No embalo, temos momentos muito fofos da Kanon criança que remetem a sua paixão pela música.

A maneira como o anime aborda seu amor a música e sua dificuldade em exercer esse amor dá cores muito interessantes ao drama da heroína, tornando muito significativo e pungente o momento em que ela sobe ao palco sozinha e consegue lidar de peito aberto com seu problema.

Para melhorar, há o apoio das companheiras, como também uma ideia que vem junto com os momentos decisivos da classificatória do Love Live!, a ideia de competitividade, de que a partir da entrada no torneio a música para a Kanon não pode ser mais apenas pura e simples diversão.

Também é competição, e é por isso que a derrota frusta, mas não só justifica outra temporada, como também nós dá uma noção de como essa primeira temporada é apena sum primeiro estágio de algo maior, que será complementado por mais anime, filmes, o que for.

Superstar!! está apenas começando, ainda veremos bastante Kanon e as outras, estrelas que compõem uma constelação que nós, fãs do anime, aprendemos a amar com seus méritos e demérito. Love Live! passa longe de ser perfeito, mas quem liga? Só queremos que seja Love Live!

Até a próxima!

Comentários