Este episódio teve de tudo: brigas, calmaria, mal-entendidos. Simplesmente um misto de emoções, e claro que, como o anime se trata de amigos (sim, apareceram dois garotos desta vez), reatar a amizade é algo que se deve fazer em situações nas quais não houve nada sério.

Teve um mal-entendido que pensei que daria ruim, mas terminou tudo bem para todo mundo. Brigas acontecem, e nada melhor que uma conversa ou algo que traga paz para o retorno de um sorriso.

Ler o artigo →

Neste episódio, ao em vez de termos um episódio inteiro focado em uma história louca da Tanaka, que nem o passado, temos um assunto que puxou o gancho dele. Idiota começa a falar coisas sem sentido sobre moda. Não que ela não fale nada sem sentido, mas acredito que tenha a ver com o que vem depois do episódio.

O negócio é que ela comparou o tamanho das calças em uma loja. Longa, três quartos, bermudas… Até que chega uma parte que começa a dizer que imagina se a pessoa e chegasse com algo mais curto que um short, e a Wota chega à conclusão de que aí seria uma calcinha.

Não sei bem o que esse papo todo significou na minha vida, já que a Tanaka não diz nada que preste, mas só sei de uma coisa: as pessoas têm que se vestir da maneira que se sintam confortáveis, sem se importar com as outras, o que é óbvio que gerará julgamentos dependendo da maneira que sair de casa. Porém você tem o livre arbítrio de vestir o que quiser.

Ler o artigo →

Acho que posso descrever este episódio como sendo “praticamente o episódio da praia”. Só teve parte de praia no final, mas a parte das meninas em trajes de banho está inclusa. Acho que deu para ilustrar o que o anime quis mostra sobre “meninas se divertindo durante o verão, porém de maneira bizarra”.

Também teve uma parte sobre lendas urbanas, na qual as personagens decidem discutir sobre elas durante um papo estranho sobre “cinco palavras que começam com a mesma letra que toda garota precisa”. Eu realmente me identifiquei com isso, pois sou especialista em conversar sobre uma coisa e, no final, falar de outra. Acontece.

Ler o artigo →

Já sabia que Yamai e Idiota faziam um bom par de maluquices, mas este episódio se superou. Acredito que este anime usa a fórmula de melhorar aos poucos para poder surpreender as pessoas com piadas diferentes a cada episódio (algumas são repetitivas, mas não são chatas).

O anime começou com um episódio meia-boca, mas a qualidade das piadas inventadas de “qualquer jeito”, incluindo os comentários muitas vezes escatológicos da Tanaka, estejam melhorando misteriosamente, e todo episódio se foca em uma coisa diferente.

Desta vez é na Yamai de novo, e a Tanaka sempre dá um jeito de aparecer.

Ler o artigo →

Este é um episódio dedicado a pessoas com dificuldade de comunicação, independentemente do motivo que seja. No caso da Majou, é por causa do tipo de coisas que ela gosta, além de não confiar em ninguém, já que não consegue falar de outras coisas que não sejam mortes, tripas rolando, etc.

E claro que sua irmã gêmea tenta ajudá-la enquanto pode, mas dando dicas de como uma menininha fofinha deve se comportar diante da sociedade. Se Majou quiser se tornar amiga de Tanaka mesmo, terá que jogar essas regras no lixo.

Ler o artigo →

Este episódio, somos apresentados à Lily, uma menina que adora se enfeitar, além de deixar claro que tem um pai que é australiano e sabe falar muito bem em japonês. Sua aparência é muito bonita e dá para ver que, na hora de desenharem a personagem, dá para ver que não tiveram economia de tempo em seus traços.

Ela pode ser perfeita e amar meninas por pensar que elas são puritanas e belas, porém tem um problema: Tanaka. Claro que é sempre ela e não teria como não incluí-la no texto, porém o motivo é mais profundo. Lily considera os homens nojentos e desagradáveis (inclusive o professor) e tem alergia a eles. Provavelmente tem problemas em tocar na Tanaka por pensar que ela é masculina demais e se comportar feito menino.

Esse preconceito que Lily tem acabou abalando as suas estruturas de entendimento, então quer sempre distância da protagonista por se sentir agoniada.

Ler o artigo →

Todos querem se relacionar com alguém, seja por benefício próprio, seja porque quer viver de uma forma diferente, ou algo que o valha. Apesar deste anime apresentar diversas situações aleatórias todos os episódios, cada um deles se foca em uma personagem diferente. Desta vez, ele se focou em Majime (Nino), que por algum motivo está super interessada na Robô (Shiori).

Na verdade, o motivo é conhecido: ela percebeu que até mesmo pessoas sem expressão como a Robô se divertem de alguma forma, e a pessoa que a faz “rir” (porque ela não ri, apenas muda a conformação da boca e faz um barulho parecendo de risada) é a Tanaka, a Idiota.

E claro que Majime vai tirar proveito disso por conta de sua curiosidade perante à Robô e vai fazer anotações sobre a rotina de Tanaka e o que ela fala para conseguir ter um “papo legal” com a garota. O que Nino não imaginou é que tudo, de certa forma, iria por água abaixo por conta da mente imperativa da Idiota.

Ler o artigo →

Os dois episódios não mostram histórias só desses dois assuntos apresentados no título, mas como é muita confusão em 24 minutos, nada melhor que dividir nos temas principais.

Akane possui o grande sonho de ser uma mangaká de sucesso. Claro que é um caminho muito árduo, e logo ela vai descobrir que muitas noites de sono são perdidas e que às vezes teria sido melhor ter ido para uma faculdade, embora o estresse seja quase o mesmo.

Loli é uma menina mimada e que mora com a avó, sendo que ela não quer ser julgada por seu tipo pequeno, o que sempre acaba indo para um lado que não gosta toda vez que vai falar com Tanaka, a Idiota.

Ler o artigo →

Bem, tirando o fato de ficar colocando apelidos em todos os colegas da sua classe e confundir um colégio feminino com um misto porque achou que “feminino” fosse uma espécie de enfeite para o nome da instituição, eu simpatizei com a Tanaka Nozomu, a protagonista, porque pensava que não seria uma estudante completa sem pensamentos delirantes sobre ter um namorado.

Como toda adolescente, eu tive problemas, não só de socialização, mas meu estilo também fazia com que muitas pessoas se distanciassem, inclusive pelo fato de ser otaku. Talvez eu fosse uma mistura de Akane e Nozomu, e hoje eu seja uma mistura de Shiori (não trabalho com microbiologia, mas é um dos ramos da Biomedicina) e Akane, por ser uma quase cientista otaku.

Assim como Nozomu, eu não pensava muito no futuro e até hoje tenho dificuldades de pensar nisso também. No caso dela, ela só pensa no “aqui e agora” e um pouco depois do dia seguinte, além de não estudar muito e imaginar demais coisas triviais. Não que eu não pensasse muito dessa forma, porém é algo que é importante refletir sobre esse tipo de passado, pois ele mostra o que eu me tornei hoje, sendo ruim, ou não.

Ler o artigo →

Bom dia!

Semana passada escrevi um editorial sobre os animes que eu pretendo assistir na próxima temporada e os motivos para cada um deles. Não listei todos os animes que pretendo assistir, só alguns dos que tenho maior interesse, independente do motivo.

Agora retorno ao tema não para listar mais animes que eu pretendo assistir, mas sim para listar alguns animes que os demais membros da equipe do Anime21 pretendem assistir – e seus motivos.

Quer saber o que assistir na próxima temporada? Continue lendo para descobrir o que a equipe do Anime21 vai assistir e porque, talvez acabe sendo uma boa indicação para você também 😊

Ler o artigo →