Se "tudo" significar "nada", então está mesmo "tudo" bem

E começou o muito aguardado arco do conflito pessoal da Asuka! E começou com tudo hein? É como se toda a pressão acumulada desde a primeira temporada tivesse explodido de uma vez só na forma de um tapa na cara. Não que a Asuka fosse ficar para sempre na banda do clube do Colégio Kitauji, por razões óbvias, mas ainda assim o fim para ela está sendo certamente mais dramático do que seria para qualquer outra pessoa ali.

Sendo justo, sua mãe não está de todo errada em seu raciocínio, e só consigo discordar mesmo é de seus métodos. Mas eu já fui adolescente e ai!, sei que essa é aquela fase da vida em que a experiência de nossos pais pouco ou nada vale. Ainda sob suas asas já começamos a querer escolher nossos próprios caminhos, e isso é sempre receita para conflitos!

Ler o artigo →

Abandonar a música? Essa tempestade vai ser difícil de debelar

Eu disse que o próximo conflito seria da Asuka, não disse? Bom, vá lá, isso era previsível. O conflito dela está em gestação desde a primeira temporada e nessa segunda vem se tornando mais aparente a cada episódio que passa. Como uma brisa que vira vento, um vento forte que não para, seguido de um céu que escurece e enfim a tempestade. Não é preciso ser exatamente o Cacique Cobra Coral para prever uma chuva dessas.

Mas não era tão óbvio assim que esse evento ocorreria em paralelo ao conflito da Mamiko, a irmã mais velha da Kumiko. Pois eu cravei que as duas coisas disjuntas tinham tudo a ver ao final do arco da Nozomi e da Mizore. Lá eu disse:

Desde a primeira temporada que vemos o quanto a Asuka se esforça e como parece haver um futuro sinistro à sua frente. Ela já é uma terceiro-anista, afinal. Terá que abandonar a música? Por causa da família? Muito provavelmente. Agora, pare e pense em outra personagem que é mais velha que a Kumiko, que já foi musicista mas desistiu, e que tem relacionamento tenso com sua família.

Não estou exatamente querendo me gabar (talvez só um pouquinho?), até porque esse episódio foi meio que apenas um interlúdio, nem começou o conflito direito, então ainda pode ser diferente do que eu estou imaginando, e também porque não era exatamente a coisa mais imprevisível do mundo. Faço isso para juntar as pontas, para retomar esse tema. Se bem que, como esse episódio, irei fazer primeiro um interlúdio (que talvez tenha muito a ver com o enredo principal).

Ler o artigo →

Adorei essa garota, hahaha!

Eu queria colocar um link aqui para você ouvir a música do episódio enquanto lê o artigo porque ela é incrível, não é? Mas isso não é possível. Pesquisando, descobri que não é nenhuma peça pré-existente ou coisa assim, mas uma composição criada especialmente para o anime. Sensacional, não é? Dentro da história do anime, é uma peça criada pela compositora fictícia Namie Horikawa, e foi criada na realidade pelo compositor da trilha sonora de Hibike! Euphonium, Akito Matsuda. A tradução de seu título em japonês é o título desse artigo: Dança da Lua Crescente (三日月の舞 – Mikazuki no Mai).

E a KyoAni finalmente fez isso, não fez? Um episódio totalmente dedicado à música. Teve lá as cenas anteriores, mas foi tudo apenas para entrar no clima do grande espetáculo que foi a execução musical, sem nenhuma interrupção (odeio animes musicais onde personagens aleatórios ficam me explicando o que eu deveria estar sentindo; ora, calem-se e me deixem ouvir a música e sentir por mim mesmo!). Para não deixar dúvidas de que aquilo era o importante do episódio, o encerramento tocou logo em seguida. Depois retornou e teve a premiação, mas isso era favas contadas já, não é? Ou acha que havia qualquer possibilidade do Kitauji, no meio da segunda temporada, ser eliminado? Ora, é claro que não. Foi uma situação completamente diferente do final da primeira temporada, onde por improvável que fosse, ainda havia uma pequena chance de que saíssem derrotados. Então a música esteve misturada a um enorme drama e tensão. Agora não. Esse episódio serviu apenas para curtirmos a melhor música e a melhor animação de que o Kyoto Animation é capaz em um anime para TV.

Ler o artigo →

O oboé e a flauta

Nozomi e Mizore. A extrovertida e a introvertida. A pró-ativa e revoltada que foi uma das responsáveis (ou a grande responsável?) pelo êxodo do ano passado e a esforçada silenciosa que nem percebeu o que acontecia ao seu redor. Sopro de metal e sopro de madeira. Outras comparações entre os instrumentos que eu não tenho conhecimento suficiente para fazer. Duas grandes amigas. Uma dolorosa separação.

E apesar do título e dessa introdução eu vou falar mais sobre a Kumiko e a Reina nesse artigo do que sobre a Nozomi e a Mizore. Porque no final das contas, o drama dessas foi usado pelo enredo e em alguns momentos entendido pela própria Kumiko como uma comparação válida para a sua relação com a Reina. Artigo atrasado, episódios acumulados, mas pelo menos temos o benefício de eu poder tratar do arco inteiro de uma vez só, não é?

Ler o artigo →

Elas voltaram!

Mais primeiras impressões, mais segunda temporada! Um dos melhores animes do ano passado, na minha opinião, foi Hibike! Euphonium, e ele acabou de forma perfeita para ter continuação. Assim, não foi surpresa quando saiu a notícia de que haveria uma, mas mesmo assim não pude evitar a euforia ao saber da notícia! E demorou, mas chegou: mais Hibike! Euphonium. Como no ano passado, irei escrever artigos semanais sobre seus episódios.

Euphonium 2 começa exatamente de onde Euphonium 1 havia parado, a final do concurso de bandas de Kioto. Nesse clima de vitória que instilou uma nova ambição e sensação de responsabilidade nos membros da banda, os ensaios recomeçaram e a sombra dos eventos desastrosos do ano passado da banda (cronologicamente antes da história do anime) ressurge conforme um membro que havia abandonado o clube ressurge e implora para retornar. Interesse? Não, ela diz, e pareceu muito sincera, que quer apenas ajudar. Assim, o primeiro grande conflito da banda marcial do Colégio Kitauji está posto!

De outro lado, as protagonistas Kumiko e Reina estão mais próximas do que nunca, para enlouquecer os corações de certa fanbase 😉

Na continuação do artigo, uma galeria de imagens do primeiro episódio de Hibike! Euphonium 2, que foi um episódio de duração dupla!

Ler o artigo →

Guia da Temporada de Animes de Outono - Outubro/2016

Todos os guias de todos os sites e blogs nacionais, estrangeiros e extraterrestres já saíram, mas nenhum, te garanto, nenhum é tão completo quanto o do Anime21. E não é soberba não: garanto isso porque eu olhei a maioria deles! E se você tiver tempo acho que deveria olhar quantos guias puder também, é sempre bom ter mais opiniões – por mais completo que o nosso guia seja, ele nunca vai expressar a opinião individual de todas as pessoas, não é mesmo? E tem muita gente por aí que eu acho que vale a pena saber a opinião.

A grande novidade dessa guia não é esse guia, no sentido estrito. Enfim, ficou estranha essa frase. O que quero dizer é que nas últimas semanas trabalhei feito um camelo (se camelos soubessem programar) para produzir um novo formato de guia da temporada. Um formato interativo, dinâmico, mais útil, mais bonito e mais divertido. O guia continua sendo produzido também no formato tradicional, linear, mais trabalhoso de ler e usar, porque novas tecnologias nunca vêm sem seus poréns: ele é mais pesado. Se você tem conexão muito ruim ou, principalmente, se tem um dispositivo muito antigo (ênfase no muito), esse guia no formato de sempre continua aqui e sempre irá continuar. Mas se tiver uma conexão ok (mesmo 3G vagabundo deve ser o bastante) e um PC com menos de 5 anos ou smartphone com menos de 3, não perca tempo e acesse o Guia Interativo da temporada. Insisto:

Abra o Guia Interativo da Temporada de Animes de Outono – Outubro/2016

Ler o artigo →

Avaliação-final---Temporada-de-Primavera

O que a equipe anime21 achou dos animes da temporada de primavera? Uma temporada onde animes de peso como Fate/Stay Night Unlimited Blade Works e Assassination Classroom transmitiram seus últimos episódios, onde começaram séries famosas e muito esperadas como Cavaleiros do Zodíaco: Soul of Gold e Shokugeki no Souma, de animes que conquistaram o público como Dungeon e Plastic Memories, de gemas ocultas e de fracassos retumbantes. Dessa vez, ao invés de escrever sozinho uni forças com a Lidy para elaborar esse artigo onde damos a nossa contribuição final ao debate sobre os animes da temporada que se estendeu entre abril e junho deste ano de 2015.

Além da autoria a quatro mãos, outra mudança em relação ao formato anterior é que ao invés de separar a avaliação do blog da avaliação popular, esse artigo mistura os dois, lançando as opiniões e avaliações dos editores ao lado do resultado da enquete popular que estava até então na barra lateral. Mas não se deixe intimidar nem pela nossa opinião nem pelo voto popular, contribua também com seus comentários sobre os animes da temporada!

Ler o artigo →