Aos trancos e barrancos venho conseguindo acompanhar quase vinte séries da temporada (tem mais um punhado da temporada passada que estão na geladeira mas pegar um dia e assistir tudo o que resta). Entre esse e o ranque anterior houveram diversas mudanças de posição, o que é natural se considerarmos que ainda estamos no começo da temporada e que estou avaliando apenas um episódio, e não o conjunto do anime até agora, sendo portanto mais sensível a variações de qualidade ao longo das séries. Mas da mesma forma que alguns mudaram de posição loucamente, outros se mantém firmes. Sem mais delongas, vamos à classificação:

17 – Ookami Shoujo to Kuro Ouji, episódio 3

A premissa é temerária e agora a protagonista está conseguindo me deixar com raiva dela por ousar se apaixonar por um idiota daqueles. E ainda querem que eu acredite que todos os outros homens do mundo são ou dejetos humanos ou são imbecis como o príncipe. Admiro de verdade a boa vontade da protagonista, mas ela está sendo muito estúpida.

16 – Inou Battle wa Nichijou-kei no Naka de, episódio 3

Escolhi assistir isso por causa do estúdio Trigger (Kill la Kill) e agora estou assistindo uma comédia escolar harém chata pra caramba.

15 – Terraformars, episódio 5

Eu achava que o problema era a censura. Esperei virem os episódios sem censura e assisti de uma vez só. Que nada, é chato igual. As lutas nem são tão legais assim, mesmo sem censura, e o episódio fica cortando pra flashback ou pros dois velhos conversando no bar o tempo todo.

14 – Karen Senki, episódio 3

Os episódios são curtos e assim fica mais difícil sustentar uma história cativante, mas Karen Senki está abusando da minha boa vontade.

13 – Akatsuki no Yona, episódio 3

Na verdade, acho que Yona está um pouco melhor do que quando começou, apenas não é o suficiente ainda. Nesse episódio a princesa e Hak finalmente chegam à Tribo do Vento, depois de muito flashback, então talvez a história comece de verdade no próximo episódio.

12 – Cross Ange, episódio 3

Pararam de estuprar a princesa, aleluia! Mas continua apelativo. Leia o que achei do episódio 3.

11 – Sanzoku no Musume Ronja, episódio 3

Depois que realizei tratar-se de um desenho infantil sem pretensão de ser como tantos filmes do Ghibli, ou seja, infantis mas ainda assim agradáveis para adultos, eu pude assistir ele pelo que ele é e até me divertir um pouco. Leia o que pensei sobre o episódio onde Ronja ficou até tarde na floresta e precisou ser salva pelo seu pai.

10 – Amagi Brillant Park, episódio 4

Até que é divertido. Nesse episódio, uma tempestade dá a Sento a oportunidade de demonstrar o quanto ela é útil e necessária, e quebra um pouco o topete do Kanie.

9 – Garo: Honoo no Kokuin, episódio 4

O quarto episódio de Garo corta um pouco o clima ao exibir um conflito em um vilarejo afastado inconsequente para a história principal. O único mérito (ou tentativa) é exibir um garoto que, semelhante ao protagonista, quer se vingar pela morte de seu pai. Mas feito sem reflexão nenhuma continuo achando que foi um desperdício. Mas é divertido.

8 – Kiseijuu, episódio 3

Outro que mudei minha forma de ver para apreciá-lo melhor. Nesse episódio o protagonista conhece outros parasitas, inclusive uma que está tentando viver como uma humana normal (exceto, claro, pela parte de comer pessoas e tal que ela não pode evitar, mas pelo menos ela poupa pessoas de seus círculos de convivência para não atrair suspeitas). O episódio termina com ele prestes a entrar em mais um combate mortal com outro parasita, só que dessa vez dentro de sua escola, correndo o risco de se expôr. Leia o que achei sobre esse episódio no artigo que escrevi.

7 – Shigatsu wa Kimi no Uso, episódio 3

Felizmente a primeira impressão não foi a que ficou. Há sim muita música nesse anime, e o drama começa a transbordar no terceiro episódio. Leia o artigo que escrevi e me diga se concorda ou discorda.

6 – Hitsugi no Chaika – Avenging Battle, episódio 3

Três Chaikas em rota de colisão! Ou duas e meia? A história é intrigante mas admito que não é grande coisa. Gosto das cenas de ação e gosto dos personagens. Não é genial mas é competente.

5 – Gugure! Kokkuri-san, episódio 3

A raposa e o cão passam mais um episódio brigando e no final o guaxinim faz sua estreia. É uma boa comédia, e o subtexto dramático da protagonista me cativou desde o começo. Acho que não sou muito diferente de Kokkuri-san? LOL

4 – Fate/Stay Night – Unlimited Blade Works, episódio 3

O primeiro combate entre Saber e Berserker, com Archer dando suporte à distância. Foi uma luta legal, algo necessário após o chatíssimo episódio onde a Rin ficou explicando tudo pro Shirou e depois levou ele pro Kirei explicar tudo mais um pouco. Vou escrever sobre esses episódios ainda, aliás, me aguarde.

3 – Sailor Moon, episódio 7

Melhor episódio de Sailor Moon até agora. A profundidade emocional é notável, o clima do anime muda porque Usagi começa a assumir seus sentimentos. No final a Sailor V aparece e agora todas estão finalmente reunidas.

2 – Psycho-Pass 2, episódio 3

Um episódio onde aconteceu muita coisa mas os mocinhos (e telespectadores) permanecem totalmente no escuro. E eu achava a Aoyanagi chata, admito, mas mesmo assim não desejava aquela surra para ela. Será que será salva ou será que será capturada, ou pior, morte? Leia meu artigo e comente!

1 – Shingeki no Bahamut, episódio 3

De longe, ainda o melhor. O passado do Kaisar e da Amira são revelados em mais detalhes e após uma parada em uma cidade-fantasma mais uma se junta à equipe: Rita, a morta-viva necromante (?)! Leia aqui tudo o que escrevi sobre esse episódio.

Discussão