Quando percebi que o grande Ookoninushi, o senhor do templo de Izumo e mestre de cerimônias  da reunião dos deuses, tem a mesma voz do grandessíssimo sacana senhor Orihara Izaya, chefão da máfia de Ikebukuro, o primeiro pensamento que me passou pela cabeça foi: a senhorita acabou de tomar na bunda, Nanami-sama. E eu estava mais do que certa. Hiroshi Kamiya, obrigada por seus serviços.

Bem, resumindo os fatos: Nanami chegou. E, tirando o estressadinho deus da guerra, ela foi até melhor recebida do que eu esperava, talvez em parte porque a morena não se deixa amedrontar por ameaças (espadas é outra história, ela ainda não é imortal até onde sei). E, quando se descobre que foi o big boss quem resolveu trazê-la até ali, o que restavam de animosidades arrefeceu de vez. Mas claro, como eu bem suspeitava, a boa ação não sairia de graça: Nanamo foi cordialmente solicitada a visitar Yomotsuhirasaka. A reação dos demais é autoexplicativa: é problema. Se trata nada menos do que a entrada para o mundo dos mortos, que em virtude do festival dos deuses está temporariamente desprotegida. Nenhum outro deus quer pôs os pés lá. Mas Nanami é corajosa. E teimosa. E quer provar que é capaz de cumprir as mesmas tarefas do que qualquer divindade. Mas, mais do que isso, Ookoninushi promete que, caso ela feche a passagem, ele tentará rastrear a posição atual de Mikage. Então ela parte, acompanhada de seus dois animaizinhos de estimação e de Otohiko, já imaginando que o deus misterioso que a ajudou a encontrar o caminho para a o festival realmente foi Mikage. Não vou negar, fiquei agradavelmente surpresa com a dedução dela. Muitos personagens de anime tê ma tendência irritante a nãpo notarem as obviedades que passam bem diante de seus olhos, e isto piora em se tratando de heroínas de shoujo. Nanami é esperta, e talvez por isso esteja gradualmente conquistando aliados. Não me surpreenderei caso, após o final do festival, a maioria dos deuses a aceite como um deles.

Ao chegar ao lugar, três fatos devem ser considerados. Primeiro: há youkais lá. Segundo: não há apenas youkais lá, mas o garoto pálido que ela salvou da vez anterior também. Terceiro: um novo nome se torna rotina neste episódio, Akuraou. Um poderoso youkai no passado que eu tenho certeza de que se trata da real identidade de Kirihito, mas isso não vem ao caso agora. Numa reviravolta, o youkai agarra Kirihito, se joga no perigoso portal para o mundo dos mortos (mas tive a impressão de que ele foi desintegrado, estarei errada?), e Nanami vai logo atrás. Sozinha. Bem a cara dela.

Paralelamente, vemos um Tomoe emputecido e ainda travestido de Nanami querendo um pouco de paz. Mas boa parte de sua fúria cedeu e se tornou melancolia. Tomoe se sente abandonado mais uma vez, a mesma sensação de impotência de quando Mikage o deixou. Da até dó das orelhinhas de raposa caídas e a cauda murcha. Então, o que um homem faz quando é deixado de lado por uma mulher? Vai a um bordel, claro! E pelo visto,é cliente antigo. Deixa a patroa saber…

 

KSH33

Mulheres e bebida, o destino de uma raposa selvagem e deprimida.

 

Mas bem, ao menos temos mais informações a respeito do tal youkai Akuraou. Ele era sanguinário e inimigo de Tomoe, então se for mesmo quem eu acho, teremos lutas muito em breve. Talvez ele consiga ter o seu antigo corpo de volta no mundo dos mortos, e desafie Tomoe para um ajuste de contas. Durante os devaneios da senhoria do estabelecimento, Tomoe lembra-se da Nanami e volta para o templo, só para encontrar uma carta dela endereçada à raposa. A carinha de satisfação dele é uma graça, quase se vê a cauda abanando. Assim como a decepção que se segue. Ele esperava o quê, uma carta de amor? Pobre iludido.

Então, mais uma mudança de cenário, e o resumo da cena é que as criaturas que vivem no mundo dos mortos querem matar a Nanami, que precisa contar com a sabedoria (suspeita demais) de Kirihito. Ela não notou que ele sequer deveria estar vivo? Espero que mantenha seu desconfiômetro calibrado, já que agora os dois estão sozinhos e por conta própria. Nada impede que ele tente matá-la após conseguir o que veio buscar lá embaixo, e tenho certeza de que irá.

 

KSH32

Um piquenique no mundo dos mortos à meia noite.

 

No final das contas, tudo o que pude deduzir é: Kirihito é na verdade Akuraou, está tentando conseguir o seu corpo de volta e, quando consegui-lo, voltará para matar Tomoe. Sinto que os dois são muito parecidos um com o outro, a diferença é que Akuraou não teve nenhum Mikage para domesticá-lo na vida. Até agora. Se a Nanami não assumir esse papel, com todo esse ar de deusa, humana, esforçada e amorosa, não sei mais quem o faria.

Discussão