Pena que Kiseijuu é um anime longo, as cenas de ação que teve até agora não foram particularmente boas (não pela ação, pelo menos) e quem está assistindo até agora certamente não fazia isso pela ação, enquanto quem buscou esse anime pela ação no já distante mês de outubro de 2014 deve ter desistido no meio do caminho. O que quero dizer é: para quem é essa ação? Não acho que vá ser necessariamente ruim. Só desperdiça o conflito psicológico e ideológico que foi construído e no episódio 18 teve seu momento de catarse quando um parasita deu a vida para salvar seu bebê humano. Até a narrativa piorou perceptivelmente, com os personagens repetindo coisas que já foram contadas pelo andar natural do anime. E parece que esse será o grande arco final. Kiseijuu é classificado como um mangá de horror, e histórias de horror frequentemente não têm finais felizes. Prepare-se para o pior.

Shinichi vai à escola, e já estão terminando o terceiro ano (eu nem sabia disso). Se eu já estava com a sensação que ele ir à escola parecia uma despedida, quando o Shinichi e a Murano começaram e relembrar nostalgicamente esses anos de colégio e conversar sobre planos para o futuro, aí eu tive certeza que aquilo era uma despedida. Despedida de quem? Por quê? De cara imaginei um final estilo Exterminador do Futuro 2: “Não Shinichi, ainda há um parasita vivo”. Consegue imaginar algo assim? Estou chutando, claro, mas dá calafrios só de pensar.

O ponto alto do episódio foi seu começo. Se no episódio passado conheci uma parasita que havia se tornado humana, nesse episódio Uragami, o assassino em série, diz que ele próprio não é humano. Não diretamente, claro. Quando ele explica porque ele consegue detectar parasitas, ele diz que provavelmente consegue entender tão bem os seres humanos por ter “brincado” tanto e com tantos deles. E termina com a pergunta reflexiva: reconhecer alguém de sua própria espécie não é comum para qualquer animal? Isso é chave, porque é como se ele admitisse não ser mais do que apenas um animal. Assim, ele não sente simpatia ou empatia por outros seres humanos, embora ele próprio seja um. E tudo isso no final serve para reafirmar a humanidade de Shinichi, já que o animal Uragami diz que, apesar da dúvida inicial, ele tem certeza que Shinichi é apenas um ser humano.

O resto do episódio foi preparação para a ação que começará no próximo. O oficial Hirama não vai ser o responsável pela operação, mas um cara novo que veio de sabe-se lá onde e que, eu aposto, irá morrer. Morrendo ou não acredito que ele irá botar a operação em risco, talvez a faça fracassar mesmo. Enfim, o nome desse chefe da operação é Yamagishi, e não importa o quanto o Hirama conheça a situação de perto e faça sugestões para uma ação mais cautelosa, tratando os parasitas com o cuidado devido, o Yamagishi recusa tudo e está convencido de que estão apenas em uma operação para eliminar insetos. Então tá, espertalhão. Antes, Hirama vai “recrutar” Shinichi (logo após aquela cena dele com a Murano que descrevi dois parágrafos acima), e embora o garoto praticamente não diga nada, depois descobre-se que ele concordou em ajudar. A Murano foi veementemente contra, praticamente aos prantos evocando o quanto ele já sofreu por tudo o que passou (e ela mal sabe pelo que ele passou, até agora ele não contou nada para ela, mas eu o compreendo).

A operação em si parece inteligente mas é bastante espalhafatosa. Estão usando uma máquina de raios-x gigantesca para deixar todo mundo do prédio com câncer detectar anomalias nos corpos das pessoas que vão passando pela frente dela. Esse detalhe em si é bem inteligente até, se você supôr que parasitas não notarão o truque depois do primeiro ser pego após passar em frente à estranha máquina cheia de lâmpadas apagadas na saída do edifício. Suponho inclusive que eles sejam capazes de reconstituir com mais cuidado as partes que eles devoraram e que os entregam como parasitas para evitar serem pegos, se assim desejarem. E, claro, os parasitas têm o Gotou. E os policiais têm o idiota do Yamagishi. Uragami e Shinichi estão dentro de um dos caminhões da polícia, vamos ver qual será o papel de cada um deles. Quero dizer, tenho quase certeza que o Shinichi irá lutar. De alguma forma o Migi irá se sentir tocado pelo altruísmo da Tamura e irá se permitir ser visto pelos humanos. Mas se a ação é inevitável, espero que melhorem pelo menos a narrativa um pouco. Kiseijuu tem sido um anime razoavelmente inteligente, não deveria agora perto do fim apelar para a tática barata e desnecessária de fazer seus personagens falaram explicitamente o que a história já deixou claro implicitamente, como quando o Shinichi diz que a Tamura curou o buraco em seu peito.

Discussão