Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Quarto episódio seguido de Euphonium que eu avalio com nota máxima. Começo a achar que não sou capaz de avaliar corretamente esse anime, sei lá. Eu simplesmente estou adorando todos os episódios desde o oitavo, alguns mais e outros menos, e repetiria tudo o que disse sobre os anteriores. Mas não posso evitar me perguntar se estou certo, se o anime é mesmo assim tão bom, ou se eu que estou com a percepção sobre ele prejudicada por algo intenso e pessoal. Bom, entre tantas coisas acontecendo achei importante, no artigo desse episódio, falar sobre percepção. A Hazuki e a Midori já perceberam que a Kumiko gosta de passar tempo com a Reina (não sei se perceberam mais do que isso). A Asuka parece ter percebido que a Kaori se importa muito com o que ela pensa. Kumiko e Reina percebem alguma coisa uma na outra e em si mesmas, mas … o que elas realmente percebem?


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Acho que houve um pequeno salto na história entre o episódio anterior e esse, porque achei muito do nada a forma como a Hazuki e a Midori se comportaram nesse episódio. No anterior, a Hazuki ainda estava (suponho, o assunto não foi tratado, mas no ante-anterior estava!) jurando juntar a Kumiko e o trombonista, mas nesse ela só aparece para dizer “vai ficar com a Reina, Kumiko, pode ir!”. Claro que as duas coisas não são excludentes dependendo do ponto de vista dela (ela pode achar que as duas são só amigas; e as duas podem se considerar só duas grandes amigas também), mas o que quero enfatizar aqui é que não aconteceu tanta coisa assim em tela para justificar isso. Suponho que no material original mais coisas tenham acontecido. De todo modo, não achei que prejudicou o andamento da história, é só uma curiosidade no fim das contas.

E esse episódio foi, pelo menos em teoria, da Kaori, então vou falar dela. Até o começo do episódio anterior eu não sabia praticamente nada dela além de ser a líder do naipe das trombetas e ser uma terceiranista popular, e mesmo ao final dele eu só havia descoberto que ela era uma boa pessoa e um bocado insegura ou insatisfeita consigo mesmo. Nesse episódio parece que a coisa não é tão simples assim. Sem desmentir minhas impressões anteriores, havia algo mais, talvez mais importante que elas, motivando a Kaori. Ela não é exatamente uma garota insegura que depende da aprovação de outras pessoas, mas ela está sempre buscando a aprovação de uma pessoa em particular: a Asuka. O episódio não revela o suficiente para qualquer conclusão sobre a razão dessa necessidade de ser aprovada pela Asuka, mas dado o tema forte e recorrente de Euphonium é difícil não pensar que a Kaori tenha sentimentos de natureza romântica pela Asuka. Só que talvez nem ela perceba – bom, ela sabe que precisa da Asuka, mas talvez não saiba porquê. E será que a Asuka sabe? Também ela parece saber (perceber) que a Kaori depende dela, mas se sabe porque, vá saber.

E por que deveriam saber? Pra começo de conversa, isso nem é certeza de todo modo, é só uma hipótese minha baseada no comportamento da Kaori e no enredo de Euphonium, mas falta muito para afirmar que é isso e não pode ser outra coisa. Se nem a relação entre Kumiko e Reina permite certeza absoluta, que dirá Kaori e Asuka! Mas vamos lá, retomando a hipótese: assumindo que a Kaori goste da Asuka (no sentido romântico do termo), por que as duas deveriam saber disso? Se fossem garota e garoto as coisas seriam muito mais fáceis. Sem entrar no mérito sobre isso ser natural ou social, o fato é que o relacionamento romântico heterossexual é muito mais comum e é, frequentemente, o esperado entre algumas pessoas mesmo quando elas não sentem nada uma pela outra apenas porque são homem e mulher. Exemplifico isso com Euphonium mesmo: Hazuki está convencida, sem fundamento nenhum, que Kumiko está apaixonada pelo trombonista. Por quê? Só porque ele está apaixonado por ela, eles são amigos de longa data, e bem, são um garoto e uma garota? Por outro lado, e quando é homem e homem, ou no caso desse anime, mulher e mulher? Na minha adolescência eu conheci pessoas que tiveram dificuldade para perceberem que o que sentiam não era só amizade, simplesmente porque o alvo de seus sentimentos eram pessoas do mesmo sexo que eles. Muita gente deve conhecer alguém assim hoje em dia. Então é fácil para a Kaori perceber que ela se importa com a Asuka e se importa com o que a Asuka pensa dela, mas como ela deveria entender isso? O caso dela é bastante complicado ainda por cima, porque além de tudo a Asuka não só não corresponde como ativamente evita a Kaori quando ela mais precisa. Mesmo se a Kaori acordasse um dia pensando “é isso, eu amo a Asuka”, que bem faria a ela reconhecer isso? Só seria mais doloroso ainda a cada vez que a Asuka a evitasse de novo. Não estou dizendo que esse seja o melhor comportamento, mas é compreensível. Claro, isso tudo é especulativo, elas podem ser apenas e tão somente amigas mesmo.

E o casal principal? É namoro ou amizade? A tensão romântica e sexual entre Kumiko e Reina só tem aumentado desde o oitavo episódio, e nesse episódio quase explodiu. Em momento de dúvida, Reina foi socorrida por Kumiko. Acabou se aproximando dela, tocando-a no rosto, foi correspondida e … pareceu surpresa. Com o que aconteceu? Consigo mesma? Por causa de algo que percebeu? A Kumiko, por outro lado, desde o episódio oito parece estar percebendo muito bem o quanto é atraída pela amiga. E após a mesma cena nesse episódio que acabo de descrever ela parecia estar uma panela de pressão soltando todo o vapor. Eu acredito que a Kumiko perceba muito mais que a Reina, que aparentemente levou uma vida muito mais afastada de outras pessoas até recentemente, a ser verdade o que ela disse em um desses episódios. Seu fascínio e sua aproximação da Kumiko são quase inocentes, e estão pelo menos servindo para que ela se aproxime e se abra mais para outras pessoas também. A Reina desse episódio é muito menos anti-social que a do começo do anime. A Reina, com pouquíssima experiência em lidar com pessoas, se aproximou o tanto quanto sentiu vontade da Kumiko, quase como se não se preocupasse com normas sociais, etiqueta e essas coisas todas. No episódio anterior isso ficou muito claro a hora que ela abraçou a Kumiko: a ser verdade o que os animes dizem sobre japoneses, é algo muito incomum, mesmo para pessoas próximas, se abraçar em público. A Reina nem pensou duas vezes antes de se pendurar na Kumiko, mas essa ficou morrendo de vergonha, sem saber como reagir. Até o final da cena, por causa do close-up, não dá para saber se ela correspondeu.

Mesmo com tudo isso, a pergunta que fiz sobre a Kaori e Asuka também vale para Kumiko e Reina: será que elas percebem? Não é fácil perceber e admitir uma coisa dessas. E no caso delas, embora haja espaço ainda para que seja só amizade, eu tenho razoável certeza que elas sentem algo a mais uma pela outra. Bom, fechando os comentários sobre o episódio, acredito que a incerteza da Reina antes da audição nesse episódio tenha deixado claro que o sentimento dela pelo professor Taki é só admiração mesmo, percebido de forma errada como amor por uma garota muito jovem e inexperiente (de novo: porque é isso o que esperam de homens e mulheres, então foi assim que ela interpretou). Quero dizer, se ela quisesse mesmo chamar a atenção dele a todo custo não ficaria tão preocupada assim em magoar a Kaori ou em parecer vilã na frente dos demais alunos. Mais importante: ela não teria sequer cogitado tocar mal na frente dele. E eu não esperava que a Kaori fosse mesmo tão pior que a Reina assim, que coisa. De certa forma faz sentido, ela deve ter começado a tocar só no colégio, como a maioria das pessoas ali, enquanto a Reina toca há muito mais tempo e ensaia mesmo fora da escola. Mas tudo o que eu previ sobre a votação se cumpriu: a Reina foi muito melhor que a Kaori e mesmo assim não votaram nela. Pelo menos não tiveram tanta cara de pau a ponto de votarem na Kaori, houve um empate técnico. E isso se resolveu com a própria Kaori assumindo que a Reina era melhor. Até dá pra tentar ser legal com o professor Taki e dizer que ele fez isso de propósito, pra mostrar pra Kaori e pra turma toda que ele tinha feito a melhor escolha, e não privilegiado a garota que ele já conhecia, mas eu ainda assim achei esse suposto “método de ensino” terrível. Porque colocou muita pressão e sentimentos negativos nas costas de muita gente, e porque poderia ter dado tudo errado: a Kaori poderia não ter admitido nada, a Reina poderia ter entregado, mais gente poderia ter votado na Kaori só porque é a amiga deles, ente outros.

  1. Mas será que elas irão perceber? Será que Kyoani deixará isso acontecer? Algumas ainda insistem na relação entre Shuichi e Kumiko, no novel acontece, mas não se sabe nem quais foram as circunstância deles ficarem juntos (aparece também que esse casal no novel, não encheu muito os olhos dos fãs do novel), mas isso pode deixar a Kyoani com o pé atrás em relação as duas, porque elas seriam o casal principal.
    Eu gostaria muito que isso acontecesse, por sairia do gênero yuri propriamente dito. Porque quando o anime é yuri, ele é só yuri, e não tem mais nenhum tema vindo junto com ele, sempre fica em primeiro plano focado nos casais. Até mesmo o yaoi já saiu um pouco disso. Há animes em que o yaoi fica em ultimo plano, ou as vezes nem aparece nome(yaoi) no anime, mas tudo mundo sabe que ele tá lá. Queria que isso acontecesse em Hibike, porque como já disse uma vez, nem mesmo nos animes e mangais yuris, vi uma relação tão forte entre duas garotas, e não dar valor à isso( o desenvolvimento do romance), seria um total desperdício da conexão entre as duas personagens.

Comentários