Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

E como diria o Professor Girafales, foi quando pensei estar errado. Não retiro os elogios que fiz à Dungeon, particularmente os que fiz à Héstia, mas também os que fiz ao Bell, além de outros que fiz sobre a história e outros personagens ao longo de toda a temporada. Mas percebo agora que não deveria ter retirado uma vírgula do que eu disse no meu primeiro artigo: se já não bastava o título sugestivo do anime (“É errado dar em cima de garotas dentro da dungeon?”), o primeiro episódio não foi nada sutil em dizer que essa era sim uma história sobre um protagonista sem graça e seu harém. Ou alguém pode me dizer sobre o que se trata Dungeon? Qual é a grande história do começo até o fim?


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


O crescimento pessoal ou de nível de poder do Bell é que não é. Quero dizer, crescimento pessoal não houve nenhum, ele mantém suas teimosias até o fim e tudo sempre dá certo ou porque ele é o protagonista ou porque suas haremetes o ajudam a fazer dar certo. Em nível de poder ele até cresceu, mas … pera, ele cresceu mesmo? Vamos lá, vou até começar um parágrafo novo só pra falar disso.

Depois de doze episódios, quase três meses de exibição, e em um mundo que em muito mimetiza um MMORPG o Bell passou fabulosos … um níveis. Ele era nível um, agora é nível dois. Incrível! Se qualquer coisa, mostra que o autor disso não tem a menor noção do que sejam níveis em um jogo de verdade, ou tem e não está nem aí. Tudo bem, pode-se argumentar que embora seja um nível só, o Bell de agora está muito mais forte que o Bell do começo. Que está mais forte, não restam dúvidas, mas muito mais forte? Primeiro é importante separar a parte desse crescimento que foi causada por fatores externos, não pelo esforço do próprio personagem: a Faca da Héstia e a magia Bola de Fogo que ele ganhou de presente da Freia. O “crescimento” dele foi basicamente o treinamento com a Aiz (embora tenha dependido de outra pessoa, aqui pelo menos ele precisou se esforçar) e as duas habilidades roubadas que ele tem e que basicamente o eximem de precisar se esforçar tanto quanto um aventureiro normal. Agora considere que no fim das contas ele ainda é incapaz de dar conta de uma horda de coelhinhos com cutelos e você tem uma noção mais realista do “crescimento” dele.

Dungeon é só um harém. É por isso que a um episódio do final, ainda dentro da dungeon onde quase morreu há pouco, Bell pode se dar ao luxo de espiar garotas nuas tomando banho. É por isso que aparentemente o conflito final desse anime que deveria também ser de ação será algo saído do nada, e surgido por um acidente desnecessário. Explico. Pelo final desse episódio, o que parece será o conflito do próximo será causado pelo fato da Héstia ter entrado na Dungeon e manifestado sua forma divina lá dentro. Ela entrou lá para resgatar o Bell, o que no fim das contas se provou desnecessário porque ele conseguiu protagonisticamente chegar ao décimo oitavo andar sozinho. Claro, ela não tinha como saber disso. Mas porque ela foi, o Hermes foi junto. Porque o Hermes foi, ele incentivou uns baderneiros quaisquer a raptarem a Héstia – que não seria raptada se não tivesse ido. Porque a Héstia foi raptada, o Bell foi salvá-la e estava apanhando feio. Então a Liliruca soltou a Héstia e ela manifestou seus poderes divinos para salvar o Bell, só que quando ela fez isso ele já tinha conseguido sacar a carta “protagonismo” da manga e derrotar o vilão que o desafiava, e o resto da gangue estava lá razoavelmente dando conta do resto dos maloqueiros. Mas ela entrou onde ela não podia e manifestou sua forma divina, o que acredito ele pudesse ainda menos. E assim o cenário está montado para o conflito final, que nada tem a ver com o desenvolvimento da história até agora, é um acidente, uma sequência de decisões infelizes. E ah, sim: a espada ou o que quer que esteja enrolado naquele trapo que o Welf recebeu certamente será vital para derrotar qualquer que seja a ameaça que está para surgir no próximo episódio, ou então ela não teria dramaticamente caído abismo abaixo. Mais acidentes!

No fim das contas, a única coisa que avançou solidamente durante essa temporada de Dungeon foi o harém do protagonista. Porque a primeira haremete, a deusa Héstia, foi muito bem desenvolvida e teve bastante tempo em tela nos primeiros episódios, e porque o harém começou praticamente vazio (incomum, mas não impossível em histórias desse tipo), eu fui levado a acreditar que talvez não fosse um harém. Ou que talvez, sei lá, não fosse só um harém. Mas passada essa impressão inicial as haremetes foram adicionadas uma a uma, algumas com algum desenvolvimento (só a Liliruca de verdade, mas vá lá, a Aiz também se quiser forçar a mão), a maioria pelos mais loucos motivos – típico de haréns. Syr e Ryuu, da taverna; Eina, a gerente de aventureiros; a deusa Freia; a Liliruca; a Aiz; por fim as amazonas da família Lóki: Tiona e Tione. Estou esquecendo de alguém? Talvez esteja. Logo essa série acaba e eu vou esquecer de todo mundo, o que será uma coisa boa.

  1. Esse anime até que pareceu promissor, pelo menos por um tempo. Quando chegamos ao episódio 2 e já nos é apresentada a garçonete que diz ter se apaixonado pelo protagonista logo após conhecê-lo e ainda por cima por um motivo pífio, já tínhamos ali alguns indicadores de um futuro obscuro rumo a um harém genérico. Que infelizmente, foi o que ele se tornou.

    Temos assim um personagem abençoado com habilidades as quais fazem com que ele possua um ritmo de evolução exagerado até mesmo quando comparado ao prodígio da série (Ais/Eyes, que como era de esperar, termina desenvolvendo interesse no Bell). Adicione isso à inexplicável atração que o personagem exerce sobre as demais personagens e forma-se aí o típico perfil de personagem cuja função é a autoinserção e realização de desejos de quem assiste. Existem inúmeras acusações por aí de qud o Bell é um Gary Stu, e considerando esses fatores, fica difícil discordar. É uma pena, esse anime tinha algum potencial.

    P.S. O Bell possui o mesmo dublador que o Kirito, talvez isso já tenha sido um prenúncio LOL?

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Eu já tinha visto outras pessoas ligando o Bell ao Kirito por causa do dublador para reclamar do personagem ser um Gary Stu, muito pertinente essa colocação =D

Comentários